• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça 4 motivos que não deixam seus abdominais aparecerem

    Conheça alguns motivos que podem estar atrapalhando a conquista do tão sonhado abdômen de 6 gomos.

    Os músculos abdominais no século 21, talvez estejam entre os mais valorizados e buscados nas academias de todo o mundo, seja no corpo masculino ou no corpo feminino. Representando aspectos não só de beleza, mas também de funcionalidade, aparência de bom percentual de gordura e de bom cuidado com a estética própria, esses músculos cobiçados a demonstrarem perfeita simetria e definição são também o platô de muitos indivíduos os quais sonham em tê-los, mas por motivos diversos não conseguem.

    abdomen-trincado-homem-e-mulher

    Apesar de ser muito buscado, esta é uma parte do corpo que tem uma relativa dificuldade em conseguir. Se pararmos para pensar todos dentro da academia buscam os tais “6 gomos da barriga”, mas poucos realmente conseguem chegar neste nível. Entre os muitos motivos existentes, alguns podem ser citados como a frequência, tipo de treino, formas de execução de exercícios, percentual de gordura, retenção hídrica e outros.

    Neste artigo conheceremos quatro desses motivos, e a partir disso você poder corrigir estes erros e focar na obtenção de bons resultados.

    1: Você possui grande quantidade de gordura abdominal subcutânea

    A gordura é distribuída em suas diferentes regiões em todo corpo humano. A primeira delas é a gordura visceral, presente abaixo da camada muscular, geralmente em órgãos, tecidos mais internos e outros. Apesar da importância de termos um pouco desse tipo de gordura, se em excesso pode gerar complicações e problemas em órgãos. A segunda delas, é a gordura marrom ou subcutânea, grandemente presente entre o músculo e a pele. Essa gordura pode grandemente ser observada em bebê e possui funções ímpares e essenciais, como a manutenção da temperatura corpórea, a utilização como fonte energética, o amortecimento de impactos, entre outros.

    Estando normalmente em maiores quantidades, a gordura subcutânea infelizmente prejudica muito a definição muscular, pois para que essa exista é necessário a aparência próxima do músculo com a pele, impedida pela gordura existente. Logo, quanto menos gordura subcutânea uma pessoa tiver maior será a definição muscular do indivíduo. Essa gordura, entretanto, é facilmente utilizada como energia e com uma dieta conveniente, sua redução é totalmente possível.

    De nada adiantará executar abdominais inúmeros, todos os dias, com ou sem peso, em diferentes sistemas e construir bons músculos abdominais se esses estiverem ainda por trás da gordura existente, impedindo seu aparecimento. Portanto, priorize a redução da mesma e não apenas o desenvolvimento abdominal, caso seu objetivo seja ter abdômen aparente.

    2: Seus exercícios abdominais não são variados

    Como quaisquer outros músculos, os abdominais também necessitam de treinamentos adequados, o que envolve também a variação de exercícios. Da mesma forma como trocamos periodicamente os exercícios em todos os grupamentos do corpo, como o peitoral, os braços, os dorsais e etc, devemos também trocar os exercícios do treinamento de abdômen, a fim de propor estímulos e variações diferentes ao mesmo.

    Lembre-se que apesar de praticamente todos os exercícios ativarem o abdômen, pelo sinergismo nos músculos do core, a especificidade em cada uma região é mais do que fundamental. Opte por elevações de pernas em diferentes graus de amplitude e angulação, crunches tradicionais, máquinas, abdominais transversos e outros. E jamais esqueça da inserção de exercícios básicos também como o levantamento terra e o agachamento livre. Eles serão indispensáveis para a construção bruta da linha abdominal, além do fortalecimento das regiões mais internas as quais muitas vezes não são trabalhadas com exercícios tradicionais.

    Você também não deve esquecer exercícios funcionais, eles costumam dar muito certo para a região abdominal por trabalharem a parte interna do abdômen e auxiliarem na estabilização do core, o que contribui também para o bom desenvolvimento de outros exercícios (de todos os outros exercícios).

    3: Você não está treinando suficientemente pesado seus abdominais

    Costumamos treinar todos os grupamentos do corpo com o máximo de carga possível dentro de uma boa execução. Para os que buscam hipertrofia, é clássico o trabalho entre 4-12 repetições, a depender do atleta e do sistema de treino que esteja sendo utilizado.

    Entretanto, quando passamos a treinar grupamentos como trapézio, antebraços, panturrilhas e abdômen, esse trabalho passa a ser diferente, visando repetições bem maiores e a utilização bem menor de cargas. Talvez, por esses músculos possuírem muitas fibras vermelhas, eles demonstram uma tendência para pensarmos assim. Mas, no entanto, devemos saber que eles necessitam de tanto estímulo em cargas quanto os outros grupamentos. Para que possam sofrer um processo adequado de crescimento, seja por hipertrofia ou hiperplasia, a adição de alta intensidade é requerida e fundamental!

    O trabalho com volume pode sim existir para esses grupamentos, mas eles também necessitam de estímulos mais intensos. Isso porque, para que possamos demonstrar uma boa musculatura abdominal, necessitamos também tê-la evidentemente saliente, e se ela não estiver dentro de uma densidade conveniente, pouco adiantará ter percentual de gordura baixo.

    Bella-Falconi-abdomen-trincado

    Portanto, pense que o abdome é como quaisquer outros músculos e realmente treine-os adequadamente, em repetições, séries, exercícios, cargas e frequência de treinamento.

    4: Sua dieta é sempre a mesma

    Quando pensamos na redução de gordura corpórea e no ganho de massa muscular, devemos saber que a dieta é fator primordial para o sucesso ou para o fracasso desses planejamentos. Dessa forma, só pensar em redução ou aumento calórico não resolverá o problema. Também pensar na distribuição das refeições, dos nutrientes e dos alimentos não é suficiente. Mais do que isso, devemos lembrar que o corpo é sistêmico e complexo, e para que possa ser devidamente mantido em condições metabólicas favoráveis, uma gama de nutrientes devem ser disponibilizados a ele, a fim de que possa exercer adequadamente suas funções sem quaisquer tipos de deficiências.

    Se sua dieta é sempre a mesma, caímos no mesmo platô de ter um mesmo tipo de treinamento e entraremos em adaptação. Seu corpo necessita cada hora trabalhar de uma forma, pois facilmente se adaptará a um estímulo. Portanto coma variadamente, proponha dietas com mais ou menos carboidratos, mais ou menos proteínas e lipídios, diferentes tipos de alimentos e etc. Isso favorecerá enormemente todo o aproveitamento do que for inferido e otimizará o metabolismo tanto para o aumento da musculatura abdominal, quanto para a redução do percentual de gordura.

    Por isso, assim como para outros objetivos, varie a dieta, isso é fundamental para conquistar bons resultados com o corpo.

    Conclusão:

    Desejado pela maioria dos indivíduos, o abdômen é um grupamento muscular não tão peculiar quanto pensamos, mas que merece algumas dicas extras para que seu trabalho e seus resultados sejam otimizados.

    Portanto, procure seguir sempre essas dicas e obtenha o máximo de resultados!

    Após ler todo o artigo, conheça mais 6 erros comuns de quem busca o sonhado abdômen trincado: http://dicasdemusculacao.org/conheca-6-erros-de-quem-busca-um-abdomen-definido/

    Bons treinos!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)



    /* */