• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    As frutas ruins, médias e boas para o praticante de musculação

    Você consome muitas frutas em sua alimentação? Então conheça quais são os tipos de frutas ruins, os medianos e os bons para o praticante de musculação.

    Frutas, ou mais precisamente o fruto é uma estrutura na qual são presentes em angiospermas e possuem sementes protegidas. Essas, por sua vez, são geradas nos ovários das flores após a fecundação. Um verdadeiro fruto possui sementes envoltas por uma ou mais estruturas, logo, algo diferente disso já não pode ser descrito como fruto, mesmo que usemos em nossa alimentação, tal qual o caju ou a própria banana.

    Conheça quais são as frutas ruins, médias e boas para o praticante de musculação

    Comprar Suplemento BCAA Optimum Nutrition

    Compostos por exocaropo (parte externa, normalmente a casca do fruto), mesocarpo (parte mediana) e endocarpo (que é normalmente a parte carnuda do fruto, a qual nós usamos para a alimentação). E é justamente sobre parte do endocarpo que iremos falar. Mas, devo dizer que, para que possamos dar aplicabilidade neste artigo, iremos fugir um pouco da definição básica e correta de frutos e falar sobre frutas, propriamente conhecidas por fazer parte não só da nossa dieta, mas da dieta de centenas de bilhões de pessoas durante todo o decorrer da história humana.

    Frutas, além dos diferenciados valores energéticos, são normalmente ricas em carboidratos, possuem teores de fibras bastante variáveis, pouca ou nenhuma quantidade protéica e inúmeros micronutrientes, entre eles sais minerais, vitaminas e, algumas cetonas, além de propriedades extras e/ou funcionais que são descobertas dia-a-dia. Apesar disso, frutas estão LONGE de ser considerados alimentos ideais pela ciência moderna. Claro que não devemos bani-las de nosso cardápio, mas, alguns certos conhecimentos e cuidados se fazem essenciais para prevenir possíveis contratempos com as mesmas. Entre esses contratempos, talvez o pior e mais relevante para nós seja o da frutose, um dos monossacarídeos presentes em frutas, que cada vez mais vem sendo tido como vilão nas pesquisas. Entre outras desordens, a frutose pode causar desde simples desconfortos gastrointestinais, até aumento de estoque de gordura corpórea, aumento de resistência à insulina, elevar os níveis de triglicérides no plasma, aumentar o cansaço e a fadiga entre outros. E olhem que, até pouco tempo atrás, quando ainda se falava em índice glicêmico, um dos adoçantes naturais mais utilizados por diabéticos era justamente a frutose.

    O que é a frutose?

    A frutose é um monossacarídeo o qual está presente em algumas estruturas ou produtos do corpo humano, tais quais o sêmen, a fim de nutrir os espermatozoides. Assim como a lactose e, diferente da glicose, para que ela possa ser efetivamente usada como fonte energética pelo corpo humano, há a necessidade de uma metabolização hepática.

    A frutose é, em sua grande parte, não só metabolizada nos tecidos hepáticos, mas, normalmente armazenada lá também. Isso quer dizer que, a capacidade do fígado já possuindo naturalmente um certo limite curto de estoque, os excessos terão GRANDES chances de serem armazenados também, mas em outro tecido, conhecido como panículo adiposo e em forma de triacilglicerol, ou seja, GORDURA! O lado não tão doce da frutose ainda, hoje é conhecido e equiparado a uma toxina. Mas, claro, não estamos falando das frutas em si, mas sim, da frutose, naturalmente presente nesses alimentos, apesar de que, se bem pararmos para olhar, pesquisas revelam que nossa maior fonte de frutose hoje, chega a não ser as frutas, mas, alimentos processados que contam com a adição ou de frutose ou de compostos que levam frutose. Entretanto, não podemos desconsiderar quaisquer tipos de fontes desse carboidrato.

    O consumo das frutas

    As quantidades de frutas que devem ser consumidas diariamente, segundo uma das referências mais recentes de pirâmide alimentar, propõe o consumo de, em média 2 copos de frutas por dia. Entretanto, a pirâmide alimentar brasileira propõe 3-5 porções de frutas por dia. E em cada referência que buscarmos, provavelmente encontraremos um novo valor e uma nova proposta. Assim, entendemos em primeiro lugar que a variação das quantidades de cada referência estão para de acordo com a sua população. Mais precisamente, cada indivíduo apresentará uma necessidade (ou não) de específicas quantidades e/ou porções. Além disso, deve-se saber que essas pirâmides estão longe de ser aplicáveis aos desportistas e, quem dirá ao atleta profissional. Aliás, mais precisamente a nós praticantes de musculação que necessitamos de uma dieta extremamente precisa, elas se quer devem ser levadas em consideração.

    No caso do praticante de musculação, não vejo o porquê, a grosso modo, de excluir por total as frutas da dieta, podendo até, na maioria dos casos, seguir os protocolos sugeridos pelas instituições mundiais de saúde. Entretanto, cabe-nos falar que, o excesso também não é conveniente, assim como para as demais pessoas. Já se tratando do esporte profissional ou avançado, o consumo, além de mais moderado ainda, deve atender algumas condições específicas, que é o que leva o nome deste artigo, ou seja, algumas frutas são mais indicadas ao atleta de musculação, quando comparadas a outras.

    Para que possamos entender de uma forma um tanto quanto mais dinâmica, a lógica a qual quero transmitir, vamos separar as frutas em 3 grandes grupos generalizados: As que não são boas para o praticante de musculação, as medianas e as que são boa escolha e características para nossas necessidades.

    Frutas ruins, médias e boas para o praticante de musculação

    Primeiramente, o impacto que o consumo de algumas frutas traz ao nosso organismo tornam-se suficientemente capazes de nos fazer NÃO optar por elas. Este é o caso de frutas, tais quais as que possuem alto índice glicêmico, aliado a poucas calorias, altos teores de carboidratos (o que eleva ainda mais o impacto glicêmico da refeição), baixa quantidade de fibras e/ou lipídios, entre outros. É o caso de frutas, como a melancia, a laranja, o mamão, manga, a própria maçã etc. Essas frutas, além de possuírem um, mais de um, ou todos os itens anteriormente citados, ainda contam com a presença de teores reativamente altos de quem mesmo? Aquele que imaginou ou, com convicção, respondeu “frutose”, acertou. Não quero ser cético e extremo o suficiente para dizer que devamos abolir essas frutas de nossa alimentação, mas, quanto menos pudermos consumi-las, então melhor será.

    Mais alguns exemplos de frutas ruins para o praticante de musculação: Manga; Laranja; Mamão; Caqui; Jaca; Lima da Pérsia; Cajá; Tangerina; Uva Itália; Tamarindo e Mexerica.

    frutas-para-praticante-de-musculacao

    Cupom de Desconto DDM

    Da mesma forma, existem frutas medianas para os praticantes de musculação. Esse é o caso de frutas que, apesar de também apresentarem algumas certas desvantagens, podem acrescentar também alguns pontos interessantes ao nosso cardápio, otimizando assim o aproveitamento e/ou o fornecimento de nutrientes/propriedades interessantes e que as fazem valer a pena, mesmo com seus malefícios. É o caso da banana (preferencialmente se não estiver extremamente madura), da acerola, kiwi, da pera, entre outras. No caso da banana, por exemplo, apesar dos níveis altos de açucares, inclusive, entre eles a frutose, temos a presença de níveis consideráveis de potássio, mineral extremamente importante para INÚMERAS funções metabólicas e fisiológicas no corpo, presença de amido resistente, um valor energético interessante para quem necessita de uma dieta alta em calorias, entre outros. Essas frutas são ainda mais convenientes, quando consumidas e/ou integradas em momentos com outros nutrientes adequados, a depender, claro e, novamente, das necessidades individuais. A acerola é um bom exemplo de frutas que, apesar da baixa densidade energética, do IG relativamente alto, entre outros, possui um ALTÍSSIMO teor de vitamina C, podendo então ser consumida em momentos onde há presença de Ferro não-heme (com a finalidade de quelarmos o Ferro, otimizando sua absorção nos devidos canais do intestino), na primeira refeição (caso esta não possua cálcio em quantidades elevadas).

    Exemplos de frutas medianasBanana; Uva passa; Ameixa; Acerola; Morango; Melão; Melancia; Kiwi; Pera; Maça vermelha; Goiaba; Fruta do conde e Abacaxi.

    Por fim ainda, temos algumas frutas que merecem bastante atenção pelos seus inúmeros benefícios que, praticamente superam todo e qualquer malefícios. Frutas essas que, podem ser descritas de uma forma: “Frutas vermelhas + Abacate”. Isso mesmo: Para aquele que achava que morangos e cerejas eram frutas que só serviam para dar na boca da (o) namorada (o), já pode acrescentar benefícios extras a esse grupo alimentar e inseri-los no carrinho de compras. Mas, por quê frutas vermelhas e abacate? Primeiramente, pelo alto valor nutricional que proporcionam ao corpo em termos energéticos e/ou nutricionais, Por um lado, uma fruta extremamente calórica, tal qual o abacate, seja ele o Califórnia ou avocado, seja ele o Flórida, como é mais conhecido, encontrado e consumido no Brasil, além de ser mais barato. Entretanto, apesar de ser extremamente calórico, mais da metade dessas calorias são provenientes de lipídios e, lipídios insaturados e ricos em ácidos graxos essenciais. Seus carboidratos que, naturalmente teriam baixíssimo impacto glicêmico pela quantidade de fibras presentes no produto, causam ainda menos impacto, na medida em que o alto teor lipídico presente nesse alimento, faz com que o efeito deles sobre a glicemia seja ainda menor. Além do abacate, temos ainda o damasco e o pêssego, frutas de baixo índice glicêmico e, baixo impacto glicêmico, ricos em fibras, com sabor ímpar, incrementando não só seu consumo isolado, mas em saladas e outras preparações. Mas, preste sempre atenção nessas frutas secas, pois, costumam ser altamente densas em calorias, ou seja, para aquele que busca uma redução de gordura corpórea, o consumo abusivo é uma verdadeira cilada.

    O açaí, assim como o abacate, possui altíssimo valor energético, porém, calorias essas que não são vazias: Altíssimo teor de fibras e antioxidantes, lipídios insaturados, importantes para a saúde cardiovascular, entre outras funções. Entretanto hoje, é difícil acharmos o açaí in natura, puro. Normalmente o que se encontra são mesmo polpas adicionadas de sacarose ou outro açúcar/composto glicídico, como xaropes ou até mesmo de outras frutas. Então fique de olhos abertos. O açaí puro e natural é benéfico, já estes industrializados, nem tão bons.

    Porém, por outro lado, temos frutas com baixíssimo valor calórico, que é o caso das frutas vermelhassem geral, incluindo blueberries ou mirtilos, cranberries, cherries, blackberries, raspberries, entre outras mais consumidas e conhecidas no Brasil como o próprio morango. Principalmente, se compararmos à maioria das frutas como a banana, a jaca, a uva, a laranja, a maçã, seu valor energético é quase a metade do dessas frutas citadas, na mesma porção. Apesar desse baixo valor energético (o que as tornam bastante conveniente para aqueles que estão com o saldo energético da dieta diminuído, visando a perda de peso), essas frutas vermelhas fornecem, em primeiro lugar, altíssimas quantidades de fibras alimentares, vitaminas, sais minerais e, porque não dizer ótimo sabor também, afinal, desconheço pessoas que não gostem ou pelo menos não consideram comer uma cereja, uma framboesa ou qualquer coisa do tipo. Entre essas vitaminas, estão algumas antioxidantes, em especial o ácido ascórbico. Mas, falar de vitaminas e minerais para frutas é basicamente como falar sobre a importância da proteína para a síntese do tecido muscular, ou seja, algo repetitivo, por isso, iremos além com as ótimas vantagens que elas apresentam:

    Frutas vermelhas, por exemplo, estão associadas ao licopeno e ao betacaroteno, presentes também em alimentos como o tomate e em baixas quantidades na melancia, que combatem doenças cardiovasculares e agem como potentes antioxidantes; possuem, como por exemplo, no caso das raspberries substâncias e cetonas que cada vez mais vem sendo aprovadas e utilizadas em auxílio a redução da gordura corpórea (tanto que hoje, cada vez mais vemos produtos termogênicos que possuem essas cetonas em sua composição); auxiliam no sistema imunológico; atuam na redução dos níveis de LDL; possuem, na maioria dos casos baixo índice glicêmico e impacto glicêmico também, promovendo um melhor controle sob a glicemia, entre outros tantos.

    Outros exemplos de boas frutasAvocado; Blueberry; Raspberry; Blackberry; Gojiberry; Açaí; Abacate; Pêssego; Coco; Cacau; Figo; Cereja; Maça Verde e Grapefruit.

    Frutas vermelhas são boas para praticantes de musculação

    Conclusão:

    Assim como não existe um suplemento que possa ser considerado melhor, um protocolo de treinamento que possa ser melhor, uma recomendação hídrica que possa ser melhor quando comparamos uma modalidade esportiva com outra e, tampouco um indivíduo com outro, visto que, o melhor, na verdade, será o que melhor se adaptar a ele, também não existe um alimento ou tampouco uma fruta que seja melhor ou pior para o praticante de musculação.

    Entretanto, apesar desse fator, algumas frutas mostram-se mais eficazes para o que buscamos dentro de um dieta de bodybuilder do que em dietas de outras modalidades.

    Portanto, não faça a besteira de “comer por comer”, mas sim, estude e saiba o que você está ingerindo sempre!

    Estas e outras dicas sobre alimentação você pode encontrar no livro: Guia de Alimentos e Suplementos Para Ganho de Massa Muscular. Para conhecer melhor as funcionalidades deste livro e caso tenha interesse, adquiri-lo, basta clicar aqui.

    É importante deixarmos claro que, não quero julgar quaisquer tipos de alimentos colocando-os como melhores ou piores do que outros, afinal, cada alimento possui suas propriedades específicas, seus benefícios e quando consumidos da maneira e nas porções corretas, terão ótimos benefícios, assim como, se consumidos erroneamente, certamente ocasionarão algo que não é de quaisquer aspecto pelo qual esperamos ou buscamos. Portanto, o que o artigo propor é mostrar que certos alimentos podem ser mais vantajosos a determinadas pessoas ou públicos que buscam específicos objetivos, sendo apenas, então, mais convenientes.

    Boa alimentação!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon

    15 Comentários

    1. Marcio Andre 3 meses atrás
    2. Wesley Matias Moura 10 meses atrás
    3. Leandro 2 anos atrás
    4. Marco 2 anos atrás
    5. Wag 2 anos atrás
    6. roberto braga 2 anos atrás
    7. Juréia Adriani 3 anos atrás
    8. Rui Fortes 3 anos atrás
    9. Fabiano 3 anos atrás
    10. Felipe 4 anos atrás
    11. felipe 4 anos atrás
    12. Alan Massena 4 anos atrás
    13. Leandro Souza 4 anos atrás
    14. Tiago 4 anos atrás
    15. Luciano Piccoli 4 anos atrás


    /* */