• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • X

    Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 Receitas para Ganho de Massa e Perda de Gordura.

  • Cadastre seu e-mail, e receba todas nossas publicações   

    Você treina pesado ou treina muito? – Pt2

    Comprar Whey Protein Feminino

    Saiba se você está treinando muito ou treinando pesado e se isso pode interfirir em seus ganhos na musculação.

    Continue acompanhando a segunda parte do artigo.

    Por exemplo: Será que é muito mais difícil executar 6 series de 15 repetições numa extensão de tríceps com carga baixa do que realizar 3 séries de 8 repetições com muita carga e ótima amplitude no mesmo exercício?

    [ad#2]Certamente não, apesar do volume ser mais do que o dobro. Todavia, essa musculatura não seria suficientemente desgastada a ponto de hipertrofiar como em um treino realmente pesado, breve e infreqüente.

    O mesmo vale para pessoas que desejam queimar gordura. O treino pouco muda nessa fase e deve continuar sendo breve e o mais simples possível. O que muda realmente é a dieta que deve estar coerente ao objetivo almejado. Desta forma, esqueça de 3X8 “faz crescer” e 4X15 “faz secar”. E, lembre-se que os aeróbios entram nisso também. Muitas metodologias como Max Pump e Max-OT prezam por aeróbios relativamente breves, porém extremamente ardeis. Aeróbios que chegam a durar 12 minutos, enquanto muitos acreditam que somente após 50 minutos, começa a queima efetiva de adipócitos. Aliás, não é nada mal lembrarmos que o treino pesado, mesmo em uma dieta hipocalórica, ajuda a preservar a musculatura através dos estímulos e da síntese protéica aumentada.

    Cupom de Desconto DDM

    Continuando ainda no volume do treino, atente-se ao número de exercícios realizados, repetições, cargas e, óbvio, amplitude e métodos de execução. Abra a mente e comece a estudar metodologias novas, afim de supreender a musculatura adaptada ou semi-adaptada.

    É muito fácil desgastar o músculo só para sentir aquela “dorzinha pós-treino” no dia seguinte. Mas isso, não necessariamente significa hipertrofia sarcoplasmática que, de fato, é duradoura. Aliás, muitas vezes essa dorzinha não passa de acúmulo de ácido lático na musculatura que, normalmente ainda atrapalham a recuperação. E o inchaço, para os que estão curiosos, nada mais significa além de sangue bombeado para a região trabalhada. Na verdade, este é o mesmo processo no qual ocorre com alguns aquecimentos de fisiculturistas pré-palco, onde precisam volumizar ainda mais (porém momentaneamente) os músculos, dando impressão de volume. Todavia, poucas horas depois, aquele volume, após estabilização do fluxo sanguíneo, se reduz.

    É importante, resumidamente, saber também que o excesso de treinamento, também pode vir de uma intensidade alta, isto é, você pode realmente estar treinando em uma alta intensidade, mas não na intensidade adequada. Para isso, devem ser avaliados os fatores de tempo de recuperação + esforço gasto + desgaste nos diversos tecidos do corpo (aliás, poderíamos falar sobre os estimulantes ou “otimizadores de performance” que, muitas vezes, mais atrapalham do que, efetivamente ajudam no processo e objetivo desejado.

    Leia a primeira parte do artigo: Você treina pesado ou treina muito? – Pt1

    Artigo escrito por Marcelo Sendon

    4 Comentários

    1. Thor 4 anos atrás
    2. Hubert 4 anos atrás
    3. Sendon 6 anos atrás
    4. Mrcs 6 anos atrás


    /* */