• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça 3 erros cruciais no treinamento de peitorais

    Conheça 3 erros que são cometidos por muitos praticantes de musculação quando vão realizar o treino de peitos e corrija-os, caso você também os cometa.

    Popularizado por anos como o famoso “treino de segunda-feira” ou mesmo entre os treinamentos mais esperados na semana, o treino de peitorais possui propriedades as quais fazem jus a sua importância. É através dele que concretizamos boa parte de nosso tronco, tanto em volume, quanto em simetria, demonstrando assim um shape realmente trabalhado.

    Erros no treino de peitorais

    Comprar suplemento Caseína da Probiótica

    O treinamento de peitorais talvez seja o treinamento mais popular entre todos os outros. Com exercícios básicos, esse vem sendo um dos treinamentos os quais mais recebe ênfase entre os homens e maior admiração entre as mulheres. Porém, apesar de todos esses conceitos benéficos, esse também é um dos treinamentos os quais mais requer cuidados e, infelizmente, é um dos treinamentos mais negligenciados e causadores de lesões, em inúmeros aspectos. Portanto, hoje conheceremos 3 desses erros e propostas simples para corrigi-los de maneira eficaz.

    1- Entrelaçar os polegares na barra de supino

    Não é atípico ver alguém travar em um exercício qualquer, em especial os de peitorais. Por ser assim um grupamento tão preciso e tão facilmente acometido de erros cruciais, esse também é um grupamento que merece cuidados extras, afinal quaisquer acidentes podem significar SÉRIOS danos. Assim, não seria possível iniciar sem falar de um dos maiores e menos observados erros que podem ser vistos nas academias de musculação, em especial no treinamento de peitorais. Erro esse que é falado por grandes atletas há anos para não acontecer e, infelizmente, ainda acontece.

    Pegada com os polegares entreleçados

    Entrelaçar os polegares na barra de supino pode significar inúmeros prejuízos no movimento. O primeiro deles é referente à segurança, que é um dos aspectos mais priorizados no bodybuilding profissional, justamente porque nenhum atleta quer sofrer uma lesões e ficar fora de campeonatos. Desta forma, realizando o entrelace dos dedos, resultamos em chances de desequilíbrios com a barra, o que pode resultar em um tombamento da barra para a região do pescoço.

    O segundo prejuízo que temos é um maior recrutamento dos deltoides e um menor recrutamento dos tríceps e mesmo do peitoral maior. Perceba que a tendência dos braços é abrir e projetar os ombros para cima quando realizamos esse entrelace.

    O correto é a realização da chamada pegada “thumbless”, a qual envolve o dedão juntamente com os outros dedos na barra, sem entrelaçá-lo. Ao realizar esse tipo de pegada temos uma maior segurança contra possíveis acidentes, trazendo um melhor equilíbrio e estabilidade da barra, conseguimos uma projeção maior dos ombros para baixo, um melhor fechamento dos cotovelos e um melhor trabalho dos peitorais e dos tríceps.

    Pega sem os polegares entrelaçados

    Perceba que se houver quaisquer desequilíbrios, no primeiro caso, a tendência de força será aos deltoides, podendo acometer o manguito rotator. Diferente do segundo caso, onde muito provavelmente a barra não corre o risco de rolar para trás por seu travamento e os riscos serão bem reduzidos.

    Portanto se você comete esse erro em seu treino, faça um favor a você mesmo de corrigi-lo. Além de se livrar de possíveis lesões, irá conseguir concentra o treino de peitos, nos peitorais.

    2- Não realizar o aquecimento próprio para peitorais

    Você sabe qual é uma das lesões mais frequentes que observo no cenário da musculação, em especial masculina? Para quem pensou nos problemas de articulações e ligamentos de ombros, bem como rupturas nos peitorais, acertou em cheio!

    Que aquecer o músculo é algo fundamental você já deve estar careca em saber e não há porque tocar em uma mesma tecla demasiadamente. O aquecimento proporciona a musculatura inúmeros aspectos benéficos para que ela possa trabalhar de maneira máxima e com uma relativa segurança. Treinar quaisquer músculos sem proporcionar-lhes o devido aquecimento é um quesito ímpar para adquirir contratempos e diversos problemas. Contratempos esses que variam desde a falta de resultados até mesmo a lesões e a saída permanente do esporte, sem quaisquer exageros!

    Cupom de Desconto DDM

    Mas existe algum aquecimento que seja específico para os peitorais? Bem, costumo dizer que NÃO um aquecimento especifico, mas sim formas que contemplam melhor e mais convenientemente o grupamento em foco. Isso porque, quando aquecemos devidamente a musculatura alvo, respeitando suas condições naturais e fisiológicas, estamos proporcionando resultados como calor adequado, devido ao sangue bombeado para o local de trabalho, o qual causa a expansão natural do tecido muscular. Essas fibras musculares devidamente expandidas possuem efeitos extremamente benéficos, uma vez que a movimentação ampla dependerá de sua elasticidade.

    O treinamento de peitorais requer um aquecimento muito mais preciso e que possa não só gerar os efeitos clássicos gerados pelo aquecimento, como o calor, mas que também possa preparar a musculatura para séries mais pesadas. Isso quer dizer que além de promover calor ao músculo, extensão maior em suas miofibrilas e flexibilidade, ainda devemos preparar o músculo com a implementação progressiva de carga, isso é, aumentando pouco a pouco a carga até que a mesma chegue nas condições máximas almejadas. Muitas pessoas por fecharem sua série com 180kg e 8 repetições, acham que devam aquecer a musculatura com 100kg no supino, o que é um grande erro. Não importa a carga que você levante ao final do treino, você deve aquecer pouco a pouco e ir preparando a musculatura para então receber cargas altas.

    Pode-se pensar em um aquecimento realizado com 3 séries submáximas quase sem carga e repetições rápidas e explosivas (a fim de gerar calor através do bombeamento de sangue) e 2-3 séries de preparação para cargas mais elevadas. Logicamente, tudo isso irá depender do volume de seu treinamento, bem como a divisão do mesmo e sua individualidade fisiobiológica, o que é quesito fundamental para decidir por um ou outro aquecimento. Lembre-se ainda que apesar dessa necessidade de aquecimento, você não deve deixar que músculos auxiliares como o tríceps entrem em exaustão (e eles entram muito facilmente).

    3- Auxílio demasiado de parceiros de treino de peitorais

    Em algumas academias, segunda-feira é o dia do encontro dos “amigos da balada” que decidem tomar o horário das 18:00h às 21:00h na região dos equipamentos para trabalhos de peitorais a fim de realizar o que eles chamam de “treinos em conjunto” e também contar um pouco sobre seu final de semana. Assim, começam também a auxiliar um ao outro nos supinos, tentando série a série erguer mais carga em duas pessoas… Opsss… Espere! Em duas pessoas?

    Isso mesmo! O treinamento de peitorais para muitos outros indivíduos parece ser sinônimo de egocentrismo em erguer carga. Diferentemente de outros grupamentos musculares, o treinamento de peito exibe uma configuração o qual o torna passível de ser ajudado por inúmeros aspectos. O fator principal para tanta ajuda é a facilidade para auxiliar, pois basta impulsionar a barra de supino para cima ou auxiliar a fechar os braços do parceiro nos crucifixos e etc.

    Parceiro ajudando no treino de peitorais

    Apesar de o auxílio no treinamento de peitorais ser necessário, pois expressa um alto grau de risco e de possíveis acidentes, esse auxílio não deve ser sinônimo de realizar o exercício para o companheiro, mas sim proporcionar maior segurança e confiança para que execute o exercício tranquilamente, enfocando aonde necessário. Essa ajuda não requer grande ciência, mas deve apenas ser capaz de proporcionar o ESSENCIAL para o seguimento do exercício em sua fase final.

    Portanto, ao escolher seu parceiro de treino fuja dos seus colegas, caso você seja um “malhador de segunda-feira”. Procure gente capacitada e qualificada, que possa deixar você realizar um treinamento realmente máximo. Lembre-se ainda que a carga não quer dizer absolutamente nada. Você não estará fazendo bom trabalho, erguendo 40Kg de cada lado no supino com alguém te ajudando desde a PRIMEIRA repetição, não é mesmo?

    Conclusão:

    Podemos perceber que esses 3 erros são cometidos por cerca de 60% dos praticantes de musculação. E estes mesmos 60% são os que menos tem resultados em seus treinamentos. Por isso, aprender alguns erros nos treinamentos é essencial para que você possa corrigi-los e progredir em seu treino e objetivo.

    Corrija-os e avance. Você pode mais, só depende de você.

    Conheça outros erros cometidos nos treinos de peitorais: http://dicasdemusculacao.org/conheca-3-erros-no-treino-de-peito-e-nao-os-cometa/

    Bons treinos!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)



    /* */