• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    A era fitness

    Conheça alguns pensamentos e verdades sobre o mundo que as academias vivem hoje: A era fitness

    Alguém pode dizer que diabos está acontecendo nesse maldito mundo fitness? Aliás, alguém poderia dizer porque esse mundo fitness surgiu?

    a era fitness

    Whey Protein Isolado

    A era fitness tomou conta das academias. Conheça algumas verdades sobre ela.

    Sinceramente, por achar esse mundo tão inútil, decidir pesquisar um pouco sobre o surgimento dessa era fitness. O conteúdo é um tanto quando escasso. Porém, na única referência que achei, o autor descrevia o “fitness” como 7 eras. Grande didática!

    A grande verdade é que o fitness surgiu com o intuito de aumentar o fluxo por todos os tipos de pessoas dentro de uma academia.

    Nos anos 50, 60 e, vou além, 40, as academias eram sujas, enferrujadas, velhas, com pessoas que estavam descobrindo a lógica de seus corpos e de metodologias diversas. Em alguns casos, muitos dos treinos de força dos anos 40 (sim, para quem não sabe, a musculação veio de esportes mais primitivos como o levantamento de peso), eram feitos na rua ou em algum parque com o peso do corpo, alguns pneus, barras e latões.

    Porém, não pretendo cair no senso comum a dizer que aqueles atletas eram reais estruturas (mesmo achando isto) e que tinham corpos incríveis (é óbvio que tinham), mas sim, dizendo que eles ainda estavam em um patamar primitivo descobrindo coisas, como já dito. As falhas eram inúmeras e, os erros também eram inúmeros. Sem qualquer sombra de dúvidas, o que se tem hoje estudado e aprendido é muito mais eficaz e propício a acertos do que 40 anos atrás, afinal, evoluiu-se experiência, prática e, claro, tecnologia.

    Ok, mas vamos voltar ao assunto que é o mundo fitness. Pois bem, apesar de muitos desses homens serem incríveis dentro de seu esporte, eles faziam com que as academias não fossem realmente atrativas para pessoas interessadas no esporte, mas não de maneira competitiva. E é aí o ressalve da diferença entre competição e esporte para bem-estar.

    E é nessa falta de atração ao rústico das academias que entra o tal mundo fitness. Aulas coloridas e dinâmicas dentro de academias cheirosas e bonitas, aulas divertidas, exercícios funcionais, brincadeiras esportivas e outras milhões de coisas. Mas até que ponto isto contribuiu? Aliás, até que ponto isso contribui para resultados concretos?

    Primeiramente, não condeno por completo o mundo fitness. Aliás, sem ele, provavelmente ainda viveríamos no underground do fisiculturismo (que ainda é um esporte underground no Brasil) e, claro, das academias. Sem ele a popularização da musculação para todo tipo de público seria muito mais lento ou, talvez, nem aconteceria. Também não condeno sua forma funcional e colorida de trabalho. Tanto faz treinar de camiseta rosa de marca ou pelado, desde que o treino seja intenso suficiente em ambos os casos. E é isso que vai gerar os resultados.

    O que realmente me deixa intrigado é ver a forma como esses treinamentos na maioria dos casos acontecem.

    Ok, é perfeitamente aceitável que se queime calorias dançando bravamente em cima de uma cama pula-pula do Gugu com um professor gritando num microfone. Caloria gasta é caloria gasta e não vamos fazer muita ilusão em cima disso.

    Mas e quanto a musculação? Será que um trabalho fitness pode suprir um trabalho resistido sério? COM CERTEZA NÃO! Pelo menos, não vejo hipótese alguma com o que se tem hoje.

    Whey Protein Complex

    Whey Protein Concentrado

    O trabalho com sobrecarga, vulgo musculação, exige, como o nome já diz, sobrecarga progressiva, isto é, forçar a musculatura progressivamente, afim de gerar efeitos como a hipertrofia, hiperplasia, aumento de força, otimização hormonal e outras milhões de coisas. E, o grande problema é que muitos desses treinos fitness oferecem um exercício com pesos muito mais aeróbios e readaptativos do que resistidos, propriamente dito. O resultado que se tem é um incremento na respiração, talvez resistência, fuga do sedentarismo e outros. Mas, jamais hipertrofia. O pior ainda é observar que as pessoas (muitas vezes e, infelizmente ignorantes no assunto) buscam a opção 1, isto é, torneamento muscular, definição ou as famosas “coxas grossas”.. Ok, você deve estar se perguntando: Então quer dizer que tornear a musculatura é a mesma coisa que hipertrofiar? Digo que sim e não. Simplesmente, para que haja torneamento muscular, é necessário que haja músculos com aquele tamanho, volume e densidade. E, para isto, é necessário hipertrofiá-lo. Porém, para definição muscular, é necessário abaixar o percentual de gordura (caso o músculo grande e denso já esteja lá). Porém, isto quase nunca acontece com iniciantes.

    Aliás, quero aqui abrir um parênteses e dizer que musculação realmente não serve somente para quem quer um auto volume muscular. Frequentemente vejo pessoas que recusam qualquer tipo e trabalho anaeróbio com o velho mito que não querem ficar musculosas ou obter tanta definição assim.

    O que realmente vai diferir o resultado final, é a dieta e, claro, alguns ajustes no treino personalizado ao indivíduo. Musculação não serve simplesmente para ficar denso e grande, mas também para outros milhões de aspectos que muitos desconhecem.

    Por isto, seja para o emagrecimento, para o aumento de massa muscular, correção postural ou outro fator, a musculação É SIM indicada. Aliás, muito mais indicada na minha opinião, do que trabalhos aeróbios (inclusive para o emagrecimento) pela resposta hormonal diferente que acontece em ambos os casos. Contudo, ainda temos a vantagem de construir musculatura ou, preservá-la num período de perda de gordura, otimizando o resultado final e a queima efetiva apenas de gordura corpórea.

    O fato é que para chegar nesse patamar, precisamos de hipertrofia. E, como ela pode ocorrer sem um treinamento árduo e cheio de treinamentos ilusórios?

    Veja, hoje, enquanto fazia um pouco de atividade cardio, observei uma personal (assim como observo-a com suas alunas fitness fazer a mesma coisa) treinando. Repetições mirabolamentemente altas e com uma carga mínima. O pior, é não chegar na exaustão do músculo. Simplesmente executar o exercício SEM CANSAÇO! Oras, para que então realizar um treinamento anaeróbio que não lhe causa nenhum tipo de microlesões musculares e a sobrecarga simplesmente não existe? (Claro que estou me referindo a hipertrofia.)

    Da mesma forma, vejo muitos professores recomendando treinos extremamente funcionais (que na prática pouco valem) quando o objetivo é totalmente inverso a isto. (Leia-se hipertrofia novamente.)

    Meus caros, o que quero dizer é que simplesmente não há construção muscular sem um treinamento árduo que cause exaustão ao músculo, que vá exaurir glicogênio muscular e que causa as tão queridas microlesões, resultando no processo inflamatório do músculo.

    Sem sobrecarga tensional não há hipertrofia miofibrilar nas proteínas contráteis da musculatura. Treinos como esses “fitness” (até mesmo eles, dependendo de como são feitos, nem isso geram), apenas provocam hipertrofia sarcoplasmática, isto é, causa um aumento de energia no citoplasma dos miócitos, aumentando assim o volume não duradouro. E, sinto-lhes desapontar, mas esse tal treinamento tensional necessita SIM de esforço, suor e um pouco (leia-se muita) de dor. Porém, ele é, de fato, efetivo.

    Por fim, saiba sempre quando realizar um treinamento sério afim de alcançar seus objetivos e não seja simplesmente iludido pela onda fitness que toma cada vez mais conta do espaço da musculação levada a sério.

    Artigo escrito por Marcelo Sendon

    banner-600x300-consultoria-perfeita-laranja-1


    /* */