• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça 3 exercícios que você deve utilizar com menor frequência nos treinos

    Conheça quais são os 3 exercícios que devem ser utilizados com menor frequência nos treinos de musculação e garanta um treino sem riscos ao seu corpo.

    A musculação possui inúmeros exercícios, este numero é realmente tão grande que não caberia em um post para falar só deles. Dentro destes exercícios existem aqueles que são de simples execução e os que são complexos, aqueles que podem auxiliar de maneira simples e eficaz e os que podem gerar alguns problemas que variam desde desconfortos e trabalhos submáximos na musculatura alvo, até mesmo lesões, dores e ineficácia nos treinamentos.

    exercicios-que-deve-utilizar-com-menos-frequencia

    Comprar suplemento Caseína da Probiótica

    Neste artigo iremos conhecer 3 destes exercícios que podem gerar algum tipo de problema e são mais complexos, exercícios estes que você pode usar com menos frequência em seu treinamento.

    1- Desenvolvimento para ombros com barra por trás

    O desenvolvimento para ombros, seja com barras, halteres ou até mesmo em máquinas, são exercícios básicos da musculação e básicos para a construção de ombros grandes, fortes e definidos.

    Entretanto, entre as inúmeras variações possíveis deste exercício, nos deparamos com a variação a qual propões a utilização da barra por trás da cabeça. A grosso modo, até consegue-se um isolamento maior dos deltoides realizando esse movimento, mas ao mesmo tempo iniciam-se também princípios biomecanicamente não convenientes, ou seja, que forçam o corpo a utilizar de artifícios biomecânicos os quais podem ser extremamente prejudiciais.

    arnold-desenvolvimento-por-tras-da-cabeça

    O desenvolvimento com barra por trás causa não só uma compressão articular muito grande nos ombros, mas também uma compressão no manguito rotator. Além disso, esse é um exercício extremamente instável, o qual pode ocasionar a ruptura dos deltoides, fraturas e deslocamentos em casos de acidentes ou em casos de desequilíbrios para trás com a barra.

    Esse é um exercícios evitado por profissionais, principalmente que possuem a linha dorsal maior. Além do desconforto natural que o exercício já propõe, ainda caímos nos supracidados.

    Portanto, prefira exercícios de desenvolvimento com a barra sempre pela frente ou com a utilização de halteres, o que torna mais biomecanicamente aceitável o movimento em questão.

    2- Puxada para dorsais por trás da cabeça

    puxada-dorsal-tras-da-cabeca-nuca

    Mais uma vez caímos em um exercício com um poder de isolamento extremamente grande, mas que infelizmente gera uma compressão articular muito grande nos ombros.

    Até mais do que o desenvolvimento para ombros com barra por trás, esse é um movimento o qual concentra não somente a carga na hora da compressão, mas concentra a força que estamos fazendo. Se utilizada uma carga alta, é possível que o indivíduo tenda a comprimir ainda mais os ombros e usá-los ainda mais no movimento, causando um problema ainda maior.

    Cupom de Desconto DDM

    É engraçado, entretanto, como esse é um dos exercícios mais passados para iniciantes em academias de musculação. Com o ceticismo dos “problemas de coluna”, muitos acreditam que o pulldown pela frente é mais prejudicial pelas chances de ocasionar roubos com a região lombar. Entretanto, se esquecem do tremendo esmagamento da coluna vertebral que pode ocorrer com o movimento sobrecarregado por trás da cabeça.

    Portanto, prefira as variações do exercício pela frente, em máquinas ou mesmo com outros acessórios como o triângulo, a barra romana e outros.

    3- Hiperextensão no Smith Machine

    Esse é um exercício um tanto quanto desconhecido, principalmente entre o público masculino, entretanto, é um dos exercícios prediletos entre as mulheres que acreditam ser possível diminuir a região da circunferência abdominal realizando inúmeras, milhares e intermináveis séries de hiperextensão lombar (hiperextensão de tronco).

    Esse exercício, basicamente constitui-se em posicionar-se abaixo da barra guiada no Smith Machine com a mesma apoiada na região da púbis. Normalmente, para não machucar, colocam então alguma almofada ou colchão e começam a realização do movimento. A grosso modo é um movimento de “coito” masculino o qual eleva a barra. Normalmente, as pessoas que realizam esse exercício o fazem em cima de um banco reto ou mesmo de algum outro colchão.

    Esse exercício, aparentemente inocente, é extremamente desnecessário e é um grande princípio para gerar lesões. Em primeiro lugar, o próprio desconforto da barra apoiada na púbis, que normalmente é osso, o que é minimizada com um colchão que pode acabar por gerar sobrecargas na região por “não perceber o peso” que se está aplicando em tal.

    hiperextensao-lombar-smith-machine

    Em segunda lugar, avaliamos que o próprio apoio é muito instável. Este, certamente pode gerar algum desequilibro e fazer com que a carga recaia de mal jeito sobre o tronco, ocasionando uma torção ou algo do gênero. Podemos ainda dizer que esse é um exercício o qual pode deixar o praticante literalmente travado em caso de falha, pois a tendência será a barra descer e impedir seu levantamento sem auxílio de alguém, deixando-a travada entre a barra e o banco.

    Além de todos os aspectos mencionados, esse é um exercício o qual não possui lá grande eficiência no trabalho, seja na região abdominal ou de outra qualquer. Muito mais seguro e eficaz seria a realização de levantamentos terra ou mesmo hiperextensões tradicionais na hiperextensora. Esses, recrutarão muito mais fibras e muito mais controle do corpo quando comparado a esse que chamo de “uma das invenções baratas de mercado”.

    Conclusão:

    Não existe necessariamente um exercício proibido na musculação, mas sim alguns que devem por algum motivo geral ser evitados, a fim de não gerar contratempos como lesões e riscos de acidentes.

    Entretanto, mais do que quaisquer restrição de exercícios, deve-se precisamente avaliar as condições e necessidades individuais do usuário de X ou Y exercício. Lembre-se que em funções anatômicas e biomecânicas a individualidade biológica grandemente perdura e é um grande indicador do que pode ou não ser melhor para esse ou aquele indivíduo.

    Tenha sempre cuidado, busque conceitos gerais e individualize-os a si cada vez mais, otimizando sempre os seus resultados!

    É importante lembrar que estes exercícios não são considerados errados nem tampouco proibidos, mas sim consideremos uma menor frequência de uso dos mesmos, propondo uma utilização quando devidamente necessário e possibilitando assim um trabalho seguro e eficaz com diferentes estímulos no músculo.

    Bons treinos!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)

    3 Comentários

    1. Betão Marcatto 3 semanas atrás
    2. amauri zanellato 1 mês atrás
    3. Stewiee 3 anos atrás


    /* */