• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Saiba mais sobre Aminoácidos

    Entenda a importância dos aminoácidos e como eles funcionam em seu organismo!

    Comprar Whey Protein Feminino

    Aminoácidos são monômeros orgânicos com um grupo carboxila e um grupo amina (complementados por um radical funcional), que através de ligações entre si (ou ligações peptídicas) formam os peptídeos e, posteriormente estes constituem as proteínas.

    Os aminoácidos são encontrados na natureza e devidamente reconhecidos, absorvidos e ressintetizados em proteínas na isomeria L (L-Glicina, L-Histidina etc), diferente dos carboidratos que costumam ser encontrados em isomeria D, como a D-Ribose ou a D-Glucose, por exemplo.

    [ad#2]Os aminoácidos são fundamentais para que haja vida. Eles constituem basicamente todos os tecidos e estruturas animais, humanas e de muitos vegetais ou plantas. Além disso, eles possuem papel fundamental e indispensável em diversos outros aspectos como constituição das enzimas (catálise acelerada de reações e possibilidade para que elas aconteçam), formação de células do sistema imunológico, função plástica (estrutural), funções de coagulação, funções relacionadas com a síntese de proteínas, com o metabolismo de material genético, precursores de neurotransmissores etc.

    Os aminoácidos são normalmente consumidos em forma de proteínas, grandes moléculas de ligações peptídicas que ao entrarem no estômago, começam a sofrer o processo de hidrólise logo no estômago por ação da pepsina e do HCl que desnatura as proteínas e ativa o pepsinogênio em pepsina, propriamente dito. Esta então inicia o processo de digestão de aminoácidos aromáticos, alguns estimulando a liberação da CCk. Após inativada no intestino delgado, a pepsina obviamente perde ação e aí entra o estímulo e a liberação da secretina que promove o estímulo de secreção de uma solução hidroeletrolítica pelo pâncreas e muco pelas glânduas de Brunner.

    Cupom de Desconto DDM

    Ainda no intestino delgado então temos a ação de algumas outras enzimas como a tripsina (para aminoácidos básicos), a quimiotripsina (para aminoácidos aromáticos), a elastase (para aminoácidos neutros), a carboxipeptidase A (para aminoácidos dependentes de enxofre) e Carboxipeptidase B (outros aminoácidos). Após isso, os aminoácidos são transportados por carreadores específicos do intestino para o sangue, com gasto de energia e alguns, ainda permanecem nas células epiteliais para uso local.

    Na natureza, existem cerca de 20 aminoácidos (normalmente em forma alfa), fora suas inúmeras derivações e combinações que derivam outros aminoácidos como a Creatina. Dentre estes aminoácidos, dois grandes grupos são classificados, entre outras muitas classificações possíveis: Os aminoácidos não-essenciais, cujo corpo tem a capacidade de sintetizá-los e os aminoácidos essenciais (basicamente 3), na qual o corpo não tem a capacidade de sintetizá-los e, portanto é necessário que o consumo venha da dieta.

    Estes três aminoácidos essenciais (L-Leucina, L-Valina e L-Isoleucina), ironicamente são compostos que atuam na síntese de tecido muscular em larga escala, além de em alguns casos participarem de metabolismo energético durante a atividade física. Porém, são unicamente encontrados em derivados de animais, como leite, ovos e carnes.

    Para o praticante de atividade física e que busca aumento de massa muscular, as proteínas e os aminoácidos não são apenas essenciais, mas, obrigatórios, pois, como já dito, para que haja a síntese de tecidos (inclusive o muscular) há necessidade sim de proteínas.

    A recomendação de proteína diária pela ISSN varia entre 1-2g/kg em média. Porém, isso deve ser avaliado por um profissional de maneira individual. O excesso de proteína, do contrário ao que muitos imaginam, pode acarretar prejuízos sim! Portanto, não exagere nas proteínas, os problemas renais, hepáticos e o aumento de gordura podem ser fatores extremamente prejudiciais.

    Artigo escrito por Marcelo Sendon

    6 Comentários

    1. carlos da silva 11 meses atrás
    2. Guilherme Passero 1 ano atrás
    3. wiill 2 anos atrás
    4. wanderson 4 anos atrás
    5. branco 4 anos atrás
    6. Victor 5 anos atrás


    /* */