• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Paleo Dieta: conheça tudo sobre a dieta de nossos ancestrais

    Conheça tudo sobre a paleo dieta: o que é, seus benefícios, definições, o que comer e o que não comer e saiba se esta dieta é apropriada para praticantes de musculação de alto rendimento.

    Para nós, praticantes de musculação, algo que nunca deve ser esquecido e que estamos sempre em busca de melhorar é a dieta. Uma dieta que vem chamando muita atenção e conquistando muitos adeptos é a paleo dieta, conhecida como dieta dos ancestrais, e neste artigo iremos entender melhor o que é esta dieta, como ela funciona e se ela também serve para praticantes de musculação de alto rendimento.

    Aprenda tudo sobre a dieta paleo

    A paleo diet, dieta paleo ou dieta paleolítica é uma das diretrizes dietéticas mais comentadas nos últimos anos entre profissionais, leigos, adeptos e até mesmo especuladores da nutrição. Sendo ou não tão saudável como se autodenomina e sendo ou não conveniente para os mais diversos objetivos relacionados à prática esportiva, por hora, especificamente com a musculação, essa certamente é uma das dietas as quais mais podemos dizer que busca embasamentos em fatos ao invés de simplesmente achismos e mitos populares.

    O que é a dieta paleolítica?

    Sendo uma dieta contemporânea, a paleo dieta foi construída sobre a perspectiva da medicina darwiniana, onde é dito que o ser humano é geneticamente adaptado dieteticamente por seus ancestrais paleolíticos, visando o máximo de naturalidade na alimentação.

    A dieta consiste em uma alimentação com base em animais (preferencial peixes), frutas frescas, vegetais e plantas selvagens. A ideia é voltar a comer como nossos ancestrais comiam a muito tempo atras, ou seja, caçavam o peixe, plantavam os vegetais e colhiam as frutas do pé. Esqueça os alimentos processados, esqueça o excesso de sal, de açúcar, o leite, descarte a revolução da agricultura com os grãos e etc. Volte a se alimentar como no tempo das cavernas.

    Outro ponto da dieta paleo é que não há restrição de calorias. Não conte o numero de calorias da dieta, apenas coma com qualidade e coma quando sentir fome.

    Hoje, logicamente mais adaptada as realidades modernas, a paleo dieta, ou as diretrizes que a regem, envolvem inúmeros aspectos e dizem promover diversos benefícios os quais abordaremos logo a seguir.

    Definições da paleo dieta

    A dieta paleo pode ser definida em alguns itens fundamentais para seu seguimento. Estes, basicamente são:

    • A alta ingestão proteica

    Sendo o corpo praticamente composto por água e proteínas, parece óbvio o porquê do consumo elevado proteico. Além disso, o consumo adequado de proteínas dentro de dietas com baixa ingestão de fontes energéticas primárias, como os carboidratos, é fundamentalmente importante na preservação do tecido muscular, em especial.

    Essas fontes proteicas, na paleo dieta devem primordialmente advir de animais, especialmente os de água.

    • A baixa ingestão de carboidratos

    Na dieta paleolítica são utilizados carboidratos sem amido refinado, frutas frescas e alguns vegetais, os quais normalmente são ricos em fibras e possuem baixo índice glicêmico. Deve-se buscar alimentos os quais possam ser anti-inflamatórios nesse item, em especial.

    Quando há ingestão de carboidratos, devem ser de baixo índice glicêmico. A ingestão de carboidratos de baixo índice glicêmico auxiliará no controle da entrada de glicose nas células, fornecendo energia por mais tempo, auxiliando na saciedade e evitando o acúmulo de gordura corpórea.

    • Alta ingestão de fibras alimentares

    As fibras, essenciais para a saúde humana, devem provir de alimentos íntegros e jamais de fontes artificiais.

    • Moderada a alta ingestão de lipídios preferencialmente insaturados e provindos de ácidos graxos essenciais (em especial o ômega-3 e o ômega-6)

    Na ausência ou redução de carboidratos, torna-se conveniente o consumo lipídico elevado para o fornecimento de energia. Além desse fator, contamos com o fato de que os lipídios são indispensáveis para diversos aspectos relacionados ao metabolismo e algumas estruturas do corpo também.

    Como citado, em especial o consumo de ômega-3 e ômega-6 são fundamentais. Isso porque, esses ácidos graxos essenciais não são produzidos pelo corpo e necessitam advir de fontes exógenas. Fundamentalmente mediador de eicosanóides anti-inflamatórios, o ômega-3 promoverá benefícios visados nos princípios da paleo dieta, como tais já citados.

    Piramide alimentar baseada na paleo dieta

    • Alta ingestão de potássio e média/baixa ingestão de sódio

    Apesar da negligência que há hoje no consumo de eletrólitos e sais minerais, em especial do sódio, pela possível retenção hídrica a ele associada, devido sua osmolaridade, estes são dois dos minerais mais importantes no corpo humano. Além de participarem de inúmeros processos, variando deste sínteses até processos mecânicos (como o da contração muscular), o sódio e o potássio tem sido observados como fundamentais para manter o balanço nitrogenado positivo, por razões não bem entendidas ainda.

    Sabe-se que uma baixa ingestão de potássio pode causar declínio na massa muscular e, obviamente, neste balanço nitrogenado positivo.

    Em especial, atende-se para NÃO consumir alimentos processados, os quais normalmente apresentam grandes teores de sódio. Além disso, alimentos in natura podem conter 5 vezes mais potássio do que os processados.

    • Procura da alcalinização das ingestões alimentares

    O consumo de alimentos ácidos, como láticos, carnes vermelhas, sal e outros,  faz com que sejam gerados ácidos no corpo e, consequentemente, esses ácidos podem causar prejuízos e sobrecargas aos rins. Além desse prejuízo renal, eles podem causar diminuição na massa óssea, perda muscular, fadiga extrema, pressão alta e outros.

    Portanto, consuma alimentos alcalinos, como alguns vegetais, tais quais a couve-flor, frutas, como o melão e etc.

    • Alta ingestão de vitaminas, sais minerais, antioxidantes e compostos naturais

    Vitaminas e sais minerais são indispensáveis co-fatores de basicamente todos os processos metabólicos e fisiológicos do corpo. Interagindo com enzimas, esses são importantes nutrientes para todo um bom seguimento metabólico. Porém, além desses benefícios, os sais minerais e as vitaminas também possuem importantes papéis na ação antioxidante no corpo, diminuindo por sua vez o estresse oxidativo celular que pode levar à morte da célula ou causar-lhe danos.

    Pelo baixo consumo de carnes vermelhas, deve-se dar atenção especial à cianocobalamina (Vitamina B12).

    Os principais benefícios da dieta paleo

    A dieta paleo pode não ser a dieta ideal para muitas pessoas, mas indiscutivelmente, como todo protocolo dietético atípico, esta também possui inúmeros benefícios. Entre esses benefícios, pode-se destacar:

    – O controle glicêmico: O Controle glicêmico mediado pelos tipos de carboidratos consumidos nessa dieta e pela própria ingestão baixa de carboidratos promovem benefícios, como uma melhora na sensibilidade à insulina. Isso irá prevenir não somente uma maior dificuldade no acúmulo de peso gordo, mas principalmente ajudará a prevenir síndromes metabólicas, o que pode levar, por exemplo, à Diabete Tipo II.

    O controle glicêmico ainda, auxiliará na saciedade e auxiliará na sensação de bem-estar durante o dia todo.

    – Alcalinização corpórea: O consumo de alimentos alcalinos, como anteriormente citado, faz com que o indivíduo diminua seus danos oxidativos e, especificamente, para o praticante de musculação, auxiliará para que o mesmo obtenha uma recuperação muscular mais rápida e efetiva.

    – Diminuição dos níveis séricos de colesterol: Pelo alto consumo de ômega-3 na dieta e também pela retirada de fontes ricas em colesterol, tais quais a carne vermelha e alimentos lácteos integrais (leites, queijos etc) a paleo dieta promete uma significativa redução no colesterol sérico. Além disso, o alto consumo de fibras alimentares e o consumo de vastas quantidades de antioxidantes é fator fundamental para isso.

    Alimentos que podem ser ingeridos na paleo dieta: frutas, vegetais, peixes, carnes e ovos

    – Preservação da massa muscular em períodos de busca de definição corpórea: Especialmente em períodos onde há restrição calórica, a dieta paleolítica pode ser conveniente pelo alto consumo proteico e lipídico. Entretanto, deve-se observar que dietas que visam definição muscular, envolvem quantidades baixas de carboidratos e praticamente nulas de frutas. Já a paleo dieta, envolve sim quantidades baixas de carboidratos de alto índice glicêmico e/ou refinados, mas envolve a presença de frutas frescas. Portanto, você deve se atentar a isso e promover um equilíbrio.

    – Menor sobrecarga de sistemas de excreção: A insuficiência renal é a 17ª doença no ranking das que mais acometem indivíduos levando-os ao óbito no Brasil. Sistemas, como o renal e até mesmo o final do sistema digestório, podem ser favorecidos com a paleo dieta na medida em que estes obterão menores sobrecargas. O sistema renal pelo fato da acidez proporcionado pela paleo dieta ser extremamente baixo e o final do sistema digestório pelo bom fornecimento de fibras alimentares.

    – Controle de problemas relacionados à hipertensão: A Hipertensão é a 5ª maior causa de mortes por doenças no Brasil. Para se ter ideia, do ano de 2000 para o ano de 2010, os índices subiram cerca de 87%, mostrando que a alta ingestão de alimentos com conservantes a base de sódio e edulcorantes a base de sódio são realmente prejudiciais à saúde. Dessa forma, propondo distância desses alimentos, a dieta paleo é uma forma de evitar esse tipo de malefício na sociedade moderna.

    O que comer e o que não comer?

    De maneira resumida, podemos simplificar a paleo dieta em o que comer e o que não comer. Diante disso, observamos primeiramente, o que comer, sendo estes:

    Gorduras produzidas de carnes (preferencialmente insaturadas);
    Frutos do mar;
    Peixes;
    Ovos;
    Sementes e oleaginosas;
    Óleos vegetais (oliva, amêndoas, nozes, macadâmia, avocado, coco etc).

    O que não comer:

    Grãos e cereais (principalmente os processados);
    Legumes;
    Cevada;
    Laticínios;
    Leite;
    Alimentos processados;
    Sal;
    Óleos vegetais refinados;
    Açúcar refinado;
    Tubérculos.

    A paleodieta para o praticante de musculação: Algo viável e conveniente?

    Frente às nossas necessidades específicas, o que dizer então da dieta paleolítica, que exige tantas especificidades na alimentação? Ela seria uma dieta que fisiculturistas e praticantes de musculação poderiam usar e obter bons resultados?

    Certamente, em uma opinião particular, creio que a dieta paleo não seja a melhor diretriz dietética para um fisiculturista, principalmente se esse estiver em processo de ganho de massa muscular. Além disso, levando em considerações necessidades aumentadas de alguns nutrientes por nós, como as vitaminas do complexo B (em especial a cianocobalamina), a creatina, o cálcio, o sódio, o colesterol e outros tantos, fica claro perceber que a ausência de carne vermelha, carne de porco, fontes de sódio, laticínios (e o próprio leite), grãos integrais e outros tornam-se algo que não nos é muito interessante.

    Comparação fisiculturista normal e fisiculturista que usa a paleo dieta

    Algo que torna um tanto quanto limitado, é o consumo de suplementos alimentares, visto grande parte ser derivado do leite ou possuir alto teor de sódio, além, claro de todo o processamento pelos quais os mesmos passam.

    A paleo dieta, entretanto, não pode ser simplesmente desperdiçada em todas as suas diretrizes. Podemos bem utilizar alguns princípios da mesma os quais serão de grande utilidade. Por exemplo, pode-se citar o exemplo do alto consumo de peixes, do alto consumo de oleaginosas, incrementando ácidos graxos essenciais ao corpo (especialmente o ômega-3 com suas propriedades anti-inflamatórias), o incremento do consumo de vegetais que são ótimas fontes de fibras alimentares insolúveis e contribuirão para a saúde da flora intestinal, do incremento no consumo de óleos insaturados não processados, da diminuição no consumo de alimentos processados, no aumento do consumo de potássio que, como citado, é um mineral indispensável para o balanço nitrogenado positivo, em especial do tecido muscular, entre outros.

    Desta forma, pode-se traçar idéias de que a paleo dieta é algo muito interessante sim, mas que não necessariamente pode ser a melhor solução para o praticante de musculação.

    E então, você vai arriscar entrar  na paleo dieta?

    Bons treinos!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)

    10 Comentários

    1. Fabio Carmona 10 meses atrás
    2. Daniel 1 ano atrás
    3. matheus 2 anos atrás
    4. zero 3 anos atrás
    5. Julio 3 anos atrás
    6. Lollipop5 3 anos atrás
    7. JacquesKNA 3 anos atrás
    8. Julio 3 anos atrás
    9. Liliane 3 anos atrás
    10. JacquesKNA 3 anos atrás


    /* */