• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça 3 erros na rosca alternada e saiba como corrigi-los

    A rosca alternada é um exercício para estimular o bíceps braquial, porém muitas pessoas acabam por executá-lo de forma errada. Conheça 3 erros e aprenda a corrigir!

    Comprar suplemento ZMA da Xcore Nutrition

    Depois da rosca direta, pelo que não me falha a memória, a rosca alternada é um dos exercícios mais conhecidos e utilizados na musculação para o desenvolvimento do bíceps braquial. Porém, como todo exercício taxado, alguns vícios aparentemente certos podem atrapalhar seus resultados. É importante então, conhecer esses erros e procurar corrigi-los para então fazer um trabalho mais eficaz e com menores chances de algum tipo de lesão.

    1 – Rotacionar demais o tronco

    [ad#2]Este erro, normalmente acontece tanto quando realizamos o exercício sentado quanto em pé. Obviamente quando estamos com uma carga relativamente alta, fica difícil manter o tronco estático no movimento concêntrico do exercício. Aliás, grandes profissionais que utilizam de carga alta comprometem uma parte do exercício a fim de gerar uma sobrecarga tensional maior e a fim de possibilitar um melhor trabalho na fase excêntrica do exercício. Mas, algumas pessoas exageram na dose de instabilidade. O primeiro motivo é pegar uma determinada carga na qual ela não está apta para pegar. O segundo deles e, talvez mais demorado a se corrigir é algum enfraquecimento ou falta de fortalecimento nos músculos estabilizadores do tronco como o abdome, os músculos lombares e até mesmo os eretores da coluna.

    Geralmente associado com essa rotação, estão os famosos trancos que fazem com que a coluna fique em posições anatomicamente não convenientes para tal.

    Tente deixar os joelhos semi-flexionados e o tronco o mais estável possível, otimizando o trabalho dos bíceps, que são o alvo e não do corpo inteiro.

    Cupom de Desconto DDM

    2 – Utilizá-la sempre como “o segundo exercício”

    Para os que não gostam muito de variar no treino, este pode ser um grande problema. O que normalmente observamos na academia são que as pessoas começam com exercícios com barra para os bíceps e só depois partem para os halteres. Trocando em miúdos, começam com a rosca direta e logo em seguida a alternada. Mas, porque não iniciar alguns treinos com a rosca alternada, depois concentrada e, pasme, deixar a rosca direta por último? A importância de se realizar trabalhos prioritariamente com a rosca alternada não é só questão de estímulo, mas também ajuda com que desníveis musculares de um lado para o outro ou até mesmo as velhas assimetrias tendam a diminuir. Além disso, o controle neuromuscular é ativado de outra maneira, conferindo formas diferentes de estabilidade ao corpo e aos braços.

    3 – Trabalhar mais os deltóides do que os bíceps

    Isso mesmo! Tanto a rosca direta quanto a alternada, trabalham um pouco dos deltóides anteriores. Por sua biomecânica, esse exercício possui sinergia com os deltóides posteriores. Mas, isto simplesmente não quer dizer que eles devam ser de fato o grupamento trabalhado. Porém, isso normalmente ocorre quando deslocamos a articulação do ombro no sentido posterior-anterior (no eixo anteroposterio) na flexão dos cotovelos, no eixo latero-lateral. Isso faz sim com que os bíceps sejam ativados, mas em menor escala do que se projetássemos um pouco a articulação do ombro pra trás e movêssemos apenas a articulação do cotovelo, fazendo a flexão e isolando por completo os bíceps.

    Indo um pouco além usemos a rosca alternada sentado como exemplo. Se projetamos o banco em 45º para trás (realizando a famosa rosca 45º) vemos uma projeção dos cotovelos no sentido Antero-posterior e então percebemos que o exercício se dificulta, justamente porque jogamos a carga de fato nos bíceps e deixamos o deltóide em plano de menor recrutamento.

    Conclusão

    A rosca alternada é um ótimo exercício, porém, com cuidados básicos conseguimos formas de execução que as tornam ainda mais eficaz aos bíceps.

    Artigo escrito por Marcelo Sendon

    4 Comentários

    1. Doug 9 meses atrás
    2. davy 3 anos atrás
    3. davy 3 anos atrás
    4. Romney Dantas 5 anos atrás


    /* */