• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    O metabolismo na musculação: anabolismo e catabolismo

    Entenda como funciona o metabolismo humano e quais as funções do anabolismo e do catabolismo muscular!

    Metabolismo pode ser tido como o conjunto de reações químicas, físicas e biológicas que ocorrem dentro do organismo dos seres vivos em uma lógica para um objetivo. O metabolismo normalmente está associado a eventos em cascada, isto é, organizados e catalisados por enzimas específicas em cada uma das etapas que acontece. Todos esses acontecimentos tem o princípio de gerar um ou mais produtos e, consequentemente, algum tipo de resíduo, conhecido como metabólito ou resíduo metabólico.

    Comprar Whey Isolado VP2

    O metabolismo pode, a grosso modo ser descrito como catabólico ou anabólico, sendo que ambos envolvem resultados diferentes.

    O catabolismo é o metabolismo de degradação, isto é, de consumo ou destruição de algum composto, tecido ou substância. Por exemplo, quando estamos com um hormônio polipeptídico secretado pelo pâncreas chamado Glucagon em altos níveis no corpo, a tendência é que alguns processos aconteçam e, entre outros, os principais deles são:

    Proteólise: Entrada da proteína na via energética (proteína esta retirada normalmente do tecido muscular);
    Gliconeogênese: Ressíntese de glicose a partir de compostos de C, H e O;
    Lipólise: Degradação do triacilglicerol no panículo adiposo;
    Glicólise: Degradação das moléculas de glicose;
    Glicogenólise: Degradação do glicogênio hepático e muscular.

    [ad#2]Como podemos ver, o resultado de quase todos os processos é basicamente a degradação e/ou diminuição de algo. E é justamente por esse motivo que todo atleta que se preze tem pânico ao ouvir a palavra catabolismo. Basicamente, isto significa que suas vias estarão em degradação inapropriada, fazendo-o perder massa muscular e consequentemente rendimento, aparência física e outros, como queda metabólica basal.

    Já o anabolismo é o processo metabólico contrário ao catabolismo. Anabolizar um tecido ou construir uma substância significa a síntese de compostos e substâncias com a finalidade de reparo, manutenção ou desenvolvimento. Por exemplo, ao contrário do glicagon, a insulina, um hormônio protéico também secretado pelo pâncreas (mas em estados de hiperglicemia, normalmente pós-refeição) é altamente anabólico, contribuindo para diversos processos anabólicos como:

    Glicogênese: Síntese de glicogênio muscular e hepático;
    Síntese protéica: Síntese de proteínas a partir de aminoácidos livres;
    Lipogênese: Conversão do TAG no panículo adiposo.

    E é por isso que o anabolismo é tão importante aos atletas, pois, simplesmente é através do metabolismo anabólico que conseguimos construir um bom corpo.

    Cupom de Desconto DDM

    Mas, você não percebeu nada de errado? O anabolismo promove o acúmulo de gordura enquanto o catabolismo a perda. Isso quer dizer que em uma dieta de definição muscular, é necessário apenas o catabolismo? NÃO!

    O corpo humano é uma grande máquina que requer períodos com processos anabólicos e outros, com processos catabólicos. Isso basicamente é necessário para que o corpo possa funcionar! Porém, é justamente o equilíbrio que os farão convenientes para cada um dos objetivos, enfocando de forma mais precisa nos melhores aspectos (e mais convenientes) de cada um deles!

    Catabolizar a gordura, significa um processo de diminuição, ou degradação. Entretanto, dificilmente conseguimos perder gordura de maneira saudável e proporcionando uma estética adequada ao corpo sem termos um percentual de massa muscular considerável. É óbvio que, por exemplo, pessoas que sofrem de desnutrição severa, possuem percentual de gordura baixo, mas, também de massa muscular baixo. Mas aí, lembre-se que não estamos falando de indivíduos saudáveis, ou pelo menos, em condições normais.

    A massa muscular pode ser imaginada, diante a gordura, como uma chama que consome o substrato. Não que a massa muscular venha por si só destruir moléculas ou adipócitos, mas, por seu alto gasto energético, ela faz com que, através de sinalizações hormonais, aconteçam processos intracelulares que desencadeiam um evento chamado de lipólise, ou seja, a degradação da gordura que, normalmente será utilizada como energia por diversos tecidos, inclusive o muscular. Isso quer dizer que, em teoria, quanto maior é a massa muscular do indivíduo, maior é seu consumo calórico.

    Como podemos perceber, o catabolismo e o anabolismo no grosso da palavra, podem caminhar junto e, de fato caminham junto dentro do metabolismo. Mas, obviamente, não podemos achar que eles acontecem simultaneamente em um mesmo tecido, apenas.

    Mas, por que entender o catabolismo e o anabolismo?

    Quando pensamos no ganho de massa muscular, imaginamos que um ambiente anabólico ao corpo é o mais importante e, de fato ele é. Mas, o grande erro que muitos de nós cometemos nessa fase é não dar a devida atenção a necessidade de alguns estímulos catabólicos também. Um deles, por exemplo, é o jejum, um estado fisiológico de extrema importância para a regulação do corpo. Estado esse que, normalmente predomina nas horas de sono.

    O jejum é importante, pois, ajuda o sistema gastrointestinal a dar um “rest pause” em suas funções, ajuda a não sobrecarregá-lo, ajuda a sinalizações e liberações hormonais que dependem do jejum e que podem ter sérias influências negativas ou positivas não só no quesito desempenho e estético, mas na saúde também, dentre outros. O jejum, ou períodos de jejum podem conferir largamente um menor ganho de gordura no offseason, principalmente por parte de liberações de insulina contínuos (ou hiperinsulimias).

    Conclusão:

    Tanto o catabolismo quando o anabolismo são processos importantes ao corpo nos seus diferentes momentos, conforme suas necessidades e condições fisiológicas. Por isso, não tenha receio nem de um, nem de outro, pois, ambos exercem papéis fundamentais no corpo que o ajudarão a continuar buscando a homeostase e, claro, também ajudando a atingir os seus objetivos.

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)

    6 Comentários

    1. Josi 1 ano atrás
    2. matheus 3 anos atrás
    3. dione felipe 4 anos atrás
    4. fernando dean moraes de almeyda 4 anos atrás
    5. Johnny 4 anos atrás
    6. Herminio Piram 5 anos atrás


    /* */