• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça 7 maneiras de ARRUINAR os seus ganhos na musculação

    Conheça e aprenda a corrigir alguns erros bobos, mas que podem arruinar a obtenção de ganhos na musculação.

    A musculação é um esporte que requer certa dedicação e precisão no planejamento, seja ele dietético ou de treinamento. Um erro que você cometa pode comprometer todo um trabalho, independente de qual seja o seu objetivo. Por isso, estar sempre em busca de novos conhecimentos é necessário.

    maneiras-de-arruinar-treino

    Comprar Suplemento Creatina da Prozis Sports

    Existem erros gerais os quais podem destruir seus ganhos na musculação. Esses erros estão frequentemente presentes em nossa rotina e muitas vezes se quer nos damos conta deles, fazendo com que mais tarde, ao não conseguirmos nossos objetivos, passamos a nos decepcionar conosco e com o esporte.

    Portanto, hoje, conheceremos alguns desses erros e aprenderemos como evitá-los, maximizando ao máximo nossos resultados.

    1- Não seguir um protocolo dietético

    Este é um ato clássico de muitos, inclusive se algumas pessoas que já estão há anos na academia.

    O ato de alimentar-se é indispensável na vida de qualquer ser vivo. É através da alimentação que conseguimos energias e nutrientes suficientes para sobreviver e exercer nossas funções físicas e metabólicas normalmente. Porém, simplesmente comer é muito diferente de “fazer dieta”, afinal, dieta significa hábito de vida.

    alimentacao-em-dieta

    Assim, se seguirmos unicamente nosso instinto, é muito provável que garantiremos sim nossa sobrevivência, mas, não atingiremos resultados na musculação, pois diferente de comer quando se tem fome, nós precisamos comer quando é necessário.

    Se você treina adequadamente, descansa corretamente e mantém bons hábitos de vida (como não beber álcool, não fumar etc), mas não segue um protocolo dietético o qual possa atender suas necessidades, então é provável que seus ganhos não serão bons. Para que eles possam ocorrer adequadamente você deve fornecer o que o corpo precisa, no momento que o corpo precisa e nas quantidades as quais ele precisa.

    Para você que nunca seguiu corretamente um protocolo dietético, certamente se surpreenderá quando começar a seguir.

    Dica para começar uma dieta: http://dicasdemusculacao.org/aprenda-a-montar-uma-dieta-como-um-nutricionista/

    2- Negligenciar a hidratação

    Ao ler sobre hidratação, é comum que pensemos apenas na ingestão de água. De fato, esse é o primeiro fator a ser observado, entretanto existem outros vários fatores que também merece atenção e que necessitam estar inclusos nos protocolos de hidratação, para garantir bons níveis ao corpo.

    Um dos principais deles é a ingestão de eletrólitos, em especial o sódio, o potássio, o cálcio e o cloreto. Esses importantes íons estão fortemente associados a percas na atividade física, assim como em processos que influenciam diretamente nela e da recuperação pós-treino.

    hidratacao-com-eletrolitos

    Em segunda instância, é necessário se importar não somente com a ingestão de eletrólitos e líquidos, mas com o equilíbrio entre eles. Por mais que tenhamos uma boa ingestão de água, se consumirmos eletrólitos demais poderemos apresentar problemas, como retenção hídrica, cálculos renais, hipertensão arterial e outros. Por outro lado, ingerir água demais em uma quantidade média de eletrólitos, pode fazer o corpo entrar em estado de carência de hidratação.

    Portanto, lembre-se sempre do equilíbrio, afinal são esses pequenos ajustes que garantirão aspectos como a manutenção da temperatura corpórea, a não retenção hídrica, a melhora na contração muscular, a melhora na resistência física, na performance em geral e na recuperação muscular pós-treino.

    Aprenda a se hidratar corretamente: http://dicasdemusculacao.org/importancia-da-hidratacao-na-atividade-fisica/

    3- Cortar demais os carboidratos da dieta

    É normal que nos momentos de cutting um indivíduo corte parcialmente a quantidade de carboidratos de sua dieta. Entretanto, essa retirada deve ser parcial e não total.

    Sendo fonte primária de energia, é sabido que os carboidratos são indispensáveis para aspectos como a manutenção de alguns tecidos corpóreos, para melhor síntese de glicogênio, para melhora em secreções hormonais e outros tantos fatores.

    cortando-carboidratos-da-dieta

    Apesar de serem relativamente dispensáveis, ou que podem ser consumidos em baixas quantidades, muitos acabam entendendo isso por simplesmente cortá-los de sua dieta, gerando problemas que podem variar desde hipoglicemias, queda de rendimento, problemas relacionados ao humor, dificuldade na recuperação muscular, entre outros.

    Portanto, não há necessidade de uma bruta ingestão de carboidratos, mas uma ingestão moderada e equilibrada.

    Conheça alguns motivos para você não parar de consumir carboidratos: http://dicasdemusculacao.org/8-motivos-para-consumir-carboidratos/

    4- Utilizar pesos os quais você não suporta e executar os movimentos inadequadamente

    É mais do que praxe ver diariamente pessoas nas academias de musculação executando exercícios de maneira totalmente inadequada. A maioria desses erros está diretamente relacionado a falta de entendimento de biomecânica aliada a um peso inadequado a ser utilizado. Observando nos dias modernos, poderíamos dizer que 90% das pessoas NÃO sabem treinar, e dessas 90%, pelo menos 80% está relacionada com o fator de utilização de pesos excessivos.

    É comum vermos indivíduos usando pesos e executando movimentos roubados, errados, encurtados e de forma grotesca. Grande parte deles SE QUER MOVERIA O PESO se executasse o movimento corretamente.

    pesos-de-musculacao

    Infelizmente, ainda há o grande mito de que o crescimento muscular e a intensidade do treino estão diretamente ligados ao quanto de peso uma pessoa pode levantar, o que é totalmente errado. O crescimento muscular se dá por mecanismos relacionados a supercompensações, ao estresse muscular, estímulos endócrinos e outros tantos aspectos.

    O peso é só uma das formas de estimular o músculo, porém existem muitas outas. Muito mais vale objetivar contrações máximas, técnicas adequadas e execução correta do movimento do que sobrecarregar a musculatura inadequadamente com movimentos incorretos devido a grande quantidade de peso não suportada.

    Assim, pare de colocar um peso que não suporta só para chamar atenção ou “tentar” aumentar a intensidade do treino. Priorize sempre o modo de executar os exercícios.

    Aprenda a crescer mais levantando menos peso: http://dicasdemusculacao.org/voce-pode-crescer-mais-levantando-menos-peso/

    5- Não treinar na mesma intensidade/proporção os membros superiores e inferiores

    É clássico observarmos mulheres que negligenciam a parte superior do corpo, simplesmente por quererem uma ênfase maior na região inferior do corpo, e da mesma forma é comum vermos homens que fazem exatamente o inverso, negligenciando assim o treinamento de membros inferiores.

    A verdade é que o corpo é um sistema e funciona como uma máquina, caso esteja faltando uma peça ou uma estrutura trabalhe inadequadamente fora de harmonia, ocorrerão problemas ou a falta de funcionalidade da máquina.

    treinando-todo-corpo

    É fundamental sabermos que temos de treinar o corpo como um TODO, ou seja, na mesma intensidade e visando o máximo de resultados a cada uma das regiões.

    Lembre-se que isso não é importante apenas para questões relacionadas a estética, mas principalmente a funcionalidade. Se deixamos os membros superiores com desnível comparado aos inferiores, teremos problemas em desenvolver os próprios inferiores, pois em exercícios como o agachamento livre, não teremos estrutura suficiente no tronco para suportar altas cargas. Da mesma forma, se negligenciamos o treinamento de inferiores, teremos dificuldades em exercícios como o desenvolvimento em pé, arranques ou mesmo levantamentos terra.

    Portanto, treine sempre dando o máximo de si em TODOS os grupamentos.

    Leia mais sobre: http://dicasdemusculacao.org/dica-rapida-treine-o-corpo-sempre-por-igual/

    6- Se importar demais com o pós-treino e não se importar com o pré-treino

    Há muitos indivíduos que utilizam inúmeras substâncias, proteínas, aminoácidos, carboidratos e outros itens após o treino, e fazem desse momento o “tão especial do dia”. No entanto, muitas delas se esquecem de um aspecto básico e fundamental que é o momento pré-treino.

    boa-alimentacao-pre-treino

    Talvez mais importante do que o pós-treino imediato, o pré-treino é que garantirá energia durante o treinamento, garantirá controle glicêmico, controle hídrico, entre outros. Além disso, é justamente a refeição pré-treino maiormente responsável por deixar os períodos pós-treino menos catabólicos. Sem que haja uma devida e adequada nutrição pré-treino, você correrá o risco de sofrer danos leves desde a queda de performance a problemas no desenvolvimento dos músculos como um todo.

    Portanto, se você quer se importar com o pós-treino imediato, isso não há problema algum e até será benéfico. Entretanto, jamais negligencie o pré-treino, esse também é importante e garantirá bons resultados no treino e após a ele também.

    Aprenda a fazer um bom pré-treino: http://dicasdemusculacao.org/o-que-comer-antes-do-treino-de-musculacao/

    7- Comparar o seu limitar máximo de treinamento com o de outras pessoas

    Jamais podemos comparar a capacidade de treinamento de uma pessoa com outra, mesmo que elas treinem ao mesmo tempo. As capacidades corpóreas, as condições fisiometabólicas, a biomecânica, as capacidades neuromusculares, entre outras tantas são diferentes de umas para outras. Portanto, é totalmente inadequado dizer que se treina “mais ou menos pesado” do que fulano ou ciclano.

    treino-de-fisiculturistas

    O treinamento máximo e com intensidade máxima requer a quebra dos próprios limites e não do LIMITE DE OUTRAS PESSOAS. Obviamente, queremos sempre uma referência, mas isso não servirá como nada mais do que mero estímulo.

    Você é singular e seu corpo possui particularidades singulares as quais devem ser respeitadas, e o planejamento de treino e de dieta devem estar de acordo justamente com elas.

    Conclusão:

    São muitas as formas as quais você pode arruinar seu treinamento. Na verdade, é muito mais difícil seguir o certo do que o errado. É fundamental que observemos os pequenos detalhes tanto em aspectos nutricionais quanto de treinamento, a fim de não só maximizar os resultados, mas principalmente prevenir os erros.

    Procurar diminuir a quantidade de erros que podem acontecer, aumentando assim as chances de obter os ganhos na musculação. A correção dos pequenos erros é um dos primeiros passos antes de buscar métodos mais complexos. É o básico que consolidará o complexo.

    Lembre-se: Seu corpo é uma máquina individual o qual deve ser devidamente trabalhado como único e respeitando suas corpóreas condições frente aos seus objetivos.

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)



    /* */