• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Conheça 8 dicas para evitar a tendinite em praticantes de musculação

    Conheça algumas dicas que irão lhe ajudar a evitar este problema que atinge a muitos praticantes de esportes, que é a tendinite.

    A tendinite é uma doença mais comum no decorrer dos anos, principalmente atletas. Essa doença ocorre normalmente por fatores externos e internos. Externos, podem ser caracterizados como a seleção de exercícios, a intensidade e duração de cada um desses exercícios, fatores dietéticos de descanso, entre outros.

    O local mais comum pelo qual a tendinite tem presença é no tendão supraespinhoso do punho, originado da cabeça longa do bíceps braquial ao ombro, dando origem a inúmeros outros tendões menores e a terminações nervosas importantíssimas presentes na região.

    tendinite-no-pescoco

    Comprar Whey Isolado VP2

    Essa patogenia é devido a movimentos repetitivos e alta sobrecarga os quais fazem com que o corpo desenvolva condições propensas a inflamações, as quais podem ser agudas, mas podem evoluir para algo serio e crônico, o que destruirá resultados na musculação. E não é a toa que vemos constantemente atletas de altíssimo nível sendo sacrificados ou tendo de parar o esporte por conta desse problema.

    Mas então, como devo me prevenir com a tendinite? É importante conhecermos  alguns pequenos fatores os quais podem nos ajudar a não ter tendência a desenvolver esse mal.

    Entenda mais sobre esta doença, seus sintomas e tratamentos: http://dicasdemusculacao.org/tendinite-sintomas-diagnostico-e-tratamento-desta-inflamacao/

    1- Aqueça adequadamente o corpo

    Todos sabemos que o alongamento e o aquecimento em intensidades grandes pouco e nada são vantajosos antes do treinamento de musculação. Esse procedimento, entre outros, faz com que a temperatura corpórea se eleve e o fluxo sanguíneo local também aumente.

    Comece seu aquecimento no próprio exercício inicial do treinamento. Repetições mais altas e rápidas, cargas relativamente baixas.

    Muitas pessoas acham que o aquecimento é um momento de inserir intensidade, porém NÃO é isso! Além desse protocolo desvalorizar o treinamento em si, ele faz com que o impacto na musculatura seja ineficaz. Portanto, a ideia é gastar o menos possível de energia nesse momento.

    2- Realize alongamentos após a sessão de musculação

    Muitos negligenciam um bom alongamento após uma sessão de musculação. Entretanto, diferentemente do aquecimento feito ao início do treino, esse pode ser um tanto quanto mais intenso e duradouro, ainda mais se tratando de grupamentos grandes e complexo, como as pernas, por exemplo.

    alongamento-pos-treino-musculacao

    Realizar alongamentos após o treinamento de musculação significa não só melhorar a capacidade de diminuição do risco de lesões, mas aumenta a depleção de glicogênio, auxilia na elimina o excesso de ácido lático presente nos músculos esqueléticos, melhora a recuperação, ativa a circulação, entre outros.

    Portanto, não deixe esse fundamental ponto de lado. É preferível perder 10-15 minutos após seu treinamento do que 3 ou 4 meses com uma bela tendinite.

    3- Faça treinamentos iguais para agonistas e antagonistas

    Um dado a ser observado é o de que grande parte de lutadores de modalidades as quais envolvem CHUTES, proporcionam exímios trabalhos na musculação para seus quadríceps, a fim de potencializar o chute. Entretanto, observa-se que eles costumam ter muitas lesões na parte posterior da perna, como nos isquitibiais. Sendo assim, tem-se por conclusão que isso ocorre devido a falta de igualdade de força entre ambos os lados, sendo então o posterior mais prejudicado.

    Portanto, trabalhe adequadamente seus antagonistas e agonistas, sejam eles de membros superiores, inferiores ou mesmo dos músculos do core.

    Entenda mais sobre estes músculos: http://dicasdemusculacao.org/musculo-antagonista-agonista-sinergismo-muscular/

    4- Fique de olho na técnica de execução do movimento e do exercício como um todo

    Muitas pessoas negligenciam a técnica em prol da carga, em prol da autossatisfação ou seja lá o que for… Entretanto, não há um bom médico que não aplique um pouco de suas teorias na hora de uma cirurgia, bem como, não há um advogado que vá ao tribunal sem conhecimento de causa.

    Cupom de Desconto DDM

    Portanto, na musculação não é diferente: Necessitamos de técnicas para realizar os movimentos, para proceder com os exercícios e assim, termos menores riscos de lesões e acidentes.

    Seja sempre esperto e, em caso de dúvidas, pergunte, se informe!

    5- Não treine com cargas máximas em todos os treinos

    Treinar com alta intensidade não é utilizar sempre cargas altas em seu treinamento. É interessante variar, a título de produtividade e recuperação, treinos mais volumosos e com menos carga em treinos com mais carga e menos volume.

    Isso, certamente auxiliará para que desgastes não venham ocorrer tão precocemente e acabem com seus resultados.

    6- Descanse adequadamente

    Sim, muitas pessoas negligenciam o descanso, porém, ele é tão importante quanto o treinamento em si ou mesmo quanto à alimentação. Sim, isso porque a musculação é um esporte o qual exige PRECISÃO! O descanso ainda é um dos fatores mais negligenciados por pessoas que adquirem algum tipo de overeaching ou overtraining, as quais serão grandemente prejudicadas e terão altos riscos de lesão com difícil recuperação (principalmente pelo estado metabólico o qual se encontram)…

    O descanso deve envolver não somente os dias de repouso, mas o respeito pela sinergia dos grupamentos musculares. É a velha historinha de que não é conveniente treinar tríceps um dia após o treinamento de peito ou mesmo bíceps um dia após o treinamento de dorsais.

    Lembre-se que o corpo é um equilíbrio e uma mescla de estímulos. Lembre-se também que ele tem limites os quais devem ser respeitados para o seu próprio bem.

    7- Ingira bons alimentos, em especial os anti-inflamatórios

    Os alimentos em geral são grandes fontes de substratos os quais nos proporcionam os inúmeros aspetos que precisamos para viver.

    Frutas vermelhas são boas para praticantes de musculação

    Alguns possuem propriedades específicas, entretanto, as quais podem atenuar os processos inflamatórios e auxiliar a não termos inflamações resultantes em tendinites e coisas dessa natureza. Por outro lado, alguns alimentos proporcionam eventos pró-inflamatórios, ou seja, que promovem a inflamação. Bons exemplos desse segundo caso são as fontes de ômega-6 (azeite, óleos de gergelim, soja, milho), fast food em geral, entre outros.

    Porém, se tratando dos alimentos anti-inflamatórios, também temos uma boa disponibilidade presentes em peixes ricos em ômega-3 (sardinha de arenque, salmão, atum, cavala etc), frutas vermelhas (as quais são riquíssimas em antioxidantes naturais), entre outros.

    Nutrindo-se adequadamente com o auxílio desses tantos nutrientes e também evitando nutrientes que não nos são convenientes, certamente conseguiremos uma melhor recuperação geral e prevenção de danos.

    8- Respeite anatomia de seu corpo durante a execução dos exercícios

    Uma pessoa que costuma desrespeitar sua própria biomecânica, basicamente luta contra o próprio corpo e pode fazer com que alguns prejuízos venham acontecer.

    Dessa forma, executar CORRETAMENTE os movimentos não é ter de seguir padrões impostos por máquinas, as quais muitas vezes não condizem com a nossa realidade física. O mais correto é que possamos ter uma boa orientação e um acompanhamento devido o qual nos possa tornar capaz de exercer a  máxima intensidade possível com o que podemos fazer.

    É por isso que muitas vezes desconsideramos o uso de máquinas e afins para a realização de alguns exercícios de forma livre. Imagine, por exemplo, um indivíduo que sinta dores no ombro ao executar o desenvolvimento com o Smith (barra guiada). É bem mais indicado que se utilize os halteres nesse exercício. Ou mesmo, um indivíduo o qual não tem grande poder na cápsula articular do ombro: seria interessante propor um pullup pela frente ou nuca? Certamente pela frente, pelo menor impacto na região.

    Portanto, seja sempre fiel com sua biomecânica.

    tendinite-no-pulso

    Conclusão:

    A tendinite pode ser um problema agudo ou crônico o qual traz prejuízos grandes ao praticante de musculação. Entretanto, com disciplina, conhecimento de seu problema, determinação e orientação correta de um bom profissional, ou melhor, de uma gama deles são a chave para a dominação desses problemas.

    Lembre-se ainda de que, pontos como a nutrição e o descanso também são mais do que fundamentais.

    Bons treinos!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)



    /* */