• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça alguns fatos sobre personal trainers

    Conheça um pouco mais sobre os personal trainers de nosso Brasil e aprenda a escolher um bom profissional para estar ao seu lado!

    Os personal trainers são pessoas as quais possuem qualificações gerais e/ou específicas para o trabalho ou treinamento de algum dado indivíduo ou mesmo um grupo deles. Hoje no Brasil, para se atuar profissionalmente na área física, faz-se necessário o CREF (Certificado Regional de Educação Física) o qual é adquirido após o término do curso superior em Educação Física, salvo sob casos dos chamados “provisionados” que eram pessoas que até 1998 conseguiam comprovar a prática continua de dada modalidade física e então passaram a poder atuar como instrutores dentro dela. Obviamente, se formos entrar no âmbito de treinadores, veremos que há exceções, como por exemplo, muitos dos técnicos de futebol, basquete ou outra modalidade qualquer, muitos treinadores particulares entre outros tantos casos.

    personal-trainer-explicando-treino

    Apesar dessa mescla intensa, os personal trainers devidamente certificados vem recendo destaque no cenário mundial justamente pela crescente busca pela boa forma física e pela melhora à saúde. Porém, há alguns fatos bastante peculiares que nos deveriam levar as devidas reflexões para que possamos ter um critério coerente na escolha de um desses profissionais ou mesmo no julgamento deles. Vamos conhecer um pouco do cenários dos personal trainers do Brasil, para que assim possamos analisar e escolher corretamente o profissional que nos acompanha.

    1- Os clientes dificilmente estão se importando com a qualificação profissional de quem lhes fornece o serviço

    Não somente no ramo da Educação Física, mas em inúmeros outros ramos, dificilmente as pessoas buscam as qualificações daquela pessoa que lhes fornecerão um serviço. Quem, ao contratar um pintor, seguiu a referência de um amigo ou buscou o curriculum do mesmo? Assim acontece geralmente com os profissional de Educação Física. A grande maioria faz sua clientela por fatores como a indicação, o marketing pessoal, o atendimento “atencioso” ao cliente ou outro fator qualquer, como por exemplo, o físico belo da pessoa.

    Dessa forma, observamos que nem sempre os profissionais mais qualificados são realmente os que possuem maior procura. Você confiaria num profissional que tivesse um corpo inferior ao de outro musculoso e forte para um treinamento de musculação mesmo esse sendo mais qualificado na teoria? É algo difícil de dizer, mas geralmente o “Mr. Músculos” tem caráter de entendimento para si mesmo. Vale a pena considerar que nem toda ciência deve ser desprezada e você deve ter uma diretriz e parâmetros em sua escolha.

    2- Capacitação não é o mesmo que certificação

    Falamos no primeiro tópico sobre a necessidade de haver uma certificação para que tenhamos diretrizes em nossas escolhas. Obviamente isso é importante, mas e quanto aos profissionais de teoria ou aos que simplesmente possuem diplomas e se quer já realizaram um treinamento de musculação? Exato! Muitos são os que possuem livros na estante e pouca prática aplicada em cima disso tudo.

    personal-trainer-durante-treinamento

    É fundamental que possamos avaliar como está sendo o trabalho daquele indivíduo com pensamentos racionais. Deixe de lado toda gentileza dele, o marketing ou outra coisa. Avalie o mais importante que é seu trabalho com seu corpo. Você tem tido progressos? Eles estão sendo suficientes? Você tem se lesionado? Como anda sua qualidade de vida? Esses são fatores primordiais a serem observados!

    Um indivíduo que possui certificação e não sabe atuar na prática, pode ser comparado com aqueles médicos que costumam fazer carnificinas nos hospitais, com aqueles engenheiros que projetam obras que desabam por conta de descuidos com no tipo de solo da construção entre outros. Porém, a pessoa realmente capacitada, é aquela que possui efetivamente a aplicação prática de conceitos teóricos observando sempre as individualidades físicas e biológicas.

    3- Profissionais que realmente amam o que fazem

    Quantas vezes já lhe disseram que para ter êxito em sua profissão, em primeiro lugar deveríamos seguir o que gostamos realmente de fazer? Pois bem, por outro lado, quantas não foram as vezes que lhe induziram a praticar X ou Y profissão simplesmente pela remuneração?

    Obviamente, existem profissões as quais naturalmente são mais remuneradas do que outras. Entretanto, os diferenciais individuais de cada profissional é o que resultarão em seu êxito ou em sua derrota, por mais ou menos remunerada que seja a profissão.

    É fundamental  que possamos entender que quando se faz o que se gosta, naturalmente se busca meios de otimizar aquele trabalho e fazê-lo o melhor possível. E isso é algo indispensável para o sucesso!

    Hoje, as faculdades de Educação Física, bem como de outras disciplinas estão em rodo no mercado. Além disso, a facilidade para entrar, cursar e se formar nas mesmas é evidentemente clara. Isso resulta em indivíduos que “caíram de paraquedas” naquele banco universitário e simplesmente querem ter um curso superior, esquecendo-se que mais tarde estarão lidando com seres humanos e que isso é realmente muito sério e deve ser levado com precisão e respeito sempre.

    Portanto, observe a paixão ou o gosto que o seu profissional escolhido tem pelo trabalho dele. Aliás, há de se duvidar quem simplesmente tenha um “bom corpo” mas não conheça os princípios básicos de um treinamento em X ou Y sistema, não é mesmo?

    4- Os profissionais que buscam a ajuda de “experts” para otimizar o seu trabalho

    Se há algo que deva ser admirado muito em uma pessoa é a sua humildade em entender que ela não sabe de nada (como todos nós) e, constantemente está e necessita aprender. Não é porque você se formou ou mesmo cursou uma pós-graduação que você tenha entendimento total numa área ou tampouco que não necessite mais aprender.

    É fundamental muitas vezes que um bom profissional busque a ajuda de outras pessoas que podem ou não ser profissionais a fim de conhecer melhores métodos, entender um pouco mais a fundo seu trabalho e as devidas aplicabilidades do mesmo e como otimizar todo seu serviço, seja ele de atendimento, de atuação, propriamente dita, entre outras.

    fisiculturista-treinando-com-personal-trainer

    Muitas vezes as fontes que devemos recorrer não são as acadêmicas, mas as que conseguem e vivenciam tudo aquilo na prática. Seria mais fácil aprender a pilotar um avião lendo livros ou praticando ao lado de um piloto experimente?

    Não é, entretanto necessário, ser um real Mr. Músculos para ser expert na área. Hoje, observamos inúmeros treinadores os quais não chegaram a ter corpos tão excepcionais assim e mesmo os que tiveram, hoje já não tem mais. Há nomes como Charles Glass, o próprio Hany Rambod, Dorian Yates, entre outros. Portanto, não se iluda unicamente com a aparência de quem estará assistindo você.

    5- Grande parte dos profissionais personal trainers estão mais preocupados com a sua lucratividade do que com o fornecimento de um trabalho digno ao cliente

    Muitas pessoas entram em um mundo da musculação achando que as coisas são como mares de rosas ou que não necessitarão de esforço para atingir seus objetivos, sejam eles quais forem. Dessa forma, parece desagradável quando um profissional fica a todo instante, milimetricamente corrigindo uma pessoa. A grande maioria das pessoas se sentem incomodadas com isso e acabam achando que é algum tipo de “pegação de pé”. No entanto, não! Se todo profissional realmente atuasse de maneira correta, corrigindo as pessoas, teríamos bem mais resultados nos ginásios, bem menos lesões e bem mais admiração pela musculação.

    Entretanto, justamente para não criar esse conflito, a maioria desses profissionais simplesmente “se adapta ao meio”, ou seja, negligenciam a correção milimétrica, uma vez a musculação sendo algo de precisão. É muito mais cômodo ele garantir sua remuneração daquela aula ou ao final do mês do que parecer chato e perder clientela, não é mesmo? Isso é, quando ele realmente não corrige por negligência, pois, a grande maioria simplesmente considera certos muitos dos erros que acontecem diariamente. É como se, analogicamente, um técnico de futebol estivesse vendo os erros de sua equipe que está perdendo o jogo e não fizesse nada, simplesmente para não causar constrangimento ao substituir um jogador, por exemplo.

    personal-trainer-e-aluna

    Portanto, é sempre importante ter essa atenção por essa negligência. Muito provavelmente aquele profissional que estará no seu pé a todo instante, que estará te importunando para que você mantenha essa ou aquela postura no treinamento, para que você se esforce e dê o máximo de si, é o que melhor está apto para atuar para REAIS resultados!

    Conclusão:

    Há muitas peculiaridades que ocorrem com personal trainers. Entretanto, mais do que isso deve ser nossa capacidade e nosso critério para distinguir quais podem ou não se adequar melhor ao que queremos. Para isso, não podemos nos importar com apenas quesitos relacionados a sua aparência física ou ao seu marketing, mas sim, a sua real capacidade e capacitação que, diga-se de passagem, não envolve apenas certificação.

    Bons treinos!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)



    /* */