Publicado em Deixe um comentário

O que Fazer na Semana Anterior ao Campeonato de Fisiculturismo?

Tempo de Leitura: 8 minutos

A última semana antes de subir em um palco é muito crítica: é nessa semana que o nervosismo e a indecisão tomam conta da mente do atleta.

Por este motivo, mostrarei a vocês uma estratégia de 9 passos para manter a calma e passar a semana da forma mais tranquila (possível) para que você tenha pique e mais confiança no dia do campeonato, além de garantir uma subida com shape mais seco e denso que você poderia ter.

Não há necessidade de muito estresse, eu sei que a pressão é grande e você quer que tudo dê certo. Mas sabe que muitas vezes é necessário relaxar um pouco, senão acabamos estragando os esforços de tempos por causa de nossa ansiedade!

Portanto, leia este artigo e veja 9 Passos para subir ao palco com o sentimento de dever cumprido!

Veja 9 Dicas para Subir ao Palco

Logo abaixo listei as 9 dicas que irão lhe ajudar nessa fase!

1. Depleção e carregamento de carboidratos

O objetivo deste processo é a esgotar totalmente os estoques de glicogênio muscular do corpo de modo que quando os carboidratos são reintroduzidos, o corpo vai temporariamente ser capaz de armazenar mais glicogênio do que o habitual, também conhecido como “super compensação de carboidratos.”

Os carboidratos atraem água. Aproximadamente 1 grama de carboidrato atrairá 2,7 gramas de água. Uma vez que os músculos são compostos por cerca de 70% de água. Ter mais glicogênio e água dentro das células musculares dá uma aparência muito mais completa. Isso, combinado com a desidratação temporária da água subcutânea (entre a pele e os músculos) tornará os músculos aparentes maiores e mais detalhados.

2. Fase de depleção de carboidratos

Eu acredito na diminuição da ingestão de carboidratos durante vários dias na primeira metade da semana final, mas não em eliminá-los totalmente.

Normalmente, seus estoques de glicogênio já estão bastante esgotados pela redução de suas calorias e carboidratos ao longo de sua dieta, além das demandas de cardio extra. Ir para zero carboidratos, mesmo por apenas alguns dias, poderia ser bastante catabólico nesta fase do jogo.

O que eu faria: domingo, segunda e terça-feira reduziria a ingestão normal de carboidratos (sendo normal o valor médio que você comeu nas últimas semanas) ao meio. Então, se você normalmente estiver comendo 300 gramas de carboidratos por dia, nestes três dias você terá que ingerir 150 gramas.

É fundamental observar que você deve manter suas calorias consistentes durante a fase de depleção para manter sua massa. Nesse cenário, você tira 150 gramas de carboidratos, o que equivale a 600 calorias.

Você deve substituir por proteínas e gorduras adicionais para esses três dias. Caso contrário, você corre uma forte chance de perder tecido muscular magro valioso.

3. Treinamento durante o esgotamento de carboidratos

O que você quer que aconteça durante esses três dias é livrar-se tanto quanto possível do glicogênio armazenado nos músculos. Esta é a única vez que eu treinaria com maior volume, fazendo 15-20 séries por parte do corpo e mantendo as repetições em torno de 12-15, embora não levando as séries à falha. Eu só treinaria os músculos superiores nestes dias.

O treinamento de pernas deve ser interrompido a duas semanas do campeonato. Isso ocorre porque o treinamento das pernas desencadeia uma inflamação muito forte, o que resulta em retenção de líquidos e uma perda substancial de separação e detalhes.

Com a parte superior do corpo, eu trabalharia cada grupo muscular apenas uma vez nesses três dias com exceção das partes consideradas mais fracas do corpo, visualmente, pois a intenção é que elas estejam excepcionalmente esgotadas para que elas se carreguem com mais glicogênio. Assim, trabalhar essas áreas duas vezes.

Quanto ao cardio, pararia em uma semana e recomendo o mesmo para todos. Por que você gastaria essa energia extra na última semana? Se você está fazendo cardio para queimar gordura, então você não se preparou adequadamente.

Toda a gordura corporal que você precisava perder deve desaparecer quando você estiver a uma semana do campeonato, já que a semana final deve ser puramente ajustada e polida.

LEIA TAMBÉM: Conheça Um Pouco da História do Fisiculturismo

4. Enchendo-se de carboidratos

Minha sugestão para o carregamento de carboidratos é um pouco diferente da maioria. Eu sugiro que você se encha de carbos de forma bem intensa na primeira parte da fase de carregamento.

O meu raciocínio é que: como é o momento em que seu corpo está mais abatido, esse será o momento em que será mais receptivo aos carboidratos.

Além disso, ao carregar mais carboidratos no primeiro e segundo dia, você terá o terceiro dia para avaliar como você reagiu e ajustar-se com base nisso. Se você ainda sentiu que você parecia um pouco “murcho”, você poderá manter a mesma quantidade de carbos.

Por outro lado, se você sentir que está bastante cheio e há uma chance de depletar-se ou se você já começar a fazer isso, você poderá reduzir a ingestão de carboidratos e apertar um pouco mais.

No que diz respeito ao “inchaço” no dia do show, não se preocupe. Até então é tarde demais para que os carboidratos sejam totalmente processados ​​e convertidos em glicogênio muscular. Tudo o que você vai conseguir é ter um estômago de aparência inchada e provavelmente indigestão também.

Então, quanto carregar? Eu sugiro duas a três vezes a quantia habitual nos dias 1 e 2, que seria quarta e quinta-feira para um campeonato no sábado. Então, se sua quantidade usual fosse de 300 gramas por dia, agora você aumenta até 600-900 gramas. Isso soa como uma quantidade exorbitante, mas realmente não é. Isso é o que um bodybuilder de tamanho médio de 90 kg faria.

Já presenciei 1.500 gramas por dia em alguns atletas mais pesados nos seus dias de carregamento. Não se preocupe com o ganho de gordura neste momento. Não é possível que o corpo ganhe muito rápido. A pior coisa que pode acontecer se você pegar mais carboidratos do que deveria, é você reter água, que pode ser corrigida cortando seus carboidratos na sexta-feira.

Se você se encontrar inchado quando acordar na manhã de sexta-feira, volte para os seus normais 300 gramas de carboidratos para esse dia. Se você ainda estiver bem, fique com 600-900 gramas.

Tenha em mente que estes são apenas números teóricos e você terá que descobrir seus próprios valores. Independentemente disso, no final da tarde ou no início da noite na sexta-feira, eu só comeria proteínas e gorduras até a manhã seguinte para provocar um efeito diurético.

5. Retirando a água

Eu sei que você já ouviu falar sobre vários protocolos para perder água, e eu já vi atletas tentando todos eles. A principal desvantagem para cortar água muito cedo ou mesmo diminuir a ingestão de líquidos gradualmente é que o corpo está constantemente buscando o equilíbrio. Se o corpo não consumir água durante muito tempo, ele mantém a água como um mecanismo de sobrevivência.

A técnica que acho válida é beber tanta água quanto puder até a noite anterior ao campeonato, depois cortá-la completamente. Mesmo que cortar água muito cedo não tenha um efeito desejado, é essencial manter a ingestão de água alta durante a carga de carboidratos para que os músculos possam ser preenchidos com glicogênio e água.

Quando você vai de uma alta ingestão de água para zero, o corpo continuará eliminando a água através da micção. Eu também usaria um pouco de vinho uma vez que houve corte de água para aumentar ainda mais o efeito diurético ou de retirada de água. A partir desse momento, eu usaria apenas água no dia do campeonato se eu achar que realmente precise disso.

6. Sódio

Eu só me preocuparia com a ingestão de sódio na sexta-feira. Eu não usaria peixe ou clara de ovo naquele dia, e nenhum condimento.

Não é necessário restringir o teor de sódio mais cedo do que isso, porque o corpo só pode ser “enganado” por um breve período de tempo.

No dia do show, coma normalmente até pelo menos o julgamento. Você precisa de um pouco de sódio para conseguir pump no palco.

LEIA TAMBÉM: Conheço os Benefícios do Sal Epsom para o Praticante de Musculação

7. O que comer no dia do show

Para o café da manhã, sugiro ovos inteiros com um pouco de farinha de aveia. A partir desse ponto, pequenas porções de frango e batata-doce, e talvez uma banana.

Mantenha suas refeições simples e não coma nada com o qual você não esteja acostumado enquanto fazia sua dieta.

A última coisa que você quer é inchaço ou dor no estômago quando você estiver no palco, tentando mostrar seu shape para os árbitros.

Depois de ser julgado, você pode comer um hambúrguer e batatas fritas pela gordura, carboidratos e sódio, mas eu não beberia nada até o show ter terminado, exceto os pequenos goles mencionados anteriormente.

Novamente, é importante que você tenha quantidades normais de sódio no dia do campeonato. Muitas vezes, os caras comem normalmente logo após o show e acordam parecendo muito mais cheios e mais vascularizados, porque estavam restringindo o sódio.

À noite, no dia seguinte, quase todos começam a ficar um pouco desfocados com a retenção de água. Mas, tomando o sódio e mantendo seus fluidos muito baixos no dia do campeonato, você pode ter o melhor de tudo pro dia do show: estar denso e cheio de veias.

8. Dando aquele pump

Não desperdice seu tempo bombeando demais os músculos com os exercícios no backtage. Você não quer um pump extremo por vários motivos.

Um músculo bombeado mostra menos detalhes e separação. Você pode ver isso claramente quando você treinar nas últimas semanas.

Posicione-se no espelho antes e depois de treinar uma parte do corpo como peito ou quadríceps e será fácil perceber como o pump esmaga os detalhes. Em segundo lugar, você desperdiça energia valiosa que você precisará no palco para posar.

9. Voltar a academia ou fazer uma pausa?

Alguns fisiculturistas, como Ronnie Coleman, são conhecidos por ficar até três meses sem treinar depois de um campeonato. Isso não parece ter sentido para mim.

Se você fizer uma pausa prolongada, você perderá ainda mais tamanho e força do que já perdeu no período de pré-contest .

Isso significa que você vai gastar uma parte substancial da sua temporada “off season” simplesmente tentando voltar ao seu ponto de partida antes que você possa começar a tentar novos ganhos.

Mesmo que eu estivesse de férias no Havaí, eu ainda encontraria uma academia local. Por quê? Porque eu amo treinar. Longos períodos sem treinar não fazem sentido para um fisiculturista competitivo. O corpo foi sobrecarregado e subnutrido durante a preparação, e depois é o momento perfeito para fazer novos ganhos.

Conclusão:

No final, não é realmente o que você faz na última semana antes de um campeonato que fará a maior diferença. É o que você fez nas semanas de preparação, de 9-15 semanas até então, que determina o quão bom você parece e é.

Se você não conseguiu se livrar de toda a gordura corporal que você precisava, manipular seus carboidratos, água e sódio não vai fazer você de repente rasgar, embora, infelizmente, isso pareça ser um equívoco comum.

Se você fez a lição de casa corretamente, a última semana pode ser o momento certo para dar o toque final (a cereja no bolo) em seu físico, que pode colocá-lo no topo e no primeiro lugar no podium.

Até a próxima!

Publicado em Deixe um comentário

Perfil: Jefferson Cuaglio, o Jefferson “Bad Boy”

Tempo de Leitura: 3 minutos

Se você é praticante de musculação brasileiro jamais poderia deixar de conhecer um dos que esteve, e ainda está, entre os atletas mais tops e inigualáveis do Brasil. E não falamos de ninguém menos do que Jefferson Cuaglio, mais conhecido como “Jefferson Bad Boy”, cujo título leva o nome de seu atual ginásio em Ribeirão Preto/SP.

Nascido em dia 4 de fevereiro de 1976 em Ribeirão Preto, começou seus treinamentos desde muito cedo, há mais de 20 anos atrás, sendo que, somente como atleta profissional da empresa Probiótica, já permanece desde 1998.

jefferson-bad-boy-crucifixo

Conhecido por sua fidelidade ao esporte, mas principalmente, conhecido por sua capacidade de manter-se firme e enfrentando as dificuldades ao lado de quem sempre acreditou em seu potencial e seu trabalho, Bad Boy é aquele tipo de atleta que não é “nômade”, ou seja, faz o que sabe fazer, nos lugares aonde precisa fazer e sempre vestindo uma mesma camisa, a qual leva consigo honestidade, disciplina, força de vontade, lealdade entre outros quesitos os quais são difíceis de serem vistos nos dias de hoje.

Para se ter noção de tal característica marcante do atleta, o mesmo treinou em Ribeirão Preto somente em dois ginásios: A famosa academia Escultura e seu próprio ginásio, desde que o fundou e se dedicou por completo lá.

Jefferson Cuaglio é não somente um atleta de Bodybuilding, mas também dedicou grande parte de sua carreira e de seus treinamentos, ao Powerlifting RAW, ou seja, o Powerlifting o qual não leva equipamentos para auxiliar o levantador, mostrando a força pura do mesmo. E foi justamente aí que conquistou vários títulos, chegando a bater marcas, como no Agachamento livre com 320Kg, além de supinar sempre acima dos 200kg.

Com uma aparência muitas vezes rude, Jefferson Bad Boy não é um homem de muitas palavras e nem tenta fazer-se extremamente social: Ele é o que é, goste quem gostar! E isso é extremamente importante, na medida em que você pode saber que dele virão coisas verdadeiras, seja em sua presença ou não. Ele não é o tipo de atleta duas caras que a qualquer momento pode mudar de time ou de camisa.

Boa parte de seu conhecimento também foi e é compartilhado em eventos, em workshops, seminários entre outros. Com diferentes projetos, os quais variam desde clipes musicais, ao esporte, propriamente dito, ele demonstra versatilidade para demonstrar tudo aquilo que acredita.

pose-jefferson-bad-boy

Atualmente, continua sua carreira como atleta de fisiculturismo, ao lado, de outros grandes nomes, como por exemplo o brasileiro Andrey Silva, é preparador de atletas (e, diga-se de passagem, tem um ótimo time formado por grandes campeões) e proprietário de um dos ginásios com maior potencial de Ribeirão Preto, a Academia Jefferson Bad Boy, localizada na Avenida do Café, 1355, na Vila Tibério.

Entre os títulos do atleta, podemos citar:

Powerlifting;

  • Tricampeão Paulista;
  • Tricampeão brasileiro;
  • Tricampeão Panamericano;
  • Recordista Panamericano de agachamento com 370kg;
  • Tricampeão Paulista de Supino;
  • Tricampeão Paulista de Supino até 110kg;
  • 3º Lugar de Powerlifting na Argentina;

Bodybuilding;

  • Tetracampeão NABBA Class (2X Orerall);
  • Bicampeão Brasileiro (1X Overall);
  • Campeão Sulamericano Open com 7ª colocação no Mr. Universe;
  • Campeão Sul Brasileiro 2014 até 90kg;
  • 2º Lugar Mr. Santos 2014 até 100kg;
  • Campeão SLD 2003 (Class 4 NABBA).

titulos-jefferson-bad-boy

Se você não conhecia Jefferson Cuaglio, certamente essa foi uma grande oportunidade para se interessar um pouco mais por esse que foi e é um dos maiores nomes do Brasil nos esportes de força. E, claro, se você ainda pensa em procurar alguém que entenda quando o assunto é preparação, está na hora de conferir um trabalho realmente “Bad Boy”!

Publicado em 2 comentários

Kai Greene: conheça a história do predador

Tempo de Leitura: 5 minutos

Um dos atletas que mais chama a atenção tanto de competidores, quando do público admirador em geral e causa um forte impacto aos mesmos é Kai Greene, um atleta que conseguiu uma evolução e uma ascensão significativa em muito pouco tempo, superando dificuldades, vencendo barreiras e procurando sempre fazer o melhor de si. Com polêmicas, mitos e uma imagem marcante, Kai Greene hoje está entre os TOPs do Mr. Olympia, é um atleta de grande renome e respeito, desenvolve outras atividades além do fisiculturismo, como artes plásticas e que vem desenvolvendo também um lado extra ainda não muito bem conhecido, o de empresário com sua nova marca de suplementos, a Dynami Muscle.

historia-de-kai-greene

Diante de tantos aspectos curiosos, neste artigo conheceremos um pouco mais desse atleta e entenderemos um pouco mais de toda sua história e trajetória no esporte.

História de Kai

Kai Greene é um norte-americano nascido em Nova Iorque, Brooklyn, no dia 12 de julho de 1975. Sofrendo uma rejeição por parte de seus pais e familiares, até os 10 anos de idade, o ainda não atleta e jovem menino perambulou entre orfanatos e abrigos, passando por dificuldades extremas e sem boas condições financeiras ou mesmo de sobrevivência, algumas vezes.

Foi justamente por isso que Kai Greene decidiu começar a praticar musculação, como forma de fuga psicológica. Analisando cuidadosamente, podemos remeter o fato da prática de musculação do atleta com o fato de desenvolver “força”, seja para se defender das adversidades da vida ou mesmo mostra-se como alguém forte e criar uma barreira de proteção em si mesmo. Kai Green também desenvolveu alguns trabalhos de artes plásticas, a fim de expressar seus sentimentos, que muitas vezes eram embutidos em sua alma, segundo ele.

Seu rendimento escolar nunca foi dos melhores. Ele não era um aluno com boas notas e tampouco com bom desenvolvimento acadêmico. Porém, seu talento para o fisiculturismo fez com que alguns professores do colégio pudessem incentivá-lo a começar a competir. Ele tinha “prazer” em comparar seu físico desenvolvido com os garotos de sua idade, e quanto mais se desenvolvia, mais via ânimo e status nisso. Segundo ele mesmo, a musculação o tornava mais confiante e começou a fazer com que ele passasse a acreditar em si mesmo e vislumbrar um bom futuro.

kai-greene-19-anos

Kai Greene já tinha uma boa visão do esporte, pois mesmo novo começou a fazer viagens para competir e quando atingiu seu melhor físico (na época) conquistando um segundo lugar em uma competição, foi estratégico ao “parar de competir” por um tempo, pra fazer uma real modificação corpórea e se desenvolver de maneira realmente significativa, aumentando a massa muscular exponencialmente e conseguindo um destaque inigualável.

Nesta época, ele conheceu o Instituto de Educação do Competidor, em Brooklyn, onde conheceu grandes atletas que o auxiliaram a desenvolver ainda mais o que tinha de melhor: Seu físico, aproveitando o máximo de sua genética natural.

Com 19 anos, já era profissional de bodybuilding natural, e foi um dos mais jovens fisiculturistas do mundo na época. Isso, obviamente, atraiu olhares de diversos indivíduos, inclusive empresários e organizadores.

Naquela federação ainda natural, Kai Green foi campeão de todos os campeonatos os quais participou e seu maior objetivo era conquistar o Team Universe, que era um dos maiores campeonatos de bodybuilding natural da época. Com isso, ele conquistaria um título de amador na IFBB. Em 1999 ele ganhou a categoria de pesos pesados no Team Universe e foi convidado para competir na Eslováquia, no Mundial.

Ele estava ainda abaixo dos 40 melhores da época e por isso, por mais 4 anos trabalhou duro para desenvolver um físico ainda melhor do que o que já tinha na época. Ele foi alvo de inúmeras e intermináveis críticas as quais o fizeram pouco a pouco absorvê-las e toma-las como estímulo para ir progredindo ainda mais e conquistar os seus resultados, afinal Kai Greene sabia bem que isso era necessário.

Em 2004 o NPC Team já era uma porta de entrada para a IFBB e as atenções de Kai Greene se voltaram à essa federação. Com isso, trabalhou mais um ano de maneira dura e após 5 anos sem competir, ganhou três vezes por decisão de unanimidade dos árbitros, os quais o trouxeram à IFBB com o título de PRO.

Polêmicas de Kai Greene

Kai Greene é um atleta cheio de polêmica e também de inverdades. Tido como “o menino desprovido que superou as limitações da vida”, não podemos considera-lo assim. Kai Greene depois que conquistou os primeiros títulos em sua vida, começou uma boa ascensão e não passava mais por tantas dificuldades. Hoje em dia, ele ainda passa uma imagem de “sofrimento”, mas convenhamos que o atleta tem praticamente todo o acesso a tudo que os outros competidores tem.

Ele também é sempre colocado como ex garoto de programa, fato não confirmado. Porém, existem algumas fotos de Kai Greene dançando em casas noturnas, o que não o faz um garoto de programa. Aliás, isso foi de extrema influência para as apresentações artísticas de Kai Grene no palco, envolvendo danças, cambalhotas entre outras peripécias que encantam os olhos dos fãs.

briga-kai-greene-phil-heath-mr-olympia

As duas últimas polêmicas envolvendo Kai Green foram a do Mr. Olympia 2014, o qual ele provocou seu rival Phil Heath e ambo discutiram no Meeting do Olympia e no palco das prévias, e no último Mr. Olympia onde Kai ficou no impasse de competir ou não, mas acabou não competindo, segundo a IFBB por negligência do atleta, segundo o atleta por impasse da IFBB e segundo especuladores, própria jogada de marketing de sua nova empresa de suplementos alimentares e uma frustração por não ter um stand de cortesia para a empresa na feira do Mr. Olmpia.

Independentemente de mitos ou verdades, Kai Greene hoje pode ser considerado um atleta de respeito e um atleta que encanta os olhos dos fãs e deixam todos na dúvida de quais serão suas próximas revelações.

Principais colocações:

  • 1994 NGA American Nationals
  • 1996 WNBF Pro Natural Worlds – 1st
  • 1997 NPC Team Universe Championships – 2nd
  • 1998 NPC Team Universe Championships – 3rd
  • 1999 World Amateur Championships – 6th
  • 1999 NPC Team Universe Championships – 1st
  • 2005 New York Pro – 14th
  • 2006 Iron Man Pro – T20th
  • 2006 Shawn Ray Colorado Pro/Am Classic – 14th
  • 2007 New York Pro – 6th
  • 2007 Keystone Pro Classic – 3rd
  • 2007 Shawn Ray Colorado Pro/Am Classic – 1st
  • 2008 New York Pro – 1st
  • 2008 Arnold Classic – 3rd
  • 2009 Australian Pro Grand Prix – 1st
  • 2009 Arnold Classic – 1st
  • 2009 Mr. Olympia – 4th
  • 2010 Arnold Classic – 1st
  • 2010 Australian Pro Grand Prix – 1st
  • 2010 Mr. Olympia – 7th
  • 2011 New York Pro – 1st
  • 2011 Mr. Olympia – 3rd
  • 2011 Sheru Classic – 3rd
  • 2012 Mr. Olympia – 2nd
  • 2012 Sheru Classic – 2nd
  • 2013 Mr. Olympia – 2nd
  • 2013 Arnold Classic Europe – 2nd
  • 2013 EVL’s Prague Pro – 1st
  • 2014 Mr. Olympia – 2nd
Publicado em Deixe um comentário

Baitollah Abbaspour: vamos todos ajudar esse grande atleta!

Tempo de Leitura: 3 minutos

baito-abbaspour-mr-olympia

Nos últimos anos, grandes massas vem se revelando no oriente médio. Não é por acaso que, recentemente, por exemplo, o já renomado e grande promessa Big Ramy ganhou o Arnold Classic Brasil e, juntamente com outros atletas assessorados pelo ex-fisiculturista Dennis James, vem encantado o mundo inteiro. Entre esses atletas, está Baitollah Abbaspour, um atleta de pouco mais de 40 anos nascido no Irã, em Karaj, cujo é grandemente conhecido por seu apelido “Baito”. Ele iniciou os treinamentos após desistir do futebol, em 1996, e, de uma maneira expressiva, conquistou uma enorme massa muscular conseguindo em 2003 seu cartão profissional na Índia.

AJUDE: Doe e ajude esse grande atleta a se recuperar de sua doença.

Não é por acaso que Baito, que sempre foi uma promessa, depois do trabalho feito com Dennis James, começou a chamar atenção do mundo. Suas características típicas de grandes massas podia ser notada de longe, tanto em offseason, como em pre-contest. Logicamente, sua simetria, proporção e itens extras não atingem físicos como o de Dorian Yates, nos anos 90, mas chegavam a lembrar.

Baito teve títulos como o IFBB World Amateur Championships e o Asian Amateur Championships em 2013 e chegou a competir no Mr. Olympia nos anos de 2012 e 2013, patrocinado pela Muscle Nutrition LLC.

baito-abbaspour-pre-competicao

Porém, nem todo sucesso e toda dedicação foram capazes de livrá-lo de um mal que está sofrendo atualmente. Baito está com um quadro denominado Vasculite. Vasculite é uma classe de doenças inflamatórias nos vasos sanguíneos onde as paredes dos mesmos são invadidas por células do sistema imunológico e podem causar desde hemorragias à oclusões, além do aneurisma.

AJUDE: Doe e ajude esse grande atleta a se recuperar de sua doença.

O fato de Baitollah Abbaspour estar com vasculite não chega a ser assustador, pelo menos não antes das primeiras publicações de vídeos e fotos do ex-atleta doente. Nas primeiras duas semanas, Baito perdeu incríveis 20kg e já parecia uma pessoa normal. Hoje, aproximadamente 2 meses após o diagnóstico de sua doença, ele encontra-se acamado, com aparência muito envelhecida e extremamente magro. Na realidade, Baito está irreconhecível, mas lutando por sua sobrevivência, pois o tratamento de vasculites quando apresenta eficácia (pois nem sempre apresenta), é extremamente longo com medicações muito agressivas ao corpo.

Recentemente, Dennis James postou em seu Instagram que Baito está precisando de contribuições financeiras para seu tratamento (que não é barato). Como uma grande campanha, outros atletas como Eduardo Correa, Dennis Wolf e até seu próprio companheiro de equipe Big Ramy, também aderiram as postagens.

Se você, amante do fisicultuismo, consegue sentir um pouco de compaixão para com alguém que um dia encheu os olhos de muitas pessoas e inspirou outras várias, contribua. Baito hoje é muito mais do que um vitorioso nos palcos, mas é também na vida, pois é por ela que ele está lutando.

O link da do site para fazer doação: http://www.gofundme.com/7f5dh3wa5d. Mesmo que você não possa fazer uma doação por questões financeiras ou qualquer outra coisa, pelo menos compartilhe em suas redes sociais, espalhar é sempre válido. Vamos ajudar este grande atleta a se recuperar e quem sabe um dia voltar ao seu nível de competição!

baito-abbaspour-donte-na-cama

Eu já dei a minha contribuição, não só divulgando, mas também doando e você? Vamos mostrar que nosso esporte, apesar de competitivo, também é muito unido!

Baito, o Dicas de Musculação torce constantemente!

Publicado em 23 comentários

GH15: Um mito do fisiculturismo ou um vilão dos adolescentes?

Tempo de Leitura: 9 minutos

Há certo tempo venho querendo escrever um pouco sobre essa nova onda desse tal de GH15, por muitos considerado um semi-deus, um mito, um revelador de verdades jamais ditas antes, e por outros odiado ou até mesmo ridicularizado. Uma grande controversa em cima de alguém que, inevitavelmente convenhamos que atingiu o seu objetivo: Alcançar uma pseudo-fama e polemizar.

Para os que não sabem a respeito de quem estou falando, deixe-me rapidamente descrevê-lo: GH15 trata-se do pseudônimo de um (ou de uma) sujeito (a) o (a) qual através de um profile com esse nome, está nos mais altos fóruns relacionados ao fisiculturismo, se dizendo um dos bodybuilders mais famosos do mundo e, por conseguinte escancarando verdades (que nem sempre são verdades), de uma maneira bastante polêmica, dizendo ele revelar o segredo que há por trás dos bastidores de quaisquer eventos Profissionais de Bodybuilders. Desta forma, praticamente todos os nomes são atingidos, Arnold, Jay Cutler, Lee Haney, Ronnie Coleman, Shawn Ray, Phil Heath, demonstrando esse “possível conhecimento de causa”, inclusive, por suas próprias experiências, segundo ele.
Para início, pode até parecer algo simples, inofensivo e até mesmo tentador de ser observado, a fim de tentar seguir algum tipo de protocolo profissional e obter bons resultados. Isso, se estivéssemos falando apenas de protocolos do bodybuilding e, protocolos esses que temos a certeza que não só são eficazes, mas, seguros também. GH15 passa de âmbitos profissionais para âmbitos pessoais e morais, variando temas, desde os protocolos relacionados com esteroides anabolizantes (seu principal foco e seu principal assunto) até aspectos relacionados ao uso de sustâncias alucinógenas, drogas depressivas, estimulantes e, pasme, da vida em si de muitos atletas (o que, na minha opinião é ainda mais falta de respeito, sendo ou não verdade o que é dito). Entretanto, apesar do breve parecer de inocência, isso tem se tornado uma febre descontrolada a qual merece uma crítica análise na medida em que, GH15 vem influenciando inúmeros indivíduos a pensarem de determinadas maneiras que, por conseguinte, também merecem uma análise.
Primeiramente, estamos falando de um sujeito que, se quer mostra o rosto e tampouco se identifica. Caso, realmente ele seja um bodybuilder profissional (o que creio que não seja, pelo menos não entre os mais conhecidos), diversas foram e são as desconfianças. Fato é que a maior delas era de que GH15 poderia ser Nasser El Sonbaty, fato não consolidado pela morte do ex-atleta. Uma próxima desconfiança forte foi de que ele poderia ser Dennis James ou até mesmo Dennis Wolf, fatos TAMBÉM JAMAIS PROVADOS. A verdade mesmo é que GH15 e, somente ele sabe, de fato, quem está por trás do personagem virtual.
Entre as frases mais comuns do “ídolo” estão (frases parafraseadas): “Tantos quilos em X dias. E você ainda vem me falar em dieta e treino? Bodybuilding é totalmente drogas!”, “Sabe o que é isso? Trenbolona Ace, GH e Insulina…”, “Phillsulina (apelido dado a Phil Heath pelo possível uso abusivo de insulina) estava entre os cheiradores…” e outros absurdos do gênero, desmerecendo o nome de muitos atletas.
Basicamente, a ideia foco empregada por GH15, se resume em um personagem virtual possível bodybuilder profissional que conhece vários segredos de vida e do esporte de 99,9% dos atletas que já passaram por aqui ou que ainda estão em atividade e, por conseguinte revela-os de maneira escancarada, sendo seu principal assunto a utilização de ergogênicos hormonais no mundo profissional do fisiculturismo.
“Nossa, que legal! Vamos saber de tudo!!!” … E é ao pensar assim que muito, mas, muitos se enganam profundamente. Vamos entender alguns porquês:
Primeiramente, estamos falando de um fake, ou seja, de um falso perfil criado, com esse pseudônimo. Entretanto, alguém sabe quem realmente está por trás dele? Realmente sabem se ele tem tantas referências assim ou, se é algum tipo de “conhecedor” profundo (assim como temos estudiosos não formais em diversos outros assuntos)? Alguém, se quer, poderia me dizer se ele não é nenhum menininho de 13 ou 14 anos rebelde que passa horas na frente do computador escrevendo essas coisas? Pois bem, certamente não! Neste caso, já seria motivo suficiente para não acreditar em ABSOLUTAMENTE NADA do que é dito, salvo algumas óbvias verdades que estão muito longe de terem sido reveladas por tamanho estúpido.
Ok! Mas, e se ele for realmente alguém famoso? Apesar de eu acreditar que ele NÃO seja (afinal, qual profissional entregaria o “ouro” de sua modalidade?), caso ele seja e eu esteja enganado, alguns cuidados devem ser tomados ao levar tudo ao pé da letra. Que os ergogênicos hormonais existam nos esportes é inegável. Isso há anos e em todo lado profissional (fazendo-me crer que, se duvidarmos, até jogos de Xadrez possuem atletas que fazem uso destes) também nos é sabido. Mas, o que muitos deixam de levar em consideração é a forma com que isso tudo é feito.
Os subsídios, aportes e anos luz de conhecimento a frente que atletas de alto nível tem. Isso, sem contar que, normalmente os fãs de GH15 se quer são atletas, mas, olham esse todo, na realidade como finalidade estética, o que agrava ainda mais a situação. Atletas, no entanto, VIVEM PARA O ESPORTE, sacrificam sua vida e, mesmo assim NÃO VIVEM SÓ DE DROGAS (como diz aquele tal). É necessário que eles comam, que eles parem aonde estejam para se alimentar, que saibam dosar seus exercícios, que treinem como se fosse o último treino de suas vidas, que abdiquem de boa parte de sua vida social, amorosa etc. Mesmo ele, fala sobre PROFISSIONAIS. No exterior, muito do que pouco sabemos (e olhe que, há coisas que eu se quer imaginaria existir e existem) é feito sob condições específicas de maneira individualizada e por PROFISSIONAIS EXTREMAMENTE QUALIFICADOS os quais podem dar subsídios suficientes para Y ou W atleta conseguir alcançar níveis tão altos. E, mesmo assim, uma enorme parte de sua vida deve ser sacrificada duramente.

Muito fácil é sair na internet dizendo que “Trenbolona Ace com GH e Insulina em quantidades cavalares” formam um bodybuilder. A começar, porque um bodybuilder deve ter em primeiro plano seu coração, para assim, poder pensar no que fazer com seu físico. Em segundo, um bodybuilder não se constrói a drogas, mas, primordialmente a caráter, a dignidade, ao entendimento dos pequenos aspectos que regem a vida, como o ato de respirar, de abrir os olhos, de oxigenar cada nanômetro das células… Começa onde, se quer podemos ver… Um bodybuilder se constrói a base de uma construção de corpo, alma e sentimentos, em uma mescla firme e concreta. Cadê o trabalho em equipe? Equipe no Bodybuilding? Sim! Equipe! Arnold talvez não seria o mesmo sem Columbo, Dorian talvez não seria o mesmo sem Leroy e Branch Warren talvez não seria o mesmo sem Johnnie Jackson. Isso é trabalho em equipe. Isso é entender o seu próximo!

Algo que me deixa bastante frustrado é não se levar em consideração pessoas de renome e bons profissionais para dar atenção a um fake de internet, simplesmente porque aquilo é mais conveniente. Entretanto, esquecem de colocar na balança o quão isso pode representar no decorrer de uma vida: Enquanto, da forma correta, teremos diretrizes e protocolos mais corretos e/ou seguros (incluo, inclusive casos onde há uso de substâncias ergogênicas hormonais), porém, o caminho é muito mais árduo e necessita de sacrifícios extras, mas, representará MUITO menos chances de falhar ou causar danos irreversíveis há a facilidade em ler algo que não demore mais do que 15 ou 20 minutos (vulgo publicações do gênero GH15) e sair propagando o “falso conhecimento” sobre o assunto e, pior, realizando protocolos sem nexo algum. Será mesmo que esse é o fundamento a ser seguido? Será que isso, daqui uns anos não poderá refletir em grandes danos e/ou prejuízos? Pode ser que, por sorte não, mas, caso aconteça, será que você terá, se quer um suporte desse fake de internet? Eu duvido.
A coisa gira muito mais rápida do que imaginamos. Este ou esta que está por trás desse pseudônimo está buscando sua fama (e conseguindo a sujos custos) e sacrificando idéias já fracas de muitos dos que amanhã podem ser considerados como o futuro da geração. Infelizmente, a capacidade crítica tem sido cada vez menor, fazendo-nos assumir que talvez o erro não esteja em GH15, por exemplo, mas, na forma como estamos formando nossa garotada. Mas aí é outra história…
Conversando ultimamente com um grande ídolo meu e, que certamente qualquer pessoa que tenha o mínimo conhecimento sobre a musculação e o fisiculturismo também conhece, mas, que não irei falar quem é por questões de privacidade dela, fui orientado que minhas idéias eram extremamente revolucionárias e que esse poderia não ser lá o melhor caminho a ser seguido. Confesso que realmente tive de concordar com ele. A imposição é algo que realmente NÃO concordo muito, uma vez que acho que a iniciativa deveria partir de ideias que propiciassem o benefício mútuo e não apenas o individual… Entretanto…
Uma pessoa “pública” ou, que pelo menos exerce certa influência sobre as demais, por algum aspecto (maior experiência em algo, por trabalhar em veículos de comunicação, por representar um grupo X de indivíduos etc) e que possui certo grau de “liderança” deve dosar as suas palavras cuidadosamente: Veja: Não estou dizendo que ela não possa se expressar, nem tampouco que ela tenha de ser omissa ou mentirosa. O que quero dizer é que a influência, por ocorrer deve ser tida como algo que melhore uma ou mais situação ou situações. Você nunca parou para se perguntar porque apresentadores de televisão tem de ser politicamente corretos? Você nunca parou para pensar que os governantes manipulam bem suas palavras? Eu, por exemplo, estou longe de ser alguém famoso. Entretanto, sei que certas pessoas do meio, me conhecem e que acham meu trabalho válido… Logo, tenho de saber até onde posso chegar, afinal, não posso escancarar verdades, por mais óbvias que elas apareçam ou, tampouco causar algum tipo de influência que possa vir representar algum tipo de risco, mesmo sabendo eu que as chances são mínimas.
GH15, por exemplo, defende muito o consumo de claras de ovos… E claras de ovos cruas, na maioria das vezes a fim de “facilitar o processo”. Ok, mas, vejamos que, nos EUA, normalmente claras de ovos são utilizadas pasteurizadas e, isso é algo comum lá para se comprar… No entanto, o que poderíamos dizer do Brasil? Será que é possível encontrar esse tipo de produto em cada esquina? Será que, mesmo quando encontramos, o preço é acessível à todos? Vou além: Será que todos os receptores de informação de GH15 sabem o que é o processo de pasteurização, qual é o seu intuito e, principalmente, quais os SÉRIOS RISCOS (incluindo de vida) que o consumo de ovos crus pode trazer? Acho que não. Mas, GH15 não está preocupado com isso, mas, unicamente com sua fama própria. Os indivíduos passam a acreditar piamente em tudo que ele diz e então temo cada vez mais jovens, rapazes com grandes potenciais se curvando às suas idéias e optando por caminhos que, certamente se arrependerão, mas, que, por lei da vida, terão de bater a cabeça para aprender.

A alucinação desses jovens por GH15 é o que cada vez mais tende a refletir em novos casos onde aparecerão, por exemplo, na televisão, anúncios em uma reportagem por “morte devido ao uso de esteroides” ou coisas do gênero. São esses mesmos indivíduos que ocuparão lugares os quais denigrirão um tão belo esporte que é o fisiculturismo. Isso, sem contar os que são novos no meio e passam a crer que apenas o que GH15 fala é válido e real. Que aquilo é tudo verdade e então, começa a tirar conclusões e idéias de um mundo que realmente só conhece quem passa um tempo a fundo nele e vê o que é paixão de verdade. Mas, infelizmente, será esses nomes que serão pronunciados como “atletas e fisiculturismo”, quando na realidade mal passam de adolescentes recém-formados, vivendo “tudo que há de novo” na vida.
GH15 desconsidera os aspectos positivos dos esportes e, por conseguinte passa a levar em consideração unicamente os aspectos não realmente conhecido. Distorce-os e então os publica da maneira como lhe convém melhor e de como chocará mais (seu grande foco para atingir a fama). Passa a deixar de lado todo o esforço extra que profissionais fazem. Se tomar esteroides e utilizar ergogênicos hormonais fizessem Ronnie Coleman, Phil Heath, Kai Greene, Dennis Wolf e tantos outros, veríamos um desses à cada esquina. Mas no entanto, vemos? Além do mais, se tomar esteroides fizesse esses mesmos aspectos, porque, então, fazem dieta, treinam arduamente, sacrificam noites de diversão, fazem inúmeras terapias como a quiropraxia, shiatzu, terapias para aliviar tensões e dores tendinosas, musculares e articulares, consomem quantidades de comida exorbitantes e que causam sérios desconfortos gastrointestinais, tem de usar cremes e afins… Enfim, fisiculturismo é mais do que “comer, treinar e descansar”… É algo que deve ser movido unicamente à paixão, força, determinação… Sem que um atleta não tenha nascido para isso ele, provavelmente não conseguirá atingir um altíssimo nível a fim de se destacar.
Não tenho absolutamente NADA contra ninguém, acho que cada um que faça da sua vida o que quiser. Mas, da mesma forma a qual busco respeitar os indivíduos que me cercam, o mínimo que posso esperar é que possam me respeitar. E, me respeitar significa também não necessariamente gostar, mas, respeitar meu esporte também, algo que é fundamental em minha vida. E, ao ver reportagens chulas sobre pessoas que morreram ao supostamente utilizarem esteroides anabolizantes e morrerem. Quando vamos ver, são crianças, normalmente influenciadas por babacas iguais este que injetaram óleo animal, óleo de cozinha ou mineral. Vejo esses mesmos indivíduos como sendo alvo de algo que não lhes foi alertado ou, até foi, mas por questões maiores os motivaram a fazer aquilo.
GH15 provavelmente não é um brasileiro. Ele NÃO escreve especificamente para Brasileiros. E isso, o que tem haver?
Quando escrevemos algo que será publicado, muitas vezes necessitamos levar aspectos em consideração: Para quem estamos escrevendo? Para qual faixa-etária estamos escrevendo? Qual o grau de escolaridade para quem estamos escrevendo? Qual a cultura de quem nos lerá? Pois bem, a verdade é que nos países de fora, são muito diferentes todos os aspectos que foram citados e, inúmeros outros também. Assim, atingir um povo americano, por exemplo, certamente o levariam como um comediante… Mas, o Brasileiro… Brasileiro já tem mania de acreditar que tudo que é de lá de fora é melhor… Se tratando de um aspecto desse quando está em plena revolução do bem-estar… Aí já nem se fala…
Meus caros, em suma, não quero que acreditem que sou dono da verdade. ESSA É APENAS A MINHA VERDADE, MAS SIM, CRIAR SUA PRÓPRIA VERDADE! Este, é apenas um alerta sobre um tema que tem me chocando pouco a pouco não pelo que leio, mas pelos aspectos que geram e influenciam nossos jovens.
Fiquem atentos! Sua vida, saúde e afins, NÃO TEM PREÇO!

Publicado em 6 comentários

Arnold Schwarzenegger: um pouco de sua história

Tempo de Leitura: 4 minutos

Arnold Schwarzenegger é um austríaco, nascido dia 30 de julho de 1947 em pleno final da segunda guerra mundial, em Thal. Seu nome completo é Arnold Alois Schwarzenegger e, reza a lenda que Arnold nunca foi o filho predileto de seu pai e, além disso, que nem ao menos filho de seu pai ele era. Verdade ou mentira, a verdade é que Arnold sempre foi um garoto que gostou de esportes e atividades físicas.

Arnold-Schwarzenegger

Inicialmente, jogava futebol, esporte que mais tarde foi substituído pelo fisiculturismo, aos 14 anos de idade por sua aparência frágil e delgada. Influenciado por outros mitos anteriores como Steve Reeves e Reg Park, poucos poderiam acreditar no forte potencial que aquele pequeno garoto exibiria em tampouco tempo, principalmente considerando grandes pessoas que participaram de seu treinamento logo nos primeiros anos, tais quais Kurt Marnul, Mr. Áustria.
Em 1965 serviu o exército austríaco e, mesmo assim se tornou Mr. Austria. É válido sabermos que alguns comentários contam-nos que Arnold treinava com apenas um par de halteres e umas anilhas as quais escondia no tanque de seu quartel (tanque este, de lavar roupa), pois, os treinamentos lá eram proibidos, tanto que, após isso, ficou uma semana preso em seu quartel.
Em 1966 torna-se vice-campeão no Mr Universo em Londres, na Inglaterra, perdendo apenas para Yorton, que possuía uma incrível definição muscular para a época.
Mais tarde na Inglaterra, a convite de Charles Bennet, Arnold possuía um físico tão incrível que, por conseguinte, dedicou-se com outros treinadores muito mais em qualificar o seu shape com aspectos tais quais a definição muscular do que no progresso, propriamente dito. Isso fez com que seu corpo não destacasse unicamente pelo tamanho, mas também, pela qualidade e simetria, apesar das deficiências na parte inferior do corpo. Certamente, esses foram passos iniciais não só para suas conquistas diversas no Mr. Universe, mas também, para sua ida aos Estados Unidos, o que mudaria todo o trajeto de sua vida e, até hoje o influenciaria.
Em 1968, Arnold chega ao EUA, onde é treinado por ninguém menos do que Joe Weider, na Gold’s Gym. Dois anos mais tarde, torna-se então, o atual Mr. Olympia, título mais tarde conquistado mais algumas vezes (7 vezes). Vale lembrar que, antes deste fato, Arnold perdera para Sergio Oliva, em 1969, no mesmo evento. Durante essa época, um dos principais parceiros de treinamento de Arnold Schwarzenegger foi Franco Columbu, entretanto, Arnold gostava de treinar com o máximo de indivíduos diferentes, pois, achava que aquilo, de alguma forma, poderia propiciar a ele estímulos e métodos novos de obter um corpo cada vez melhor.
Durante algum tempo, foi colunista das revitas Muscle and Fitness e Flex Magazine também.
Arnold Schwarzenegger durante algum tempo em sua vida, sonhava em atuar, ou seja, ser ator, sonho este, realizado em 1970, quando foi convidado para ser “Hércules”, em um filme. Outros filmes, em especial os de ação, durante os próximos anos, também marcariam sua carreira e o fariam cada vez mais conhecido no mundo todo fora da carreira de fisiculturista.
Tão versátil como Arnold Schwarzenegger, é realmente difícil de se encontrar: Após jogar futebol, servir o exército Austríaco, fazer carreira no fisiculturismo, ser mundialmente conhecido, fazer filmes e também obter sucesso neles, tornar-se colunista de revistas de musculação, entre outras tantas façanhas, o ex-jovem delgado decide seguir carreira de político, declarando-se republicano e seguindo a campanha de Bush. Mais tarde, devido a isso, recebe então a nomeação púbica de presidente do Conselho de Saúde Física e Desporto Presidencial, cargo ocupado por três anos, de 1980 a 1983.
Não sendo suficiente, anuncia-se como candidato a governador da Califórnia em 2003, onde venceu as eleições e se tornou o primeiro governador estrangeiro da Califórnia, onde atualmente exerce seu papel.

Principais títulos de Arnold como Fisiculturista:

  • 1965- Mr. Europa Júnior (Alemanha)
  • 1966 – Atleta mais desinibido da Europa (Alemanha)
  • 1966 – Campeão internacional de Powerlifting (Alemanha)
  • 1966 – Mr. Europa (Alemanha)
  • 1967 – Mr. Universo (Inglaterra)
  • 1968 – Campeonato de powerlifting (Alemanha)
  • 1968 – Mr. Internacional da IFBB (México)
  • 1968 – Mr. Universo da NABBA (Inglaterra)
  • 1968 – Mr. Universo da IFBB (U.S.A)
  • 1969 – Mr. Universo da IFBB (U.S.A)
  • 1969 – Mr. Universo da NABBA (Inglaterra)
  • 1969 – Mr. Europa da IFBB (Alemanha)
  • 1970 – Mr. Universo da NABBA (Inglaterra)
  • 1970 – Mr. Mundo profissional (U.S.A)
  • 1970 – Mr. Olympia da IFBB (U.S.A)
  • 1971 – Mr. Olympia da IFBB (França)
  • 1972 – Mr. Olympia da IFBB (Alemanha)
  • 1973 – Mr. Olympia da IFBB (U.S.A)
  • 1974 – Mr. Olympia da IFBB (U.S.A)
  • 1975 – Mr. Olympia da IFBB (Africa do Sul)
  • 1980 – Mr. Olympia da IFBB (Austrália)

arnold-competicao

Principais medidas de Arnold Schwarzenegger:

Braços: 56 cm
Peitoral: 145 cm
Coxas: 72,4 cm
Panturrilhas: 50,8 cm
Cintura: 83,8 cm
Peso em Competições: 106,5 Kg
Altura: 1,88 m

O que fez de Arnold um grande mito?

Dizem que a melhor região do corpo de Arnold não eram os bíceps, nem os largos peitorais, mas sim, o cérebro. E isso é uma grande verdade…
Arnold possuía qualificações não somente relacionadas ao seu corpo e a sua genética, mas também, a sua força mental e sua esperteza. Uma vez contando, claro, com suas qualidades físicas, Arnold conseguiu aproveitar ao máximo delas com treinamento e alimentação, não digamos corretos, mas, que funcionavam bem para ele. Sem ter grandes conhecimentos disponíveis na época. Arnold conseguiu aliar a prática e o empirismo aos seus resultados, seguindo seu próprio instinto. Além disso, a dedicação e a força mental, faziam dele um verdadeiro campeão. Seu enfoque e o abalo que causava para os demais participantes de todos os eventos os quais foi campeão, eram fatores fundamentais para seu favoritismo, que resultava muitas vezes na sua qualificação em primeiro lugar no evento.
Toda essa esperteza, resultou no máximo de aproveitamento do ex-atleta para conseguir todas as suas outras façanhas, como a de se tornar ator e, claro, político dos Estados Unidos da América.
Certamente, quando falamos hoje sobre fisiculturismo, é impossível não lembrar de Arnold e é impossível não reconhece-lo pelo que conquistou, mostrando o quão importante é ter uma mente forte, acima de tudo neste esporte.

Publicado em 6 comentários

Perfil de Frank McGrath

Tempo de Leitura: 2 minutosO canadense Frank McGrath, famoso pelos antebraços esculturais, hoje é um dos bodybuilders mais conhecidos no Brasil e até pelo mundo não unicamente por seu corpo e por seus títulos, visto que o atleta nunca atingiu níveis tão altos assim.

Frank-McGrath

Todavia, sua ligação com a Universal Nutrition e suas propagandas pela Animal Pak o fizeram ícone dentro do fisiculturismo. E, convenhamos que as propagandas, vídeos, dvd’s, e a famosa série “A jornada”, apesar de bem apelativos, são ótimas inspirações. – Típico para atingir o público juvenil. –

Pois bem, Frank nasceu no Canadá em 09 de agosto de 1978 na cidade de St, John’s em Newfoundland (Terra Nova). Frank ganhou título de profissional em 2003 no campeonato Canadian Nationals. Porém, só competiu efetivamente em campeonatos profissionais por três vezes.

Conhecido pela cintura finíssima, típica de bodybuilders da geração antiga, Frank foi um atleta que atingiu um patamar relativamente alto, mas contou com alguns problemas decorrentes da vida.

Para iniciar esses problemas, após o término do Canadian Nationals, Frank estava longe da família e mal poderia imaginar que seu pai havia sofrido um derrame. Justamente pelo grau de importância que o esporte tinha para Frank, a família não quis o pressionar e então só o contou o que havia ocorrido após o término do campeonato, pelo telefone. Após isso, o foco do fisiculturismo foi perdido por Frank, visto que a prioridade era seu pai.

Após este sofrido ano, Frank retornou aos treinos, mas, em 2008 quando tudo parecia um pouco mais calmo, ele simplesmente rompeu o tendão tríceps durante um de seus pesados treinamentos. Mas, como dizem que desgraça sempre vem acompanhada, ele só de fato descobriu isso após um segundo diagnóstico, visto que o primeiro foi feito equivocadamente, não apresentando melhoras. Você acha que parou por ai? Após a cirurgia, a notícia: O tendão NÃO foi recuperado!

Mas Frank nem poderia imaginar o que estaria por vir…No ano seguinte, em 2009 ele sofreu um acidente de carro no qual seu ombro esquerdo foi perfurado, o fazendo perder quase três litros de sangue. O acidente o deixou hospitalizado por 1 mês para recolocar seu braço no lugar e, de alguma forma, fazer com que metade da pele que estava faltando na região se regenerasse, alem claro, da retirada de seu baço que estava extremamente comprometido.

Porém, em 2011 as promessas de Frank se tornaram reais e pudemos vê-lo (não em melhor forma) no Mr. Olympia, o que foi uma grande conquista, visto todos os problemas que passou nessa tragetória.

Claro que Frank ainda tem muito de progredir. O falta densidade nos membros inferiores (que diga-se de passagem melhoraram no decorrer dos anos) e talvez um abdominal um pouco mais trabalhado, acompanhado de dorsais mais largos também.

Alguns dados de Frank McGrath:

Altura: 180 m
Peso em off season: 125 Kg
Peso em contest: 109Kg

Histórico de competição:

2000 Newfoundland Championships Heavyweight & Overall, 1st
2001 Canadian Championships Superheavyweight, 6th
2003 Canadian Championships Superheavyweight & Overall, 1st
2004 Toronto Pro Invitational 12th
2009 IFBB Tampa Bay Pro Open, 9th
2011 IFBB Tampa Bay Pro Open, 3rd
2011 IFBB Toronto Pro Invitational Open, 4th

Publicado em Deixe um comentário

Perfil de Larrisa Reis

Tempo de Leitura: 3 minutos

Larissa Reis, uma das mulheres relacionadas ao esporte com maior cobiça no mundo inteiro, principalmente o relacionado ao mundo do fisiculturismo, do fitness, do mercado de suplementos alimentares e diversos outros seguimentos do gênero. Hoje, atual patrocinada pela Nutrex, o que já é uma tremenda conquista para um ou uma atleta Brasileiro (a), consultora de nutrição, personal trainer, competidora da categoria Figure, modelo e certificada pela PROPTA, relacionando-a como instrutora oficial da IFBB, vem representando a beleza aliada a fotos selvagens e um incrível corpo que melhora a cada ano.

Larrisa Reis, hoje IFBB Pro, nasceu no dia 21 de maior de 1979 em Brasília, Distrito Federal. Ela sempre foi uma garota que teve amor pelo esporte: Gostava de andar de skate, de surfar, jogar futebol e outros, como lutas, em especial o Jiu-Jitsu. Por gostar de viagens, de conhecer culturas diferentes e um povo em geral, Larissa Reis acabou por cursar e se formar na faculdade de Turismo e Gestão de Hotelaria. E, foi durante esse período, ainda na faculdade que seu corpo começou a se modificar e chamar a atenção, tanto seu nome chegou à respeitada Playboy Brasil, onde, em 2003 foi “a escolhida”.

Sua vida dentro da musculação, começou quando ela foi chamada para ser modelo de uma loja de suplementos. Chegando na loja, ela viu o cartaz da Monica Brant colado na parede e ficou chocada, pois nunca tinha visto uma mulher daquela maneira. Foi ai que ela pensou: “Caramba, que mulher linda e incrível!”. A partir deste dia ela começou a se interessa mais pelo esporte (que até então era um pouco desconhecido no Brasil).

Ganhando mais tarde, após algumas competições seu “status” de Pro, em 2007, no mundial IFBB, foi para o EUA pelo melhor suporte e, claro, para competir. Naquela época, Larissa não disponibilizava de grandes fins financeiros e, tampouco dominava a língua local, fato hoje que é totalmente inverso, graças a sua dedicação, capacidade, genética e, claro, muito, muito esforço e trabalho duro.

Atualmente, vive em Las Vegas, treina na Gold’s Gym, sendo TAMBÉM a primeira atleta, em 2009, do Brasil a conquistar um campeonato no EUA, o Pro Show, em 2009.

Larrissa Reis, mulher que já foi capa de revistas, tais quais a Iron Man Magazine, a Muscular Development, a Planet Muscle e a respeitada Flex Magazine.

Larissa Reis, mulher que gosta de elaborar suas próprias fotos e se diz gostar muito de desafios e, claro, de superá-los também, lançou recentemente sua loja online a qual se chama Hardcoreis e nela vende itens, tais quais chapéus, , camisas, tops e fotos autografadas.

Algumas de suas características:

Altura: 5’ 5”
Peso: 61 Kg
Cor do Cabelo: Loiros
Olhos: Mel
Línguas que fala: Inglês, português e espanhol.

Principais campeonatos:

2005 South American Championship – 1st Place;
2006 Brazilian Championship – 1st Place;[7]
2006 World Championship, Barcelona – 3rd Place;
2007 World Championship, Barcelona – 2nd Place (Received IFBB Pro Card)
2008 New York Pro – 10th Place
2009 Atlantic City Pro – 1st Place
2009 New York Pro – 2nd Place
2009 Olympia – 12th Place;
2010 Arnold Classic – 6th Place;
2010 Olympia – 10th Place;
2011 Arnold Classic – 11th Place;
2011 New York Pro – 3rd Place;
2011 Olympia – 10th Place;
2011 Sheru Classic – 6th Place;
2012 Arnold Classic – 7th Place;
2012 Australian Grand Prix XII – 3rd Place;
2012 Europa Super Show – 2nd Place;
2012 Tournament of Champions – 5th Place;
2012 Olympia – 10th Place;
2012 Arnold Classic Europe – 6th Place.