• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Creatina e cafeína combinam no exercício físico? – Pt1

    O uso de creatina e cafeína juntos pode trazer benefícios ou as duas substâncias juntas se combatem? Saiba neste artigo - Pt1

    Um dos assuntos que mais incomodam os praticantes de atividades físicas e que utilizam a suplementação exógena de creatina é sua controversa com a utilização simultânea da cafeína, um outro suplemento ergogênico. Porém, será que de fato há fundamento na hipótese da cafeína inibir os efeitos da creatina?

    banner-bone-crusher-black-skull-300x250

    Para entender melhor o que ocorre, vamos explicar o que é e como cada uma dessas substâncias age no corpo, lembrando que as reações aqui expressas estão extremamente resumidas pois, na prática, os processos envolvem vias metabólicas muito maiores e complexas que, em muitos casos não são nem entendidas por inteiras.

    A creatina é o produto descoberto em 1832 pelo francês Michael Eugene Chevreul, sendo melhor entendida em 1927 por Fiske e Subarrow, quando descobriram através de pesquisas e análises que a creatina fosforiliada era a que exercia de fato papel no metabolismo energético do corpo humano.

    A Creatina endógena (produzida naturalmente dentro do nosso corpo) é o resultado da passagem de um grupo amina da arginina, carreado para a glicina formando assim o guanidinoacetato e a omitina, respectivamente. Então, o grupo metil da S-adenosilmetionina é cessado ao guanidinoacetato. Isso acontece nos rins, fígados e pâncreas (e sua eliminação em forma de creatinina e produtos finais de fosfocreatina, também se dá nos rins), porém, é no tecido muscular que a creatina irá, de fato exercer sua principal função, quando é fosforilada pela enzima CK formando a PCr ou, fosfocreatina. Cerca de 95% dos estoques de creatina inclusive, estão no músculo esquelético, sendo que nas fibras do tipo II, são armazenadas 4 a 6 vezes mais fosfocreatina do que ATP em si.

    Cupom de Desconto DDM

    O papel da creatina é fazer com que o ATP seja mais rapidamente formado do que na glicogenólise (inclusive nos períodos de recuperação), na medida em que, resumidamente, durante o exercício físico entramos em uma reação linear da seguinte forma:

    ADP + PCr <> ATP + Cr

    Além disso, a PCr ainda possui a função de fazer com que o fosfato entre nas estruturas musculares primárias e consiga ajudar na fosforização das pontes de miosina.

    O motivo pelo qual, de fato a creatina melhora a performance de atletas ainda é um tanto quanto controversa. As possibilidades mais aceitas são que a substância provavelmente atrairia água para si, causando retenção hídrica, o que promove melhor distribuição de nutrientes e íons para o músculo e em segundo, que ajudaria também na síntese protéica.

    Sabe-se porém que a creatina é o suplemento mais eficaz hoje encontrado para incrementar tanto desempenho quando aumento de massa muscular.

    A cafeína por sua vez faz parte do grupo dos alcalóides, sendo classificada como metil-xantina, proveniente de fontes naturais desde mais ou menos 600.000 anos a.C. Todavia, sua descoberta foi de fato em 700 a.C na Etiópia em plantas locais.

    Leia  amanhã a segunda parte do artigo que explica sobre a combinação de creatina e cafeína!

    Creatina e cafeína combinam no exercício físico? – Pt2

    Creatina e cafeína combinam no exercício físico? – Pt3

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)



    /* */