• Ganhe de GRAÇA um E-book com 20 receitas

    Coloque seu e-mail ao lado e receba um e-book com 20 receitas para Ganho de Massa Muscular e Perda de Gordura.

  • O Diário de um Bodybuilder

    Conheça a realidade sobre a vida de um Bodybuilder. Um diário real de um fisiculturista

    Olá. Nesta semana que é de aniversário de 1 ano do Dicas de Musculação, nós preparamos um verdadeiro diário de um Bodybuilder para que vocês possam  conhecer melhor a vida e o mundo do fisiculturismo.

    treino-marcelo-sendon

    Termogenico

    Este é o diário mais completo que você irá encontrar na internet sobre um bodybuilder.

    Vamos conhecer cada etapa de um bodybuilder!

    Eu sou o fisiculturismo

    Quem sou eu? O que estou fazendo? Para que tanta dor, tanto sofrimento, tanto ranger de dentes? Pra que tanto sacrifício? Qual meu objetivo final? Por que optei ser assim? Por que não consigo fugir das coisas que me trazem medo? O que me leva a buscar o que jamais foi alcançado um dia? O que me leva enfrentar tudo isso?

    Meu nome é Marcelo Sendon. Sou fisiculturista e este está longe de ser meu hobbie ou minha diversão. E já que os opostos se atraem e, geralmente o ser humano foge de tudo que me aproximo, digo que esta é minha paixão!

    Quando digo isso, muitas pessoas ficam chocadas não aceitando ou, simplesmente, acham que não se trata nada mais de uma mera brincadeira momentânea, ou que faço em minha vida mesmo… Doce ilusão, doce…

    A definição de fisiculturismo a grosso modo é o culto ao físico. Culto a algo estético que envolve não tão somente olhares, mas apreciação (ou depreciação em alguns casos), impacto (negativo ou positivo) e claro, julgamentos. Logo na idade da pedra, ter um corpo ágil e forte era primordial para a sobrevivência e conservação da espécie própria. Assim como logo na Grécia antiga, corpos e simetria dos deuses e dos homens eram admirados e, claro, cobiçados. O fisiculturismo passou por gerações, desde os primitivos esportes de força, ao moderno simples culto a estética.

    Além de estética e força, hoje já se sabe, após algum estudo, que o fisiculturismo ou a musculação não serve unicamente para obter um corpo grande, forte e denso, mas também resistente. Mais do que resistência, os benefícios da musculação são inimagináveis para o corpo humano. Poderíamos falar por horas das recuperações de lesões possíveis através da musculação, ou da otimização do sistema cardiovascular. Talvez pudéssemos fazer algumas páginas unicamente dedicadas a falar sobre os benefícios do impacto hormonal que a musculação traça nas pessoas com ou sem doenças (tais como diabetes, problemas na hipófise e muitos outros) ou até mesmo da flexibilidade que a mesma resulta. Poderíamos dedicar outras milhões de páginas falando sobre os benefícios no crescimento de crianças e púberes, na ajuda a consolidação das articulações ou até mesmo na cura de diversas enfermidades. Quem sabe então dos benefícios para a terceira idade, conferindo maior qualidade de vida… Mas não, o intuito desse relato de cinco dias não é apresentar as verdades sobre o esporte musculação em si, mas mostrar o pensamento de um fisiculturista e suas reais dificuldades, angústias, frustrações e medos. O intuito é mostrar o que poucas pessoas vêem por trás destes corpos gregos. É mostrar que nem tudo é fácil e nada se consegue sem dar um pouco de suor. A intenção é tentar abrir os olhos de muitas pessoas que simplesmente condenam sem conhecer. Na verdade, este não  é um texto programado. É um texto real que acontecerá no acaso do decorrer dos fatos. Sem omissões e sem cortes.

    Todavia, não considero o fisiculturismo unicamente um esporte, mas uma paixão, em primeiro plano. Considero o fisiculturismo mais do que isso, considero-o um estilo único de vida que necessita ser individualmente vivido e sentido. Simplesmente é um tal estilo no qual não se pode optar por muitas coisas, mas apenas seguir uma obrigação e um caminho que você mesmo constrói para atingir um objetivo.

    Não quero desconsiderar qualquer esporte, pois todos tem seus méritos. Tampouco, quero dizer que pessoas não praticantes de esportes são inferiores por isto. Mas a vida de um fisiculturista ativamente começa as 5 ou 6 da manhã e se encerra mediamente as onze da noite. Inicia-se com a primeira refeição e encerra-se com a última refeição. Além disto, diferente da maioria dos esportes, o fisiculturismo não limita-se apenas aos quarenta ou sessenta minutos dentro da academia. Mas todo o período do dia e da noite. Envolve uma alimentação super equilibrada e milimetricamente calculada/planejada, descanso adequado e opressão a muitas atividades. Talvez sejam por estes fatores que muitos nos acham simplesmente loucos.

    Você tem noção do que é recusar uma balada com amigos ou mesmo um cervejinha no final de semana? Você tem idéia do que é abrir mão de lanches e guloseimas gostosas para comer alguns ovos com batata doce? Será que você poderia fazer ideia do quando machuca ter de ver todo mundo em um dia de calor chupando um delicioso sorvete de qualquer sabor e você, ali, morrendo de vontade e com uma garrafa de água gelada na mão? Pois bem, pelo menos, sou grato por essa água. É ela que ajuda a hidratar meus músculos e as células do meu corpo. Sou grato, sim, de coração! Olhando esse tipo de coisa é que se aprende a dar valor as pequenas coisas na vida.

    Aliás, se toda essa guerra pessoal fosse o único problema, talvez não seria tão difícil. É normal (ou pelo menos tornou-se normal) ver a sociedade julgar as pessoas por seus atos e por sua aparência física (apesar de paradoxo, pois pregam boa forma ao mesmo tempo que criticam quem a busca com toda a garra). Esquecem que por trás daquelas “atitudes estranhas” também existe um ser humano que necessita de compreensão, que ama, que sofre, que sente dor e que é tão gente quanto você. Mas é mais fácil jogar meia-dúzia de conceitos banais e mais meia-dúzia de julgamentos a ver o que acontece por trás de tudo aquilo, não é mesmo? Nós julgamos, nós somos julgados. E a pedra atirada, nunca mais volta, assim como o vaso que um dia foi quebrado ou a palavra que um dia foi proferida. Mas  você vai entender isso bem ao decorrer deste mini relato. E vai entender o porque estou dizendo coisas que ao princípio parecem desconexas ou “tempestade em como d’água”.

    O fisiculturismo não é o meio que me faz chegar em algum lugar. O fisiculturismo sou eu. Eu sou meu rival, eu sou meu desafio, eu sou meu principal jurado e eu sou o principal vitorioso e, jamais derrotado, pois só os fortes conseguem encarar isso de frente e, como tratores, demolirem absolutamente tudo que se opuser diante disto.

    Whey Protein

    Hoje começa o primeiro dia. Acabo de fazer minha terceira refeição do dia. Um antes da refeição que precede meu treino. Já são 12:05pm e consigo sentir uma garra e ao mesmo tempo uma grande angústia dentro de mim. Os últimos dias foram difíceis e confesso que pensei em desistir apesar de tudo. Os julgamentos e a falsidade que me cercam realmente tem cada vez mais me incomodado. Por um lado, pessoas que julgam sem saber. Que tiram sarro, que não compreendem. Por outro, pessoas que estão ao meu redor unicamente por interesse.

    Sinto que muitas vezes não sou admirado pelo que faço ou sou, mas pelo que pareço ser aparentemente ou pelo que alcancei. Já me diziam que muitas pessoas estão em nossa volta por interesse, mas enquanto se é criança, tudo parece ser um mundo colorido de rosas. Não, não é absolutamente nada disso.

    Mas voltando aos julgamentos, você tem ideia do que é rirem de você unicamente porque você tem um objetivo e faz coisas aparentemente estranhas para alcançá-lo? Você tem ideia do que é acharem que você é louco por ter de cumprir algumas “obrigações” e horários afim de terminar seu dia com consciência limpa?

    Bem, infelizmente, devo dizer que prefiro mil vezes comer em um lugar coisas “estranhas” como aveia com claras de ovos do que fazer tanto social e reclamar que estou gordo (a), acima do peso ou que tenho algum problema de saúde. Prefiro parecer louco e insano mas alcançar minha satisfação. O que você faz para alcançar essa satisfação? Será que você consegue superar os seus limites e os limites dos outros para chegar lá? Se eu consigo, não sei, mas tento com todas as minhas forças e, devo dizer que isso já é louvável. “Vou treinar no feriado!” – Espanto! – Realmente isso só comprova o que eu penso.

    Se, provavelmente, eu dissesse que iria encher a cara de bebida alcoólica em alguma praia com alguns quilos de frituras na beira do mar (além de poluir todo o ambiente, claro), provavelmente seria extremamente normal, não é mesmo? Não estou inferiorizando esse tipo de pessoa, assim como não gosto quando me inferiorizam ou desrespeitam o que tanto amo, faço  e, claro, acredito. Só quero deixar claro e, bem claro que não sou simplesmente insano. Faço porque acredito, porque isso me mantém vivo, lutando dia-a-dia.

    Não foi a toa que passei minha infância inteira como obeso mórbido. 150kg, 1,73m e 14 anos. O que você pode dizer disto? Realmente chocante. Mas enquanto tentam colocar em sua cabeça que você deve mudar, nada mudará. Nada poderá ser feito de diferente enquanto você não estabelecer objetivos para você mesmo. Enquanto você não se desafiar e acreditar em você mesmo. Nem um fio mudará enquanto você não simplesmente fizer acontecer da sua forma, seja ela qual for. Somente você tem o poder sobre você e isto, vale a todos os aspectos da vida.

    Foi isso que o fisiculturismo me fez. Acreditar em mim mesmo. Oito meses após os 150kg, estava com 62kg. Não, não houve nenhum tipo de drogas e muito menos procedimentos cirúrgicos. Unicamente, usei a mente, a força. Dormir chorando de fome se tornou fichinha naquela época… E não falo no sentido figurado não…

    Mas descanse. Eu não sou melhor do que ninguém por isto. Muito pelo contrário. Continuo sendo uma pessoa com a mesma capacidade de qualquer um. Com o mesmo valor. O que me difere realmente é que tento acreditar em mim mesmo e fazer a mudança que desejo. O que tento fazer é deixar as palavras de lado e transformá-las em ações lógicas a fim de alcançar o pote de ouro do outro lado do arco-íris.

    O preconceito começa logo ali

    Você já sentiu o patinho feio de algum lugar? Já sentiu que tudo que estava fazendo era simplesmente em vão e que mais valeria o que os outros achariam do que o que você mesmo acredita? Já pensou em desistir por causa de outras pessoas? É, meu caro, todos nós já pensamos nisso alguma vez…

    As vezes sinto como se nada realmente fizesse sentido. Como se nada que eu fizesse tivesse um motivo lógico. E de fato não tem um motivo além da ganância e busca pelo que quero. Ali, naqueles quarenta minutos a beira da morte com pesos em todos os ângulos possíveis do meu corpo, passo por apuros.

    Mas nada se compara realmente as outras 23:20h que passo fora da minha segunda casa. Os olhares, as reprovações, as frustrações que passo diante de muitas coisas que acontecem no decorrer desse tempo e, claro que vem acontecendo dia-a-dia. Se por um lado tenho a admiração, por outro, sou reprovado constantemente. Mas dane-se! Eu sou meu árbitro. Eu sei o que de o que devo fazer.

    Devo dizer que às vezes começo a reparar um pouco nas coisas e silenciosamente reflito. E sabe qual conclusão que venho chegando pouco a pouco? Nós nos preocupamos com a impressão que vamos deixar no ambiente em que estamos ou passamos e não simplesmente com a verdade que queremos ser ou mostrar.

    Se por um lado as pessoas não entendem e nos fazem tantos apontamentos, por outro, nós mesmos não conseguimos ser coerentemente corteses com nossos próprios companheiros de jornada. Toda dor, todo sofrimento, cada repetição forçada, cada respiração com a impressão que irei desmaiar, cada garfada de comida sem o menor gosto ou sabor (e talvez essa seja a pior parte, na medida em que cada vez é mais difícil fazer aquelas mesmas coisas secas descerem pela garganta abaixo. O jeito é mesmo combinar com um pouco de água gelada. Mas droga! Também tenho que ter cuidado para não dilatar demais meu estômago. Tudo isso eles também passam. Então, o que me faz crer ser melhor que eles?

    É triste saber que muitas pessoas estão comendo coisas gostosas, se divertindo, rindo a toa e eu, estou aqui, acompanhado por algumas gramas de arroz cozido em água e mais alguns pedaços nojentos de frango. Enquanto muitos podem desfrutar dos prazeres momentâneos da vida, eu não posso. Mas também, não vou bancar o coitadinho. Eu escolhi isso pra mim e tenho muito orgulho disso.

    peito-de-frango

    Você acha isso legal? Você acha que por trás de um corpo forte não há esforços? Aliás, você acha que não há um ser que ama as coisas e sente as mesmas coisas que todo mundo? Cara, as injeções doem, por exemplo. As agulhas já tem um som típico quando entram no músculo. As tonturas e tosses após as aplicações, seguidas de dor muscular já são uma tortura prévia. E não, não quero fazer nenhum tipo de apologia a nenhuma droga, mas não posso ser hipócrita a ponto de negar que elas existam. Elas existem sim e já a muito tempo! Sem elas provavelmente não existiria nada além do possível.

    Todavia, não vamos fazer delas o principal, mas sim o coadjvante. Por trás disso, muito se tem em esforço, disciplina, vontade, garra, estudo e outros milhões de fatores. A comida desce seca, o estômago dói e as articulações já não existem mais. Muitas vezes as tonturas também são costumeiras. Tudo bem, isso não é saúde, é limite, obsessão, busca pela perfeição. As dificuldades são passageiras e a glória (principalmente a glória perante a mim mesmo em saber que todo esforço é levado ao limite) é eterna.

    Whey Protein

    Quem é que nunca passou raiva com algum fracote em uma academia ocupando aparelhos ou literalmente enchendo o saco com perguntas. Pior que isso são só aqueles que tentam imitar ou ser melhor que você. Uma série, um pouquinho de inchaço e ele faz questão de passar ao seu lado olhando fundo para dentro dos seus olhos. E é bem nessa hora que eu sou a favor de espelhos na academia…  Mas mera ilusão! Deveriam é ser extintos esse tipo de gente das imediações do meu esporte.

    Calma, calma! Eu não estou dizendo que pessoas desprovidas de força física são fracotes, em primeiro lugar, mas sim, falando sobre pessoas mentalmente fracas, entende? Pessoas que necessitam da auto-afirmação e de rebaixar outras pessoas (por mais avançadas que sejam em relação a ela) unicamente para abastecer um ego por o e nojento.

    Mas o preconceito começa logo ali, comigo, com você, com os próprios praticantes. Enquanto atletas de alto nível possuem uma competição dentro e fora do palco dentro do esporte, atletas amadores (ou nem isso) tentem a ter competições morais e mortais entre si. Quem é mais forte, não para progredir, mas se aparecer, pegar mulherada, chamar atenção…

    Não, eu não quero mostrar pra ninguém absolutamente nada. Quero provar cada dia mais pra mim mesmo que sou capaz. Sabe porque? Porque eu sou meu próprio desafio. Eu não quero desafiar ninguém além de mim mesmo. Não quero ser exemplo pra ninguém. Eu necessito ser meu exemplo e acreditar dia-a-dia em mim mesmo. Preciso fazer realidade os meus sonhos. Caso contrário, serei apenas mais um derrotado. Eu preciso acreditar no impossível e fazer verdade essas palavras. Eu preciso da minha religião, do meu dia-a-dia.

    Aliás, devo dizer que essa história de pegar mulherada é uma grande bobagem. Nunca fui dos mais certos na minha vida. Mulher? Nunca faltou e, sou grato por isso. E devo admitir que os músculos ajudaram muito nisso também. Mulher gosta de se sentir protegida, ao lado de alguém forte e que passe confiança!

    Mas conforme vão passando os anos, a gente percebe que simplesmente pegar, ficar e transar não é unicamente o que move a vida (apesar de ser muito bom também). Tem hora que a gente procura uma companhia sincera de alguém que possa corresponder nossas expectativas, respeitar e, claro apoiar.

    Mas é aí que vamos de encontro com a complexidade que é o fisiculturismo e quanto significa abrir mão de muitas coisas… Jantar fora? Pipoca no cinema? Sorveteria após o almoço de domingo? Um belo vinho a noite? Devo dizer que sou fã de tudo isso, mas também tenho um outro amor e, um amor muito maior que esses prazeres passageiros. Mas qual a mulher que realmente seria capaz de entender isso e após dizer que não pode sair com ela, ela responder: Eu te amo! Estou com você… É… Talvez realmente seja por isso que pessoas do meio do fisiculturismo dificilmente se envolvem com pessoas de fora do meio. A não ser que… Realmente haja MUITO amor… Mas aí é outra história…

    Whey Protein

    A verdade é que falta compreensão, seja por parte de amigos, seja por parte de relacionamentos e, esse maldito preconceito que começa já dentro dos amadores nojentos e egocêntricos e se estende até as pessoas externas só mostra o quanto o ser humano é fraco e não vale nada.

    Eu não sou humano! Eu me transformei numa máquina humana! Eu sei respeitar, pois sei o quanto é ser desrespeitado. Eu não quero preconceitos! Quero ser forte como venho sendo! Eu sou FISICULTURISTA!

    Atitudes falam mais do que palavras

    Tendo que fazer a minha primeira refeição. Confesso que no onseason a gente passa fome e isso é horrível. Mas no offseason, a fome ainda continua, mesmo com o estômago superlotado. E explico: É fácil comer 10 bolachas com um leite com achocolatado quentinho e mais um pão com manteiga. Mas não tenho esses benefícios. Mando 300g de aveia com água e algumas claras de ovos pra dentro quando acordo. Você acha isso legal? A fome continua, o estômago superlota e você sente vontade de vomitar aquela coisa estranha e nojenta!

    Quem nunca pecou por falar de mais e agir de menos? Aliás, quem também nunca cometeu o erro de agir demais, quando deveria ter falado um pouco mais ou, simplesmente não falado absolutamente nada?

    O ser humano é movido por ações. Essas as quais o definem como o ser que é, não é mesmo? Alguns escolhem ser o que os outros querem que sejam. Outros são rebeldes e escolhem o caminho que irão fazê-los felizes e dignos. Independente de quais sejam seus motivos, é importante que haja um foco para alcançar o que tanto quer. E muitas coisas vão aparecer no meio de sua jornada fazendo com que seu foco mude ou que você pense em desistir.

    Somos todos falhos e sucessíveis a erros e fraquezas. Não há ninguém que nunca tenha fraquejado um dia. Apesar de fraquejar, fazer parte da natureza biológica e psicológica da máquina mais complexa do mundo, a coragem e determinação, podem ser antídotos muito eficazes contra elas, na medida em que o focarão em um alvo e somente descansarão quando esse alvo for atingido. Todavia, para um bom fisiculturista que se preze, esse alvo nunca tem fim. Suas próprias glórias são conquistadas dia-a-dia.

    Quantas vezes só essa semana, eu pensei em desistir? Em jogar tudo pro ar ou render-me as coisas que não me trariam satisfações a longo prazo? Quanto refleti essa semana sobre o custo X benefício de uma desistência? Inúmeras! Travei guerras contra mim mesmo, contra meus próprios pensamentos e princípios.

    atitude-treino

    Faz 4 anos que poso dizer que, literalmente, o fisiculturismo salvou a minha vida. Não convém detalhes específicos, mas resumidamente, enfiado em meio a loucuras e antidepressivos, calmantes e neuroativos, o bodybuilding foi a única coisa na qual encontrei um caminho e uma saída. E isso tem um porque. Foi nele que encontrei a firmeza, a vontade de ser quem sou, quem quero ser e quem posso ser. Independente se isso é possível ou não, eu vou alcançar, custe o que custar. E se os problemas, a genética ou qualquer coisa do gênero me disser que não, eu colocarei mais peso ainda e direi: Dane-se!

    Se entrar em uma loja e não caber nas calças pelo tamanho das coxas e panturrilhas, ou ficar apertado na maioria das camisas é o preço, então, será pago.

    É através do bodybuilding que gosto de me sentir vazio pra poder adicionar mais, mais e mais. E, apesar disso gerar inconvenientes, é gratificante perante a mim mesmo. E, mesmo quando um indivíduo evita passar ao seu lado ou sentar ao seu lado num ônibus, te deixando a ver navios como um real animal, sei que é o preço da minha auto força. Da força não tão somente física que construo dia-a-dia, mas a força interna que fortalece minha mente, meus conceitos, minha determinação, minha vida…

    Nada é fácil e nada vem por acaso. Eu também tenho uma vida agitada. Não vivo unicamente do fisiculturismo, apesar de ser um sonho. Estudo, trabalho e outras milhões de coisas também são necessárias. Você necessita fazer o que o sistema manda e, isso é impossível de fugir. Mas querendo, é possível chegar onde se quer. Mas perceba bem a palavra “querendo”. Se você não quiser, ninguém poderá fazer por você e essa é a realidade.

    E olhares críticos vão te cercar, como sinto-me cercado dia-a-dia. Mas tento não ligar. Tento fazer vista grossa. O que pode parecer estranho, nem sempre é… Mas confesso que muitas vezes me sinto humilhado por um lado e honrado por outro, pois sei bem o que estou fazendo… Já quem apenas critica…

    Sabe, hoje, voltando para o meu lar, logo após ter feto a minha terceira refeição do dia, observei uma cena que me fez pensar e pensar. Vi um casalzinho de adolescentes de mais ou menos 14 ou 15 anos. Papo vai e vem e como em um passe de mágica, os “amigos” se beijando. Mas não aquele beijo que a gente costuma dar com mais experiência. Mas aquela coisa torta, estranha. Como numa primeira vez…

    Aquele beijo que você sente o mundo parar e o silêncio tomar conta de você. Tente se lembrar do seu primeiro beijo e, provavelmente, se conseguir, vai lembrar que tudo ficou em silêncio na hora, não é mesmo? É um momento significante para todos e, não tem como fugir disso também. E é aí que podemos dizer que há, de fato um certo encontro das almas. Almas que estão unidas com um único objetivo, mesmo que seja apenas por instantes.

    Foi cômico, mas me lembrei de quando era pequeno, com aquela idade… Me lembrei da falta de compromisso com as coisas, da folga que tinha para com a vida. Da dependência dos pais e até mesmo dos passeios de fim de semana, ansiosamente esperando pelo começo da semana para ver a amada… tudo isso era gostoso!

    Mas como em um passe de mágica, cresci e a inocência se foi. Sou homem. Agora, tenho de arcar com as minhas responsabilidades, arcar com o que quero e acredito. É agora que a vida mostra ser o que ela realmente é: Cruel, dura, malvada. Infame… Mas há coisas boas também. (Será?)

    Todavia, é aqui que estou. É aqui que tenho que tomar decisões, escolher o que eu quero, e o que vou fazer. Manter meu foco e não permitir que mil e uma coisas me desestruturam. Confiar em mim mesmo. Eu deixo meu instinto animal me guiar e me fazer vitorioso a mim mesmo.

    Incondicionalmente

    Cara, não costumo acreditar muito nessa de signo, sabe? Acho que isso encaixa melhor com a mulherada. Nada contra quem acredita também. Respeito as escolhas pessoas e individuais, assim como gostaria de ser respeitado. Mas tudo bem, tudo bem! Tenho de admitir que no que diz respeito ao sagitário ser incondicional, combina muito comigo. Mas não sei se isso tem muito haver com signo não. A real é que não consigo ser parcial no que faço. Se decido fazer, quero fazer por inteiro, completamente, incondicionalmente, até o último fio de cabelo…

    Quando me olho no espelho, diante de tudo que sou e que faço, não consigo ver metade de um homem. Apenas consigo ver um homem completo, como tem de ser. Um homem que encara frente a frente, dia-a-dia a morte de perto. Eu estou no limite! No limite da morte, no limite da dor, no limite das questões psicológicas. Simplesmente, incondicionalmente no limite. Mas o que ganho com tudo isso? Simplesmente, ainda não sei, mas sei que o sucesso é certo e, tarde ou cedo, ele virá.

    Mas o caminho é longo, doloroso. Você precisa pagar preços caros e baratos para seguir em frente. E estes preços podem envolver tudo: Sua sociabilidade, suas vontades humanas, seus desejos carnais, suas tendências, o meio em que se vive, seu ciclo social e muitos outros aspectos. Todavia, o que jamais pode ser pago é a sua dignidade e seu próprio “eu”. Afinal, pra mim, é coisa de fraco, totalmente fraco, deixar o seu eu falar mais baixo afim de seguir outros “eus”, isto é, seguir algo por ilusão de aceitabilidade e não de originalidade.

    Todos os dias acordo cedo, faço minhas obrigações, dou um jeito de fazer cada refeição não da melhor maneira possível, mas como tem de ser feito. Independente do que isso me custe. Independente do quanto eu tenha que me esforçar.

    Eu tenho um sério problema com cheiros. Isso, provavelmente não tem nenhuma relação com o fisiculturismo, mas não importa, valerá a analogia:

    Consigo farejar, como cão, os mais diversos cheiros e gravá-los na mente. Isso me faz sentir quando uma pessoa está ou não diferente, me faz ter lembranças de coisas boas ou ruins, me faz até mesmo me sentir na presença de alguém. E, assim, deve ser seu instinto quando opta pelo fisiculturismo. Os conceitos e aprendizado devem ser gravados e cumulativos. O sentimento a cada nova conquista deve ser humildemente comemorado por si mesmo. E os erros, devem servir como lições para sedimentar a nossa jornada, estrada ou caminho.

    Sempre costumei dizer que é necessário acreditar em si mesmo e conscientizar-se de que é necessário uma mudança, caso você a enxergue. Aliás, somente enxergando o que precisa ser mudado, de fato você consegue mudar. Comentei isso, inclusive com uma moça que me cultuou com alguns bons elogios sobre meu progresso e atual forma física. Claro, é muito bom receber elogios. Ser reconhecido por algo que faz e, faz com corpo, alma e mente é incrível. Mas sei que ainda preciso progredir muito e é isso que me mantém vivo: A vontade de alcançar estes progressos.

    Uma outra coisa que incomoda muito é o excesso de garotas beirado a falta de mulheres. Ou mesmo o excesso de mulheres. Não posso julgar como garotas, pessoas que simplesmente não aceitam o que faço. Aliás, isto é apenas uma opinião delas e também tem de ser respeitada, concordando eu ou não. Todavia, é muito difícil neste meio encontrar alguém que realmente o (ou a) entenda perfeitamente e saiba conviver com seus métodos de vida. Noitadas, jantares fora, café da manhã a dois, e outras milhões de coisas que qualquer casal normal faria… Eu prefiro sexo e em seguida um bom sono anabólico, sem jantar, mas uma refeição completa e balanceada e, claro, uma primeira refeição (que até pode ser a dois) regrada de farinha de aveia, claras de ovos e algumas frutas. Difícil, não?

    Mas talvez o que realmente interesse as pessoas não sejam as próprias pessoas, mas as atitudes que elas tem, não é mesmo? É fácil abrir mão do outro por seu próprio ego, aceite você ou não! E é por isto que muitas vezes é mais fácil se aceita do que tentar aceitar o outro…

    É como ver uma pessoa que estuda muito e é sacaneado de nerd, quando todo mundo queria ter metade do conhecimento dela. É como sacanear um cara bonito sendo que você queria ter metade da beleza dele. É como você, mulher, falar mal da roupa da colega e querer ter uma igual. E vejam, isso não é competição e sim, muitas vezes, inveja pura! E a inveja é um dos maiores venenos não só para o ser humano, mas para a vida. Saiba aceitar seus defeitos e a dar o braço a torcer para as conquistas de terceiros.

    Em tempo, fico me perguntando se realmente optei pelo caminho certo e, apesar de sofrido e árduo, cada vez mais tenho a certeza que sim. As dificuldades em todos os aspectos, seja alimentação, relacionamentos, treinamentos, lesões, dores, dificuldade, falta de conhecimento ou seja lá o que for são inevitáveis e acontecem com todos os seres humanos. Mas você tem de ter a sua própria ideia e sua cabeça no lugar acima de tudo. Você precisa se aceitar e torcer para quem alguém um dia te aceite também. E, quando isso acontece, é incrível!

    Se o espelho reflete quem sou, que reflita vitória

    vitoria-espelho

    Droga! Troquei as mochilas e fui treinar com a mochila errada! Nada de munhequeiras, nada de squeeze e nem mesmo a droga da minha coqueteleira com meus 100g de açúcar, 60g de whey protein e 10g de Creatina. Odeio vacilar no meu trabalho, no que faço! Odeio, sinceramente! Todavia, cometi esse erro mas, fiz o treino valer a pena. 3 séries de 12 repetições no levantamento terra para aquecer a musculatura posterior do corpo. E então, comecei meu treino.

    Algumas séries lá, cá… Máximo de peso possível, máximo esforço, falta de ar, dores de cabeça (droga, acho que algo está fazendo a minha pressão subir. Preciso resolver isso o mais rápido possível). Acabei encontrando com um irmão de academia no qual costumo treinar algumas vezes. Poucas palavras, muito incentivo, alguns gritos. É, realmente um parceiro de treino ideal e muito bom. Diria eu, fiel, assim como procuro ser. Um ajudando o outro, incentivando, dando apoio e fazendo acreditar que é possível repetição a repetição. E é isso que vale!

    Não preciso de parceiros de treino que façam o exercício por mim ou que queiram falar do final de semana. Preciso de parceiros que, como hoje, em uma sexta feira, esquece que existe noite que não seja pra dormir. Esquece qualquer coisa naqueles minutos dentro da academia. E devo dizer que os treinos são realmente insanos dia-a-dia e um, com certeza aprende com o outro. É importante ter um parceiro assim para aproveitar o máximo não só do treino, mas do que meu corpo pode oferecer. Com experiências, ações e idéias. Boa sorte a ele que com certeza merece e tem se esforçado muito pra isso com dieta e treino insanamente pesado e a mim também! Será um prazer encontrá-lo nos palcos no final do verão ao começo do inverno no ano que vem.

    Mas lembra que disse que esqueci a droga da coqueteleira com o meu pós-treino? Tudo bem, tudo bem… Isso não faz diferença metabolicamente quando acontece esporadicamente, mas devo dizer que mesmo com o meu pré-treino sólido cavalar, tenho sérios problemas de hipoglicemia. E advinha… Cheguei verde em casa. Ok, deu para sobreviver dessa vez e é isso que importa. Aliás, essa é uma das vantagens de treinar perto de casa…

    Apesar de tudo, cada vez que me olho no espelho, vejo o que está faltando, o que preciso melhorar e começo a elaborar meios de fazer aquele (ou geralmente aqueles) ponto (s) melhorar (em). E é importante isso. Porém, honestamente, devo reconhecer que progredi muito até aqui. Cada gota de suor fez meu físico modificar e, continua fazendo. Cada lágrima derramada, também fez meu psicológico e minha moral um tanto quanto mais forte. E isso pra mim, já vale muito! Mas ainda não é o suficiente. Quero cada vez mais, cada dia mais… Sempre mais! Quero que ele possa refletir sempre uma pessoa externa e internamente melhor, mas acima de tudo, que sempre deixe um defeito para que eu possa me motivar e corrigi-lo, a buscar o sucesso nele também. Aliás, esse é o princípio da homeostase, que nunca existe. A movimentação no corpo acontece justamente na busca por esse equilíbrio que nunca será alcançado pois, se for, o óbito é certo, pois não haverá mais a tal movimentação tendenciosa para algum lado, seja qual for.

    Sei que cheguei aqui por méritos e ajudas e, cada vez mais me sinto honrado das pessoas que estiveram 100% ao meu lado nesse processo. Se hoje consigo dizer que em um país como este, onde o esporte pouco é reconhecido, sou um atleta patrocinado, é com boca cheia que faço e, claro extrema satisfação e honra, afinal, reconheço que existam físicos esculturais muito melhores e que infelizmente não obtém a mínima ajuda. Mas… Eu cheguei “lá”… E quando me dizem que o que faço é estranho e desnecessário, acredito ainda mais em mim mesmo.

    Esse não é o tipo de esporte no qual você pode optar por dois caminhos ao mesmo tempo, entende? Se você é um atleta ciclista, provavelmente poderá praticar corrida, ou até mesmo natação. Mas um fisiculturista, muitas vezes tem essa opção e ponto final. É um esporte que exige íntegra dedicação, conhecimento e “pulos de gato”. Além disso, é um esporte que você tem de abrir mão de coisas que você gosta e de coisas que costuma fazer também.

    É importante ter em mente que o fisiculturismo talvez possa ser comparado a prisão mais livre do mundo, se é que ela existe na vida real. É um meio que você tem de sentir-se livre consigo mesmo e preso na vida. E se essa for sua real vontade, ou o que realmente quer, junte-se! Você jamais se arrependerá!
    Saber quais são seus limites é muito importante, mas mais que isso, é importante saber como quebrá-los. Você necessita disso se quiser vencer.

    Encerra hoje este pequeno relato semanal da rotina de um fisiculturista e a mensagem que quero deixar a todos é que sempre acreditem em seus sonhos, porque sonhos podem se tornar realidade se você acreditar de corpo e alma. Acredite, busque, faça acontecer! Foi no fisiculturismo que aprendi a ser guerreiro, a brigar com unhas e dentes pelo que acredito. A esfolar a palma das mãos, a chorar sozinho, a sentir dores e ignorá-las, a ser humilhado e erguer a cabeça, a fazer o espelho refletir o que almejo e o que sou… Foi no fisiculturismo que aprendi que não importa o que aconteça, você impõe seus limites e, se isso for sólido para você, absolutamente ninguém poderá destruir seu castelo.

    Acredite em si, faça por merecer! Seja você! Seja o fisiculturismo!

    Artigo escrito por Marcelo Sendon

    Whey Protein





    /* */