Dianabol: Conheça melhor este esteroide anabolizante!

POR -

Conheça melhor o esteroide anabolizante Metandrostenolona, mais conhecido como Dianabol. Saiba quais são seus efeitos colaterais mais comuns, seus riscos, seu uso e sua história.

Dianabol em comprimidos

Dianabol, Dbol, Metandrostenola são três dos nomes da segunda droga anabólica produzida para ser usada de maneira exógena no mundo, logo após a testosterona, durante a segunda guerra mundial, a fim de melhorar a qualidade de rendimento dos soldados da época. Hoje, utilizada entre alguns atletas de diferentes modalidades, essa droga ainda é produzida e extremamente recrutada em ciclos de ganho de massa muscular bruta, os quais visam não só esse aumento, mas o de força e explosão muscular também. Frente a colaterais relativamente baixos, quando comparado a drogas como a trenbolona, ela pode ser uma boa opção de esteroide para primeiros contatos com drogas anabólicas.

Breve histórico do Dianabol

Atletas russos da década de 50, nos jogos olímpicos e em campeonatos mundiais de diferentes modalidades foram os primeiros a utilizar a droga e obtiveram resultados fabulosos. Após isso, em meados de 53, atletas americanos passaram a utilizar a droga, quando o John Zelgler, médico que trabalhava com o a equipe de weightlifting da época, fez uma reprodução da droga e então a denominou de Dianabol, propriamente dita, ao invés de metandrostenolona, seu nome origina frente ao princípio ativo.

Inicialmente, esses atletas utilizavam uma dosagem muito mais baixa de dianabol, cerca de 5-15mg/dia. Mais tarde, os bodybuilders da década de 70 já utilizavam cerca de pelo menos 6 vezes mais do que isso.

O uso da Metandrostenolona

A metandrostenolona pode ser utilizada tanto na forma oral, a qual é mais comum e viável, quando na forma injetável (sendo que, suas primeiras fórmulas injetáveis, eram ainda misturadas com vitaminas do complexo B).

Sendo um 17aa, ou seja, tendo modificações feitas no carbono 17 para que resista ao metabolismo hepático, ela pode apresentar em parte dos usuários, um aumento de pressão arterial, muitas vezes associada a retensão hídrica que traz consigo. Ainda, com doses acima de 80mg/dia, pode apresentar após o ciclo, uma queda na produção endógena de testosterona, GH, FSH (cerca de 40% ou mais), LH e, consequentemente, certa queda de libido.

Sendo uma droga especialmente elaborada para ganho de massa, aumento de força e utilizada em ciclos de ganho bruto em si, efeitos associados a redução do percentual de gordura frente ao seu uso não são características da droga.

O Dianabol é utilizado inicialmente a ciclos de bulking, ou seja, como uma forma de “start up”, como um “chute inicial”, por apresentar ganhos rápidos em pouco tempo.

Combinada normalmente, não com outros (e tampouco muitos) esteroides orais, mas sim injetáveis como o decanoato de nandrolona e a própria testosterona (normalmente com ésters de cipionato, enantato ou blends), a droga é normalmente presente nas 3-8 primeiras semanas de ciclo, não sendo conveniente períodos maiores do que estes pela toxicidade que pode vir a causar, principalmente ao tecido hepático.

Suas dosagens podem variar largamente: Enquanto (na forma oral) indivíduos podem utilizá-la inicialmente em ciclos para “hidratar o plasma” e melhor receber outras drogas, com cerca de 30-50mg/dia, outros podem utilizar até mesmo em dosagens acima de 100mg/dia, o que não costuma ser frequente, mas não pode ser totalmente descartado de questão. Normalmente, suas dosagens mais comuns estão entre os 60-80mg, principalmente em primeiros contatos com a substância por 4 semanas.

Banner Pós-treino Recover X

Essas tomadas são divididas de 6h em 6h se o uso for de forma oral. No caso das aplicações, na forma injetável, elas seguem basicamente o esquema de aplicações dia sim dia não.

Uma outra utilização comum do Dianabol é para pontes entre ciclos, ou seja, alguns usuários de ergogênicos fármacos hormonais, não dão tempos de espaço entre um ciclo ou outro. Neste caso, fazem o que se chama de “bridge”, que é um período de ligação entre um “ciclo” e outro.

Forma do Dianabol injetável

Efeitos colaterais do Dianabol

Por ser um 17aa, fortemente metabolizado no tecido hepático, a primeira característica de efeitos colaterais apresentada pelo dianabol é a toxicidade hepática. Além disso, a metandrotenolona se liga fracamente a receptores androgênicos, sendo assim seus efeitos colaterais mediados não por eles. Sua atividade frente a aromatase é moderada.

O Dianabol é uma droga que apresenta retenção hídrica durante seu uso, mas isso não é algo a se preocupar, uma vez o indivíduo estando em bulking. Aliás, a retenção causada pelo dianabol é expressada por alguns como benéfica para as articulações e também para auxiliar no ganho de força. O mais perigoso no caso da retenção hídrica esta ligada ao aumento da pressão arterial, por isso fique de olhos aberto em sua pressão durante o ciclo.

Colaterais como aumento de oleosidade da pele, acne, queda de cabelo pode acontecer. Não são comuns durante o uso de dianabol, mas é bom que saiba que eles também podem ocorrer. Outros efeitos colaterais que não são comuns, mas não podem ser descartados são a ginecomastia, aumento de gordura localizada e aumento do colesterol.

Alguns dados do Dianabol:

Nome molecular: [17a-methyl-17b-hydroxy-1,4-androstadien-3-one]
Peso molecular: 300.44
Fórmula: C20H28O2
Ponto de fusão: N/A
Produtor: Ciba (Originalmente)
Data de criação oficial: 1956
Dose efetiva: 25-50mgs (doses abaixo de 5mg e acima de 100mg são relatadas)
Meia-Vida: 6-8 horas na forma oral. E entre 48-72h na forma injetável.
Tempo de detecção no corpo: Maior do que 6 semanas
Índice Anabólico/Androgênico (Variação): 90-210:40-60
Hepatotóxica: Sim
Aromatiza: Sim
Converte-se em DHT: Não
Acne: Sim
Retenção hídrica: Sim
Pressão Alta: Sim

Conclusão:

Associado primariamente com o nome de Metandrostenolona, ou do inglês Methandrostenolone, essa droga de origem Russa, mas oficialmente fabricada no EUA, foi uma das drogas mais importantes depois da testosterona e, foi de grande auxílio para atletas nas Olimpíadas que ocorreram na segunda guerra mundial. Aliás, foi justamente ela, a segunda droga anabólica a ser criada depois da testosterona.

Apresentando efeitos colaterais de médio porte, seu uso hoje é feito pelos mais diferentes atletas e esportistas, principalmente visando o aumento de massa muscular e em curto período, assim com o de força também.

Entretanto, em altas doses, o Dianabol pode ser uma droga extremamente tóxica (e de fato já é, por tratar-se de um 17aa) e apresentar uma forte opressão a produção hormonal de LH, FSH, Testosterona e outros importantes hormônios.

Lembre-se: O site dicas de musculação não recomenda qualquer uso de quaisquer substâncias! Consulte sempre um profissional competente. Este artigo é apenas para conhecimento da droga.

Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)


Você curtiu esse artigo?  

Suplementos em promoção

Comente usando seu perfil no facebook


49 comentários em Dianabol: Conheça melhor este esteroide anabolizante!

Deixe seu comentário



Importante
Nós do site Dicasdemusculacao.com, não recomendamos o uso de NENHUM medicamento e/ou suplemento alimentar sem a prévia recomendação de um médico ou nutricionista. Não comece nenhuma rotina de treino sem a supervisão de um profissional da área do esporte. Nós NÃO NOS RESPONSABILIZAMOS por nenhum dano que as informações contidas neste site venha a lhe causar. Usar sem uma consulta a um especialista na área, será colocar a sua vida em risco. Lembre-se disto!
x