Posted on Leave a comment

Conheça os Melhores Suplementos Pós-Treino (2022)

Tempo de Leitura: 8 minutos


Tida como uma das refeições mais importantes do dia, aquela que vem após o treino, conhecida como a refeição pós-treino, é de real importância, pois é através dela que se inicia a recuperação do desgaste ocasionado pelo treino, gerando o início dos processos de compensação e promovendo os resultados positivos.

A refeição pós-treino, a grosso modo, é mais responsável por sinalizar alguns processos fisiológicos no corpo do que nutrí-lo, especialmente. Esta a refeição é de importância primordial para promover o estímulo a processos os quais devem ser otimizados no pós-treino, como a redução do catabolismo muscular, o aumento da síntese proteica e a redução nos metabólitos presentes no corpo.

Sendo assim, não podemos desconsiderar a necessidade que muitas vezes há na utilização de suplementos alimentares capazes de otimizar o processo pós-treino imediato. Entretanto, muitos são os suplementos disponíveis no mercado e muita confusão ocorre entre a maioria dos praticantes de musculação por não saber como usá-los.

Assim, neste artigo conheceremos alguns dos melhores suplementos pós-treino para 2019, para que você não fique perdido na hora de comprar o seu e acabe gastando mais dinheiro ou comprando algo que não é tão eficaz.

Vamos lá?

1- ZMA – Growth Supplements

ZMA é um composto de nutrientes capaz de elevar a sua testosterona, melhorar a secreção do hormônio do crescimento, o GH e outros benefícios. E a Growth Supplements, uma das melhores empresas de suplemento do Brasil, traz o que há de melhor em ZMA para o mercado nacional.

Mas você deve estar se perguntando: “Qual a diferença do ZMA da Growth para as demais empresas?”. E a resposta é simples! A diferença esta na empresa, na seriedade e qualidade da matéria-prima, da embalagem, do estocamento e da biodisponibilidade em seu organismo.

ZMA da Growth Supplements

ZMA da Growth é composto por Zinco, um mineral bastante importante para a produção de testosterona e liberação de GH, o hormônio do crescimento, Vitamina B6, importante co-fator para para o bom funcionamento do metabolismo em geral, Cromo, importante mineral que ajuda na captação de aminoácidos, melhorando a síntese proteica, e o magnésio, que também é um importante mineral para a produção de testosterona.

Outro benefício do ZMA é melhorar a imunidade, que sabemos que costuma a ficar bastante debilitada após uma dura sessão de treinamento, e ajuda a melhorar a qualidade do sono, importante para uma melhor recuperação e busca de resultados satisfatórios.

O ZMA da Growth é encontrado em cápsulas e deve ser utilizada 2 cápsulas ao dia, o que garante 60 dias de uso contínuo! E o melhor? Seu preço! Você paga apenas R$22,50 no boleto. Ta de bobeira?

1- BCAA Sport – Cellucor

BCAA Sport é um suplemento a base de aminoácidos de cadeia ramificada, que são os principais aminoácidos utilizados pelos músculos durante as atividades físicas e também são os principais responsáveis pelo estímulo à síntese proteica. Além disso, eles estão envolvidos com a síntese de glicogênio, com a redução da fadiga central e auxiliam também na redução do catabolismo muscular.

Estes BCAAs presentes no produto estão em um ratio de 2:1:1, ou seja, 2 gramas de L-Leucina para cada grama de L-Valina e L-Isoleucina. Um excelente ratio, ainda mais levando em consideração que cada porção do produto fornece 4g de BCAAs.

BCAA Sports da Cellucor

Somados aos BCAAs, estão também um blend de minerais, os quais são perdidos nas atividades físicas e necessitam ser repostos rapidamente no corpo, pois seu déficit pode trazer sérios prejuízos a saúde. Neste blend encontramos o fósforo, o sódio, o potássio e o cloreto. Estes minerais desempenham papéis fundamentais no controle da osmolaridade sanguínea, na transmissão de impulsos nervosos entre outros vários.

Porém, o que realmente torna BCAA Sport um suplemento diferenciado ente os outros BCAAs são os aminoácidos também inclusos no produto e que tem ação recuperadora. Entre eles, a Taurina, a Tirosina, a Alanina, a Arginina, a Lisina e a Fenilalanina. De uma maneira geral, esse blend de aminoácidos ajuda no aumenta da volumização celular, na redução da fadiga, especialmente central, na síntese de glicogênio, na eliminação de metabólitos do corpo, em processos relacionados a síntese proteica e também purificação do fígado.

Por fim, um último aminoácido adicionado a BCAA Sport é a L-Glutamina, o aminoácido de maior abundância no corpo humano e que é responsável, entre outras funções, pelo bom funcionamento do sistema imunológico, pela síntese de glicogênio, pela redução do catabolismo muscular, pelo aumento da síntese proteica, entre outros.

Cada porção de BCAA Sport requer 11g, sendo que o produto fornece 30 porções por embalagem, tendo um ótimo custo X benefício, visto que seu valor no mercado não é tão caro.

BCAA Sport é disponível no sabor de cereja com limonada e é totalmente livre de açúcares ou calorias, tornando-o ideal para fases de ganho de massa muscular ou de redução de gordura corpórea.

O único defeito deste BCAA é que ele não vende no Brasil, infelizmente. Para comprá-lo, você irá precisar pedir da maior loja de suplementos do mundo.

2- Xtend Elite – Scivation

Xtend ficou conhecido como um dos suplementos de BCAAs mais usados no mundo. Porém, com a nova versão “Xtend Elite”, ele ficou ainda melhor, possuindo não só BCAAs e L-Glutamina como no passado, mas outros compostos os quais envolvem raízes, plantas e etc.

Primeiramente, o produto não possui açúcares e, em sua fórmula, são adicionadas 640mcg de piridoxina (Vitamina B6), responsável pelo metabolismo dos BCAAs. Juntamente a este início, temos a adição de sódio e de potássio, minerais muito solicitados pelos músculos e que são perdidos durante a prática de exercícios físicos. Estes minerais entram em conjunto com a Beta-Alanina que é um aminoácido redutor de fadiga.

Xtend Elite BCAA da Scivation

Contendo 3,5g de L-Leucina, e 1750mg de L-Isoleucina e L-Valina, estes BCAAs estão em uma concentração bastante elevada, demonstrando a eficiência do produto. Sinergicamente agindo em conjunto, teremos a L-Glutamina (na quantidade de 2,5g por porção), para melhorar a síntese proteica, o sistema imune e a síntese de glicogênio e a Citrulina, que também age melhorando a recuperação muscular.

Mas, lembram-se que disse que Xtend Elite era diferenciado? Pois bem, ele possui um blend de extratos de plantas e raízes, tais quais o Cordyceps militaris, Ganoderma lucidum, Trametes versicolor, entre outros os quais promovem melhora no foco, promovem redução da fadiga central e auxiliam na recuperação.

Xtend, visto a concentração de seus compostos, é um suplemento o qual apresenta um excelente custo x benefício, pois cada embalagem fornece 30 porções. A maioria dos outros produtos fornece a mesma quantidade, mas com uma concentração de nutrientes muito mais baixa.

Xtend Elite está disponível nos sabores de Ponche de frutas irlandês e Bala de goma. Sabores diferentes, mas que agradarão grande parte de seus consumidores, como fez no passado com a versão anterior.

Para comprar esse suplemento diferenciado, você vai precisar importá-lo de fora do Brasil. Recomendo a compra na Bodybuilding.com, que é a maior loja de suplementos do mundo. Sem risco, sem medo e com garantia de entrega!

3- Post Cell Recovery – Cell Force

Post Cell Recovery é diferente de outros suplementos pós-treino, possui não somente BCAAs ou outros aminoácidos, mas possui compostos sinalizadores para melhorar processos fisiológicos no corpo os quais otimizarão a sua recuperação pós-treino.

O primeiro deles é o óleo da semente de uva e o óleo de sésamo, que possuem ação antioxidante, reduzindo os danos celulares causados pelos treinamentos de alta intensidade. Adicionais, como componentes antioxidantes, contamos com a vitamina C e a Vitamina E. Junto a eles, temos o magnésio, estimulante da testosterona, a colina, que reduz a fadiga central, o cromo, que potencializa os processos insulínicos, melhorando a síntese de glicogênio e o aproveitamento de carboidratos pelas células insulinodependentes. Por fim, o blend ainda conta com vitaminas do complexo B como a piridoxina, essencial no metabolismo dos aminoácidos e o ácido fólico, essencial nos processos relacionados com a oxigenação celular.

Post Cell Recovery da Cell Force

Entre os benefícios os quais podemos obter com o uso de Cell Force estão:

  • A redução da dor pós-treino;
  • Os efeitos antioxidantes;
  • A redução do catabolismo muscular;
  • A melhora na síntese proteica;
  • A melhora na recuperação como um todo.

Post Cell Recovery é um suplemento apresentado em embalagens de 60 cápsulas, sendo que cada dia, você deverá ingerir 2 cápsulas, tendo um rendimento total de 30 porções.

4- Nectar Whey Protein Isolate – Syntrax

De máxima, máxima, máxima qualidade, este é um dos whey protein mais puros já criados no mercado. Totalmente livre de lactose, de glúten (exceto no sabor de cookies) e totalmente livre de impurezas, Nectar Whey Protein Isolate é sinônimo da maior qualidade no que tange o whey protein isolado. Isso porque, ele passa por processos únicos de microfiltragem, garantindo o máximo do que há de melhor no soro do leite.

Sabemos que o consumo adequado de proteínas no período pós-treino, especialmente quando são de alto valor biológico e ricas em aminoácidos essenciais, especialmente na L-Leucina, promove um significativo aumento nos níveis de síntese proteica e de redução do catabolismo muscular, fazendo com que você inicie seu processo de recuperação pós-treino muito mais rapidamente.

Nectar Whey Protein Isolado da Syntrax

O Nectar é um produto único e que se diferencia de todos os outros whey protein por não somente ter toda essa qualidade e pureza, mas por ter dedicado uma tecnologia única em seus componentes relacionados com o sabor. Isso faz com que o produto não requeira adição de açúcares (mesmo os naturais), não requeira a adição de adoçantes e ainda assim ter um sabor excepcional, o qual o diferencia de longe de todos os outros whey protein.

Estes sabores são os mais variados possíveis, indo desde os cítricos como: o pink grapefruit, pitaya, mix de frutas, abacaxi com banana e coco (pina colada), uva, morango com kiwi, pêssego, entre outros, aos mais cremosos como: mousse de morango, chocolate trufado, torta de baunilha, cookies n’ cream, caramelo, cappuccino e outros vários.

Nectar também é disponível em versões “All natural”, ou seja, com a adição de adoçantes naturais. Para pessoas as quais seguem esta linha de alimentação, certamente esta também é uma opção muito válida.

O produto é disponível em embalagens de 907g apenas, mas vale a pena o preço que se paga, apesar de um pouco superior aos demais da categoria, é totalmente aplicável à sua qualidade extrema.

E o melhor de tudo é que este EXCELENTE suplemento é vendido no Brasil, em grandes lojas, geralmente online.

5- Crealean Powder – Labrada Nutrition

CreaLean Powder é um suplemento de creatina criado por uma das marcas mais conceitadas do mercado, a Labrada Nutrition.

Sabemos que a creatina é um aminoácido naturalmente produzido pelo corpo humano, mas que não se encontra em níveis capazes de gerar efeitos ergogênicos. Este aminoácido tem como função o restabelecimento dos níveis de ATP no corpo, os quais são usados durante as atividades físicas. Com isso, consegue-se uma maior durabilidade na manutenção da intensidade e duração das atividades físicas, promovendo treinamentos mais fortes e poderosos capazes de gerar melhores resultados.

CreaLean Strength da Labrada Nutrition

É bem sabido pela ciência que a creatina não é um suplemento aproveitado no momento em que é ingerida. Logo, muitos começaram a dizer que ela não necessariamente teria um momento ideal para ser consumida. Na realidade, não há um momento específico, de fato, mas sabe-se que o momento de melhor absorção para ela é o momento pós-treino, especialmente se ela for combinada com algum carboidrato de fácil digestão, como o waxy maize.

Porém, para que a creatina tenha a máxima eficiência, ela precisa ser de boa qualidade e, Crealean Powder traz consigo a mais pura creatina monoidratada, capaz de gerar todos os efeitos esperados e causando nenhum desconforto Gastrointestinal.

CreaLean Protein é um suplemento apresentado em embalagens de 500g, tendo um rendimento proporcional a quantidade usada, que variará de acordo com cada pessoa.

Conclusão:

Suplementos pós-treino podem otimizar grandemente a recuperação muscular e cerebral, visto que a atividade física também causa estresses neurológicos. Porém, é necessário que você possa escolher os suplementos corretos para que possa obter os resultados corretos e que tanto deseja.

Neste artigo você pôde conhecer 6 EXCELENTES suplementos, agora é escolher o seu e começar a utilizá-lo!

Certamente, fazendo um uso adequado destes itens, você verá como seus resultados serão cada vez mais progressivos e melhores.

Boa suplementação!

Posted on Leave a comment

É preciso usar suplementos com carboidratos no pós-treino imediato?

Tempo de Leitura: 5 minutos

Quem nunca ouviu falar que whey protein com maltodextrina deveria ser consumido no pós-treino para melhorar a sua recuperação? E quem nunca ouviu falar que atualmente existem opções melhores do que a maltodextrina/dextrose, como o consumo de waxy maize ou de palatinose no período pós-treino? Certamente, tenho certeza que se você não tentou algo do tipo, já deve pelo menos ter ouvido alguém falar.

Mas isto não é por acaso. O simples fato de proteínas serem construtoras de músculos e carboidratos as principais fontes de energia, fez durante muitos anos as pessoas acreditarem que poderiam otimizar seu processo de desenvolvimento com estes nutrientes disponibilizados praticamente instantaneamente no pós-treino. Acreditando ainda na “janela de oportunidades” (momentos imediatamente após o treino os quais fazem com que você consiga uma melhor absorção e um melhor aproveitamento de nutrientes pelo corpo), muitos passaram a consumir determinados suplementos alimentares a fim de trazer processos específicos no corpo.

Porém, seria essa uma verdade? Realmente precisamos de carboidratos no período pós-treino? E eles precisam ser específicos a ponto de nos fazer gastar dinheiro com isso? Se você quer saber a resposta para esta pergunta e, mais do que isso, compreender os fatos que giram em torno disto, certamente, indico este artigo para você.

Entendendo Cada Suplemento de Carboidrato

Para entendermos se há ou não necessidade do consumo de determinados carboidratos em determinadas situações, nos faz conveniente entender primeiro quais podem ser os principais carboidratos aplicáveis neste momento. São eles:

– A Maltodextrina: A maltodextrina é um carboidrato formado por glicose. Ela é relativamente fácil de ser digerida e também é muito facilmente disponibilizada como energia na corrente sanguínea. A maltoextrina possui a capacidade de elevar os níveis de insulina e de glicemia no corpo muito rapidamente. A depender do caso, ela pode ou não ser conveniente.

– A Dextrose: Muito próxima da maltodextrina, a dextrose é formada também a partir de ligações de glicose e, com isso, também fornece facilmente energia ao corpo. Ela também eleva os níveis de glicose e insulina no corpo.

Suplemento a Base de Carboidrato

– O Waxy Maize: O Waxy Maize é a amilopectina, um tipo de amido que possui características especiais em sua cinética de digestão. Assim, o waxy maize possui digestão mais lenta do que outros carboidratos. Ele não possui a capacidade de elevar os níveis de insulina no corpo e fornece energia mais gradualmente ao corpo. Alguns estudos demonstram que o waxy maize pode auxiliar na absorção de alguns nutrientes, como é o caso da creatina.

– A Palatinose: A palatinose é um dissacarídeo que possui uma digestão muito fácil no corpo. Ela é formada pela frutose e pela glicose. Diferente da sacarose, ela não possui a característica de elevar as taxas de insulina no corpo (picos de insulina) e, portanto, pode ser muito interessante em casos onde a hiperinsulimia deve ser evitada.

– A D-Ribose: A D-Ribose é um carboidrato simples de rápida absorção (pois, não passa por processos de digestão) e componente essencial na formação de ATP. Sendo assim, ela pode ser interessante em casos onde há necessidade de elevar as taxas de ATP no corpo, como em determinados momentos pré-treino.

Agora que conhecemos os principais suplementos de carboidratos que exitem no mercado, poderemos entender melhor se vale a pena, ou não, o uso deles em nossa refeição pós-treino imediato.

Os carboidratos precisam ser consumidos imediatamente após o treino?

Durante muitos anos se acreditou que os carboidratos eram indispensáveis no pós-treio, pois eles poderiam elevar os níveis de insulina e com isso reduzir o catabolismo, aumentar a síntese proteica, entre outros fatores. Porém, estudos são categóricos ao mostrarem que somente consumindo proteínas já é suficiente para que a síntese proteica seja estimulada e o catabolismo reduzido.

Portanto, o consumo de carboidratos para PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO é totalmente dispensável no pós-treino imediato. E, inclusive, os estudos mostram que picos de insulina a longo prazo, podem resultar em aumento na adiposidade (aumento de gordura no corpo) e na resistência à insulina.

Sendo assim, torna-se dispensável consumir carboidratos no pós-treino. Mas, então, por que alguns insistem em utilizar fontes de mais alto custo como o waxy maize ou mesmo a palatinose?

Um benefícios que os carboidratos podem oferecer no uso após o treino, é quando se utiliza a creatina no shake pós-treino. Os carboidratos podem ajudar diretamente na absorção da creatina, tanto que essa é uma especificação bastante utilizada por quem utiliza a creatina.

Porém a creatina não precisa ser, obrigatoriamente, utilizada no pós-treino. Logo o carboidrato a ser ingerido junto dela, também não precisa ser no pós-treino.

Existem também alguns casos mais específicos onde o uso de carboidratos se tornam válidos, que irei comentar mais abaixo.

Casos específicos para o uso de carboidratos no pós-treino

Por exemplo, imagine um diabético que necessita de maior disponibilidade energética no período pós-treino. Talvez seja mais interessante usar o waxy maize, ou mesmo a palatinose, no período pós-treino do que a dextrose ou maltodextrina.

Existem ainda, pessoas que podem ter muita sensibilidade a elevações de insulina bruscas no corpo e podem sofrer hipoglicemias rebote. Assim, com estes indivíduos também pode ser mais interessante o uso de algum tipo de carboidrato que não eleve os níveis de insulina tão bruscamente no corpo, como a palatinose. Ainda, para esses indivíduos talvez possa ser necessário o uso da D-Ribose e assim por diante…

De uma maneira geral, esses casos específicos (e onde há necessidade de consumir carboidratos) podem demandar cuidados específicos e estes cuidados precisam ser avaliados conhecendo o tipo de produto a ser usado e o objetivo de cada pessoa.

Beber Shake de Carboidrato no Pós-Treino

Vale a pena gastar muito?

O fator financeiro é determinante para muitas pessoas e, com isso, faz-se necessário que entendamos a real importância de se gastar ou não com estes suplementos.

Em primeiro lugar, podemos dizer que quaisquer carboidratos, caros ou baratos, são relativamente dispensáveis no pós-treino. Se o seu objetivo com o uso de carboidratos é apenas otimizar a síntese proteica, diminuir o catabolismo ou aproveitar a “janela de oportunidades”, isso é dispensável.

Porém, alguns indivíduos pode demandar quantidades de energia necessárias para manter seu corpo muito elevadas e, para isso, precisam de um auxilio o qual muitas vezes convém a ser feito com o uso de suplementos.

Digamos que você é um indivíduo com boa saúde e que não possui necessidades específicas. Então, certamente não vale a pena investir 100 ou 120 reais em um pote de waxy maize importado enquanto você consegue resultados muito parecidos com 10 reais gastos em uma maltodextrina.

Entretanto, se você possui determinadas necessidades específicas, então talvez seja necessário investir um pouco mais. Porém, coloque o custo X benefício desses investimentos sempre a sua frente a fim de evitar desperdícios.

Conclusão

Podemos concluir que os carboidratos por si são dispensáveis para o período pós-treino do praticante de musculação. Entretanto, faz-se necessário em alguns casos consumos de carboidratos os quais podem aderir a casos específicos, onde há necessidades mais restritivas e outros em que o custo X benefício é o que mais deve ser levado em consideração, fazendo o indivíduo assim não gastar sem necessidade.

Portanto, vale a pena sempre observar cada caso individualmente e, acima disso, manter uma ingestão de alimentos e suplementos adequados de acordo com estas necessidades e de acordo com os seus objetivos também.

Bons treinos!

Posted on Leave a comment

Recover X: um recuperador muscular para treinos intensos

Tempo de Leitura: 4 minutos

Você sente que necessita de algo mais após seus treinamentos? Sente que sua recuperação está demorando muito ou não está mais sendo eficaz como antes? Pois bem, se você está se sentindo limitado nesses princípios, chegou a hora de conhecer Recover X, um suplemento que auxiliará na recuperação de treinos intensos, possibilitando ainda mais ganhos e próximos treinos ainda mais intensos.

Recover X é um suplemento recuperador pós-treino capaz de fornecer nutrientes únicos das mais finas e confiáveis procedências e sinergicamente combinados para fornecer o máximo de benefícios para seu corpo após os treinos intensos de musculação. Sendo capaz de auxiliar na reposição rápida da glicogênio, de fornecer substratos proteicos para evitar o catabolismo muscular, Recover X consegue esses benefícios de maneira quase que imediata.

review-suplemento-recover-x

Toda essa recuperação não é nenhum segredo, mas resultado de trabalho sério que envolveu inúmeras pesquisas.

Componentes do produto

BCAAs: Os BCAAs, também chamados de aminoácidos de cadeia ramificada, são aminoácidos essenciais para o corpo (compostos pela L-Leucina, L-Isoleucina e L-Valina) e fundamentais para aspectos relacionados com o fornecimento de energia para os músculos durante a atividade física. Eles são cerca de 35% da constituição muscular e são indispensáveis antes, durante e PRINCIPALMENTE após treinamentos de alta intensidade. Com um perfeito blend de 1,8g, 870mg e 870mg, respectivamente, para seus aminoácidos, essas são dosagens ideais e comprovadamente eficazes para auxiliar na recuperação muscular de maneira geral, além de auxiliar também na reposição de glicogênio muscular.

L-Glutamina: A L-Glutamina é o aminoácido que está em maior quantidade no corpo humano. Participando de diversos processos fisiometabólicos, ela auxilia na síntese de glicogênio muscular, na diminuição do catabolismo muscular, no estímulo à síntese proteica e na nutrição do sistema imunológico, que é bastante oprimido pela atividade física. Estando em uma dosagem de 1,25g, esse é outro fundamental nutriente envolvido na recuperação corpórea geral.

Leite de coco: Os famosos MCTs, conhecidos como ácidos graxos de cadeia média, são especialmente encontrados no coco, como o óleo de coco e o próprio extrato de coco (leite de coco). Esses ácidos graxos não possuem capacidade de retardar a digestão e são facilmente digeridos, absorvidos e metabolizados pelo corpo, podendo fornecer energia quase que instantaneamente ao seu corpo em momentos de carência energética. Além disso, ele tem propriedades antimicrobiana e antifúngicas, o que ajuda a reforçar o sistema imunológico.

A utilização desses ácidos graxos é muito interessante, pois não estimulam secreções insulínicas, ou seja, dificilmente serão convertidos em gordura corpórea. Do contrário, existem estudos que mostram que ele pode auxiliar na redução da gordura corpórea, unindo mais um benefício ao ingrediente.

Minerais essenciais: Durante a atividade física, perdemos muitos minerais. Entre os principais, estão o sódio, o magnésio, o potássio, o zinco, o iodo e o ferro. Esses minerais possuem funções indispensáveis ao corpo, que variam desde a absorção da glicose e de algumas proteínas, na contração muscular, na síntese hormonal endógena, no balanço hídrico do corpo, no aumento da capacidade de resposta do músculo, entre outros. Além disso, auxiliam a regular o pH sanguíneo, que não deve estar extremamente ácido, pois isso prejudicará a recuperação pós-treino.

Os minerais ainda auxiliam em aspectos mentais, que também devem estar devidamente sujeitos a recuperação após o treino.

Benefícios do Recover X

Diferente dos outros produtos do mercado, os quais normalmente auxiliam na recuperação de apenas um ou outro aspecto do corpo, Recover X é capaz de auxiliar em sua recuperação por COMPLETO, fazendo com que não haja necessidade da combinação de inúmeros outros produtos, o que proporciona economia financeira. Assim, Recover X é um suplemento com ótimo custo X benefício, fornecendo cerca de 20 porções por embalagem, o que resulta, para um indivíduo que frequenta o ginásio 5X por semana, no consumo de um mês do suplemento.

Podemos definir como benefícios:

  • Maior crescimento muscular;
  • Melhor recuperação muscular;
  • Otimização da reposição do glicogênio muscular;
  • Melhora no sistema imunológico;
  • Reposição de energia mais rápida;
  • Reposição de minerais perdidos durante a atividade física;
  • Otimização de co-fatores metabólicos.

embalagem-recover-X

Onde comprar?

Este é um suplemento regularizado pela ANVISA, então pode ser comercializado em qualquer loja legalizada no país. Porém poucas lojas ainda o vendem, pois apesar de um excelente produto, sua marca não é popular e o produto não é marqueteiro.

Como usar o produto?

A recomendação de uso é que seja logo após o treino de musculação, ou seja, pode ser com o seu shake pós-treino. Caso não faça shake pós-treino, ingira-o com água, logo assim que finalizar o treino. A recomendação é de 15g (1 medidor interno) com 250ml de água gelada.

Uma dica é agitar bastante, pelo menos 20 segundos, antes de ingerir. Isso irá facilitar as partículas do suplementos a soltarem do fundo, assim você não perde nenhuma grama dele.

Para você que ainda se preocupa com tecnologias ultrapassadas de sabor, a Crossgen pensou nisso também. O suplemento é disponível em um sabor inigualável de Pina Colada (abacaxi com coco) e Coco, o que fará com que se torne prazeroso seu consumo.

tabela-nutricional-recover-X

Conclusão:

O Recover X é um excelente produto para quem busca uma melhor recuperação do treino. É indicado para indivíduos que tem sofrido com cansaço no treino pela má recuperação do treino anterior. Por isso, se você sofre com isso, tem muito a se beneficiar com este produto.

Boa recuperação!

Posted on 2 Comments

L-Carnosina ajuda a reduzir os efeitos da fadiga muscular

Tempo de Leitura: 4 minutos

A atividade física é indiscutivelmente indispensável para a boa saúde. Entretanto, quando a prática do exercício é tida como de médio a elevado desempenho, normalmente alguns fatores apresentam-se limitantes para sua continuidade. Entre esses mecanismos, alguns são produtos resultantes de algum processo catabólico (normalmente energético) ou simplesmente por mecanismos fisiológicos naturais de defesa do próprio corpo, a fim de evitar que algum tipo de prejuízo irreversível aconteça. Se tratando do segundo caso, alguns exemplos os quais podem ser citados são: o uso do OTG, o fuso muscular, o limite máximo de contração ou extensão de um determinado músculo entre outros muitos. Normalmente, esses são princípios difíceis de serem quebrados, necessitando de protocolos muitos específicos para sua correção. Porém, se tratando do primeiro caso, onde processos degradativos ou catabólicos acontecem durante o processo do metabolismo energético, a possibilidade de corrigi-los é muito mais fácil. Mas, na prática, a que isso pode ser aplicado?

Conseguindo corrigir alguns desses processos, torna-se possível uma maior intensidade ou extensão na atividade física, tornando-a, de certo modo, mais intensa e fazendo com que o corpo possa então ultrapassar pouco a pouco alguns limites de adaptação e então, cada vez mais alcançar alguma progressão objetivada. Entretanto, cabem ser seguidos alguns protocolos nutricionais, físicos e de descanso adequados a fim de alcançar esse objetivo de atenuação. Entre os muitos estudados e existentes, está a utilização da suplementação com carnosina, ou, mais especificamente com beta-alanina que vem apresentando ótimos resultados em diversas modalidades físicas, em especial, nas modalidades relacionadas com a musculação, ou o exercício resistido com pesos.

Entendendo um pouco sobre os processos fisiológicos de catabolismo energético

Não nos convém entrar em estreitos fisiológicos nem tampouco bioquímicos. Entretanto, cabe-nos entender brevemente o porque degradamos alguns compostos em nosso corpo de maneira orientada, originando assim alguns fatores que nos são convenientes e, outros, normalmente inevitáveis, porém, que tornam-se um tanto quanto inconvenientes.
O corpo humano é regido constantemente por processos anabólicos (de construção) e de catabolismo (degradação) de diversos compostos, substâncias e moléculas. Esses processos são normalmente influenciados diretamente pelo estado fisiológico o qual o corpo se encontra, fazendo-os acontecer com maior tendência a uma via ou outra.
Durante a prática, por exemplo, da atividade física com média ou alta intensidade, íons de hidrogênio (H+) são produzidos no meio intramuscular, os quais, influenciam e estão diretamente ligados com o valor do pH (que, na verdade nada mais é do que o potencial hidrogênico medido em grandeza, o qual indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade em uma solução aquosa – e, diga-se de passagem, grande parte do que constitui a célula muscular está, de fato, em meio aquoso-), influenciando assim no desenvolvimento da performance muscular.
Após a glicólise (degradação da glicose) como fonte primária de energia utilizada pelo corpo, a produção de ácido lático e, consequentemente H+ faz com que os níveis de acidez do meio intramuscular diminuam, ou seja, fiquem mais ácidos. Esse é um dos motivos (entre outros) pelos quais a fadiga muscular é indicada, ou seja, pelo qual você, por exemplo, perde a capacidade de contração muscular momentânea (ausência energética).

Mecanismos ergogênicos de diminuição da fadiga muscular

Cada vez mais, mecanismos que possam, de alguma forma, diminuir a fadiga muscular, vem sendo estudados e utilizados na prática, alguns sem êxito no experimento e já outros, como é o caso da beta-alanina, com ÓTIMOS resultados.
A suplementação com beta-alanina faz as concentrações de carnosina no músculo aumentarem e esta, por sua vez, faz com que a fadiga muscular seja diminuída. Isso porque, ela atua proporcionando seu efeito tampão, auxiliando assim na regulação do pH local.

Mas afinal, o que é a Carnosina e como ela funciona?

A Carnosina (resultante de dois aminoácidos ligados, ou, um dipeptídeo chamado B-alanil-L-Histidina) é uma ocorrência natural de histidina presente em alguns tecidos animais, como o muscular. Entre suas funções normais e fisiológicas, esse dipeptídeo combate radicais livres, auxilia em algumas regulações enzimáticas e na regulação de íões de cálcio no retículo sarcoplasmático. A Carnosina é reduzida para carnosinase, normalmente, uma outra fórmula de carnosina.
Normalmente presente em fibras do tipo II, a carnosina muito provavelmente se faz em maior concentração nesse tipo de fibra muscular, para auxiliar, após algum gasto energético total por conta de algum movimento de explosão de média ou alta intensidade (por exemplo, o exercício resistido com peso, como característica deste.).
Um dos principais fatores que podem alterar as concentrações de Carnosina no músculo é o exercício físico, tanto durante a atividade física quanto nos períodos de descanso. A literatura tem observado que, durante o exercício de máxima intensidade, a carnosina é altamente recrutada e, em atletas devidamente treinados ou com prática frequente de atividade física (esportistas), nos momentos de descanso, esta, tende a estar em maior concentração no tecido muscular.
Basicamente, como citado, o principal mecanismo pelo qual a fadiga pode ser diminuída com a carnosina é por seu efeito no sistema tampão. Esse sistema, regulador do pH funciona a um curto e grosso modo da seguinte forma:
Quando o pH é diminuído pela presença de compostos como o ácido lático e íons de H+, alguns outros compostos se ligam a estes (como a carnosina faz), tornando-os neutros pelo processo de compartilhamento de elétrons. Além da carnosina, ainda existem outros mecanismos fisiológicos, como o uso do bicarbonato pelo corpo. Porém este, normalmente é utilizado frente a estímulos de exercícios com maior duração.

A suplementação é com Beta-Alanina E NÃO com carnosina

Normalmente, não suplementamos com carnosina, mas sim, com a beta-alanina um aminoácido que é um dos precursores de carnosina juntamente com a L-Histidina. Isso porque, alguns estudos demonstram que ingerir carnosina, pode fazer com que a mesma seja previamente hidrolisada no sistema gastrointestinal, não chegando em sua forma de carnosina no tecido muscular esquelético. Além disso, nesse processo, cerca de 40% de Beta-Alanina são liberados e, se entrarmos mais a fundo, veremos que este aminoácido é limitante na produção de carnosina, sendo assim, para a efetividade, uma suplementação altíssima de carnosina.
Conclusão:
Talvez o funcionamento da carnosina ainda tenha por muito ser entendido, entretanto, sabemos hoje que ela é um importante composto na redução e no controle da fadiga muscular, mostrando a sua real eficiência em esportes, especialmente, relacionados com a força.
Dosagens que variam de 3-7g/dia normalmente são utilizadas para a maioria dos atletas e esportivos que suplementam com esse dipeptídeo, fazendo assim com que possam obter tais benefícios citados.
Apesar de ser um suplemento relativamente caro no Brasil, este é um pelo qual vale o investimento e a valorização. Uma boa dica é usar fórmulas manipuladas, normalmente prescritas por um nutricionista ou médico. Portanto, a busca por eles também torna-se conveniente nesse aspecto.
Um ótimo suplemento de Beta-Alanina e que é vendido com registro no Brasil, é o BA Endurance, da Labrada Nutrition. Você encontra ele na loja da Corpo Perfeito, clicando aqui.
Bons treinos!
 

Posted on 17 Comments

Pós-treino com whey protein ou blend de proteínas?

Tempo de Leitura: 4 minutos“Ingira 30-60g de maltodextrina com 30g de whey protein no pós-treino imediato”. Essa é uma das frases mais comuns que podemos ler ou ouvir quando o assunto é pós-treino imediato.

Isso, muito provavelmente, pois, protocolos antigos eram usados desta forma, afinal, segundo as pesquisas obtidas anteriormente, esta era uma das principais formas de anabolismo para esse determinado momento, sendo assim, uma enorme vantagem o consumo desses nutrientes.
Quanto as dosagens ainda, assim como as recomendações nutricionais para a população em geral, a qual preconiza padrões de indivíduos, esses protocolos de pós-treino muito provavelmente são destinados a indivíduos que possuem pesos médios dentro da população (60-75kg).
Assim, seguindo tais protocolos, vamos obter cerca de 0,3-0,5g/kg de carboidratos oligossacarídeos não-fibrosos ou, simples, de alto índice glicêmico, adicionados a 0,2-0,3g/kg de proteínas de rápida digestão, aliados ao tal shake. Muitas vezes ainda, eram adicionadas poções extras de aminoácidos (em especial a Glutamina, a creatina e os BCAAs).
Durante grande parte do tempo, soube-se que, quanto mais hidrolisada a proteína ingerida, quanto maiores os níveis insulínicos e, quanto mais rápido isso fosse combinado no pós-treino, melhor poderia ser o anabolismo muscular.
As proteínas, entrando rapidamente na corrente sanguínea segundo idéias, favoreciam a síntese proteica.
Já a insulina, teria fator de sinalização para que a mesma ocorresse.
Os carboidratos ainda, além de estimularem a secreção insulínica, teriam a função de otimizar a ressíntese de glicogênio muscular.
Desta forma, tornava-se inconveniente o uso de proteínas que demorassem para ser digeridas (providas, na maioria dos casos, por alimentos), carboidratos fibrosos e/ou de baixo índice glicêmico ou qualquer outra coisa que fizesse a digestão lentificada, sendo esse tipo de alimento, indicado para um antecedente ou procedente ao treinamento resistido com pesos.
Mas, como bem dito, esses protocolos são um tanto quanto ultrapassados. Desta forma, constantemente vemos mudanças dentro da ciência e, não poderia ser absolutamente nada diferente quanto ao pós-treino imediato.
Mas, antes de darmos um “q” de luz, cabe-nos entender sobre um tipo, ou melhor, uma categoria de suplementos alimentares que tem sido de grande moda nos últimos tempos:
Falo dos famosos blends de proteínas. Essa é uma classe de suplementos, as quais, fazem um hiperproteico que, teoricamente teria níveis de tempo de absorção das proteínas em tempos diferentes, numa espécie de cascata.
Então são suplementos que adicionam em sua fórmula, diversas fontes de proteínas, entre elas, as mais comuns sendo o whey protein (tanto concentrado, quanto o isolado, quanto o hidrolisado), a caseína, os caseinatos de cálcio e de sódio, albumina e ainda, em alguns casos, a proteína isolada da soja, sendo de boa ou ruim qualidade.
Assim, sendo uma cascata. Você teria possivelmente um tempo anabólico maior.
Já o whey protein, é uma proteína pura a qual possui uma grande quantidade de L-Leucina (que, em tempo também recebe uma supervalorização desnecessária sobre sua suplementação, apesar, claro, de sua importância), que será digerido rapidamente, absorvido e disponibilizado seus aminoácidos na corrente sanguínea.
E é isso que o difere de um blend ou de um outro tipo de proteína qualquer.
Então, muito provavelmente, se eu não tivesse anteriormente falado que o pós-treino imediato citado era ultrapassado, seria-nos óbvio descrever que, consumindo blends de proteínas, pelo baixo teor de whey protein contido nas mesmas, quando comparado ao uso do whey sozinho, poderíamos ter uma disponibilidade para síntese protéica muito menor. Mas, não é bem assim que ocorre…
Por incrível que pareça ser, as pesquisas mostram que uma mistura contendo whey protein isolado e caseína, com um ratio de cerca de 80% de WP para 20% de caseína, apresentam ÓTIMOS resultados, mesmo, a caseína sendo de maior lentidão em sua digestibilidade.
Isso porque, desta forma, fornecemos um conteúdo muito maior de aminoácidos ao corpo. Além disso, devemos salientar que essa mistura, inclusive é muito mais eficaz do que misturas de whey protein com carboidratos, como anteriormente era (e, de fato, ainda é) feito.
Como dito, a chamada janela das oportunidades, na verdade é algo que não existe. De fato consumimos mais energia durante o treino, de fato desgastamos tecido muscular, entre outras estruturas, mas, todas as sínteses que ocorrerão por conseguinte, demorarão muito mais do que “a primeira hora após o treinamento”…
Para se ter ideia  a ressíntese de glicogênio (que é relativamente rápida), dura pelo menos 48h, ou seja, muito mais do que uma hora.
Agora, imagine a síntese proteica, todo o turn over proteico, a síntese de outras estruturas desgastadas pelo treinamento, além do músculo. Assim, fornecer nutrientes unicamente após o término do treino, não é suficiente, sendo uma nutrição de “longa durabilidade” algo muito mais eficaz.
Para se ter noção, hoje, a bebida considerada a do atleta é o leite. Isso, não só por sua disponibilidade grande de aminoácidos, providos praticamente do soro do leite (20%) e da caseína (80%), mas também, por sua osmolaridade, sua disponibilidade de eletrólitos, sua capacidade de reidratação, entre outros.
Logo, não podemos dizer que apenas proteínas de rápida digestão funcionarão bem no pós-treino imediato.
Além de todos esses fatores, as pesquisas mais recentes apontam que, a quantidade protéica diária e, por conseguinte, semanal, é muito mais importante do que protocolos pós-treino, propriamente ditos.
Quantidade essa que, inclusive deve ser suprida não apenas em termos quantitativos, mas também de maneira a fornecer uma grande gama de TODOS os aminoácidos.

Vídeo: O que comer após (pós-treino) o treino de musculação

Uma das principais dúvidas das pessoas em relação a dieta é sobre o que deve-se comer após o treino de musculação, na famosa “refeição pós-treino”.
E no vídeo abaixo, exclusivo de nosso canal no Youtube, falamos a respeito desta refeição e com inúmeras dicas sobre sua importância, como fazer, o que comer e muito mais! Assista e confira.

Mas não deixe de ler o resto do artigo, pois o artigo irá complementar o que foi dito no vídeo e fará com que você enxergue a refeição pós-treino em um novo patamar, fazendo o que é mais certo e o que vai lhe trazer mais resultados!
Conclusão:
Apesar da importância que há na nutrição pós-treino, esta, normalmente é supervalorizada e recebe muito glamour perante a utilização de whey protein em sua composição.
Entretanto, ao que a ciência vem mostrando, blends ou misturas de proteínas podem ser tão eficazes ou, até mesmo mais eficaz do que o whey protein utilizado de maneira isolada ou com adição de carboidratos.
Deve-se, mais do que o próprio pós-treino imediato, dar-se um enfoque na nutrição diária, ou seja, na quantidade e disponibilidade de aminoácidos fornecidos ao metabolismo durante todo o dia, garantindo um balanço nitrogenado sempre positivo e tornando o ambiente o mais anabólico possível.
Lembrando que este artigo foi escrito em 2013. Caso você venha a ler ele em outros anos, ele possa não valer tanto mais, já que a ciência é um estudo constante e pode mudar a cada nova descoberta.
Bons treinos!