• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    O metabolismo dos carboidratos – Glicogênise e Glicogenólise

    Entenda melhor o metabolismo dos carboidratos e aprenda como funciona o glicogênise e glicogenólise

    Comprar Whey Protein Feminino

    Você sabe o que é glicogênise? E glicogenólise? Sabe como isso participa em processos de digestão de carboidratos? Então, conheça um pouco mais sobre a fisiologia do corpo humano. Hoje, vamos aprender um pouco mais como funciona o metabolismo dos carboidratos no corpo humano.

    [ad#2]Primeiramente, vamos conhecer o caminho básico:

    CHO > Glicose > Glicose 6-Fosfato > Glicólise > Ácido Pirúvico > Ciclo de Krebs > Cadeia respiratória > ATP + Resíduos

    Glicogênise:

    – Transoformação de glicose em glicogênio.

    – O glicogênio é fonte primária de energia para o músculo e é, armazenado nos mesmos e também no fígado.

    – É consumido no total, pelo fígado em 24h.

    Na primeira reação do processo glicolítico é a formação de glicose-6-fosfato (G6P) a partir da fosforilação da glicose. A insulina induz a formação de glicose-1-fosfato pela ação da enzima fosfoglicomutase que isomerisa a G6P. A partir daí, há a incorporação da uridina-tri-fosfato (UTP) que proporciona a ligação entre o C1 de uma molécula com o C4 de outra ligação (catalisada pela enzima glicogênio sintase), formando uma maltose inicial que logo será acrescida de outras, formando um polímero a(1- 4). A ramificação da cadeia ocorre pela ação da enzima ramificadora (amido-1-4,1-6-transglucosidase) que transfere cadeias inteiras para um C6, formando ligações a(1- 6).

    Os principais hormônios no processo do metabolismo dos CHOs são:

    Cupom de Desconto DDM

    – Insulina
    – Glucacon
    – Epinegfrina
    – Cortisol
    – GH<

    Glicogenólise:

    – No glicogênio pode ser degradado enzimaticamente para a obtenção de glicose para entrar nas rotas oxidativas  visando a obtenção de energia.

    – Na glicogenólise possui controle endócrino.

    – No glicogênio é degradado pela ação conjunta de três enzimas: Glicogênio fosforilase, Enzima α 1,6 glicosidase ou desramificadora de glicogênio e fosfoglicomutase.

    – Nos estímulos possuem como segundo mensageiro o AMP cíclico (AMPc), que é formado a partir do ATP sob ação da enzima adenilato-ciclase (inativa até que haja o estímulo hormonal).

    – No AMPc ativa a enzima fosforilase-quinase-b em fosforilase-quinase-a, que por sua vez retira uma molécula de glicose do glicogênio, na forma de glicose-1-fosfato, liberando-a para a glicólise em uma reação que utiliza a mesma enzima que inicia a glicogênese (fosfoglicomutase). O aumento do metabolismo energético, faz com que cesse os estímulos hormonais, inibindo a glicogenólise. O AMPc é degradado pela enzima fosfodiesterase, sendo que hormônios, como a insulina, aumentam a atividade desta enzima, induzindo o bloqueio da glicogenólise.

    – No AMPc intracelular ativa a proteína-quinase AMPc-dependente:

    Na proteína-quinase AMPc-dependente inativa é constituída de dois pares de subunidades, cada par consiste de uma subunidade regulatória (R), que liga 2 mol de AMPc e uma subunidade catalítica (C), que contem o sítio ativo.

    A combinação com o AMPc determina a dissociação. Complexo R2C2, liberando os monômeros C ativos.

    R2C2 + 4 AMPc —> 2C + 2 (R-AMPc2)
    Enzima ………………….Enzima
    inativa……………………. ativa

    Após isso, o glicogênio é armazenado e, consumido pelo corpo.

    Este artigo foi escrito por: Marcelo Sendon



    /* */