Sal de Cozinha: Devemos retirá-lo da dieta ou não?

Tempo de Leitura: 7 minutos


Ultimamente, boa parte dos brasileiros têm consumido cada vez menos sal em suas refeições, muito desse medo é devido aos inúmeros caso de doenças relacionados à ele. Mas, afinal, devemos ter tanto medo a ponto de tirar o sal da dieta?

Acho que a pergunta não deveria ser se devemos tirar o sal da dieta, mas sim, qual a quantidade certa de sal devemos colocar nos nos alimentos? Melhor ainda, deveríamos parar de ver o sal apenas como um vilão, pois ele não é! O vilão aqui é o uso incorreto deste nutriente.

Neste artigo quero trazer alguns pontos relevantes para que você possa pensar sobre a real necessidade e/ou importância de tirar, ou não, o sal de cozinha da dieta. Quero falar especificamente sobre o sal refinado e não tão somente sobre o sódio.

Além disso, você conhecerá alguns bons motivos pelos quais você deve manter o sal refinado na sua alimentação e, também, os malefícios que você poderá sofrer caso o retire de vez.

Vamos nessa?

O que é o sal de cozinha?

O Sal de cozinha nada mais é do que um composto conhecido como “Cloreto de Sódio” (NaCl). Ele é muito utilizado para inúmeras finalidades, principalmente no preparo de alimentos. Ele pode agir como conservante, como tempero, entre outras funções.

Sal refinado não deve ser retirado da sua dieta

Normalmente, a forma atual mais comum de se obter o cloreto de sódio (sal) é através de águas marinhas, de alguns rios e lagos, além de rochas. Porém, a forma mais comum (e barata) é mesmo de mares.

CONHEÇA >>> Os benefícios do sal Epsom para o praticante de musculação

Para se obter o sal é necessário que alguns processos químicos sejam feitos, a fim de retirar a água presente em sua mistura e restar apenas a parte sólida da substância.

Esses processos, normalmente podem ocorrer em diferente graus de escala e, quanto mais se processa o sal, mais ocorrem alterações, como a perda de nutrientes. Esse é um dos motivos pelos quais o sal é tão condenado.

O que acontece, é que a maioria das pessoas não sabem a quantidade necessária a ser consumido e acabam sendo radicais, fazendo o consumo quase nulo ou o consumo exagerado.

Entretanto, acho que mais do que discussões, tenho que lhe mostrar alguns argumentos pelos quais o sal de cozinha não é vilão, se usado corretamente, é claro.

Veja :  Garcinia cambogia para que serve? Como tomar?

Motivos pelos quais devemos consumir o sal de cozinha

Você ainda deve estar se perguntando se devemos tirar o sal da dieta, não é? Calma que eu vou te dar alguns bons motivos para começar a olhar o sal com outros olhos e ver que ele não é tão ruim quanto dizem por aí.

1- Ele possui iodo

Muitas pessoas só dão atenção às vitaminas mais populares, como a vitamina C, a vitamina E, as vitaminas do complexo B ou mesmo os minerais, tais quais o ferro, o zinco, o magnésio e o cálcio.

Entretanto, existem outros minerais os quais são essenciais para o corpo, dentre eles está o Iodo. Em primeiro lugar, o Iodo é matéria prima para a produção de hormônios da tireóide (T3 e T4).

Se há poucas quantidades desse mineral em seu corpo, então, provavelmente você irá ter quedas nos hormônios tireoidianos e isso fará com que seu metabolismo fique lento. Dessa forma, a deficiência de iodo fará com que haja maior dificuldade na queima de gordura corpórea, entre outros pontos.

LEIA TAMBÉM >>> Como obter resultados na musculação tendo problemas na tireóide

Como forma preventiva, ele pode evitar o câncer, prevenir a infertilidade e evitar o bócio (aumento da glândula da tireoide). A deficiência de iodo também pode causar problemas neurológicos e de cognição.

De uma forma geral, o sal é a principal fonte de iodo que temos na dieta, seguido dos pescados (peixes).

A importância do fornecimento de Iodo através do sal de cozinha é tão grande, especialmente para a prevenção de bócio, que a legislação hoje diz que o sal refinado deve ter quantidades de iodo adicionadas a ele (visto as perdas ocorrentes durante seu processamento).

Dietas com baixo sal de cozinha associadas a alimentações as quais muitas vezes não incluem boas fontes de iodo, certamente irão resultar em baixas deste mineral em seu organismo.

2- Ele é fonte de sódio

Sabemos a importância do sódio para o controle da osmolaridade sanguínea, para o controle da osmolaridade das células, para os processos de neurotransmissão (e de contração muscular), para a melhora na absorção intestinal de glicose, entre outras funções.

Mantenha o sal refinado na sua alimentação

Sem sódio, além de fisicamente seus músculos aparentarem estar “flat”, ou seja, “murchos”, você tem quedas de performance e maior fadiga (cansaço) durante os treinos de musculação.

Entenda que, se o sódio é o responsável por promover potenciais de ação, não há quaisquer tipos de ações no corpo caso ele esteja em deficiência.

SAIBA MAIS SOBRE >>> Sódio: um item indispensável no pré-treino

A sua própria contração muscular (que é um evento próximo da neurotransmissão) depende diretamente do sódio, e ele estando em baixa concentração no corpo você será prejudico para executar os exercícios de musculação.

Veja :  Cúrcuma como usar? Quais os benefícios?

Você também terá prejuízos na força, na resistência muscular e mesmo na durabilidade e eficiência de sua contração musculoesquelética.

O sal de cozinha é hoje a principal fonte de sódio das pessoas. Por isso mesmo é que ele é tão “amedrontador”. Na realidade, ele não é, em hipótese alguma, vilão.

Entretanto, você deve entender que o equilíbrio é que será necessário para obter sucesso com seu uso. Obviamente, temos outras tantas fontes de sódio na dieta, mas a forma mais fácil, barata e comum é mesmo o sal de cozinha.

Sabendo utilizá-lo adequadamente, você irá temperar os seus alimentos e, de quebra, nutrir seu corpo com o que ele precisa.

Ainda com dúvida se devemos tirar o sal da dieta? Então continue comigo!

3- O sal de cozinha é fonte de cloro

O cloro é um mineral responsável pelo auxílio no controle da osmolaridade sanguínea, do pH sanguíneo, é matéria prima na produção de ácidos gástricos. Além disso, ele auxilia na contração muscular, auxilia as funções hepáticas na medida em que elimina metabólitos (lixo que sobra depois que o organismo aproveita a parte útil do alimento) do organismo.

Os níveis de cloro necessários na dieta dos seres humanos são relativamente baixos e, neste caso, o sal de cozinha normalmente consumido diariamente já consegue suprir bem essas funções.

Existem também outros alimentos os quias podemos incluir na nossa dieta e que são fontes de cloro, tais quais:

  • Algas marinhas;
  • Pescados;
  • Azeitonas;
  • Avelãs;
  • Nozes;
  • Alface;
  • Tâmaras;
  • Pepino;
  • Aipo;
  • Tomate.

Tá achando que acabaram os benefício do sal de cozinha? Não mesmo! Veja a seguir alguns micronutrientes presentes no sal e que são fundamentais para nos manter saudáveis.

Garanto que depois de ler o conteúdo restante deste artigo você não terá mais dúvida alguma de que não devemos tirar o sal da dieta!

4- O sal de cozinha é fonte de alguns outros micronutrientes

Não vamos dizer que essa seja a principal função do sal de cozinha ou seu principal benefício. Entretanto, a presença de alguns minerais (mesmo que em baixas concentrações) pode ser considerado também um benefício dele.

Entre os micronutrientes que são carregados pelo sal estão o cálcio, o magnésio, e o potássio. A presença desses micronutrientes dão a certeza que NÃO devemos retirar o sal da dieta de foma alguma.

5- Auxilia no controle da glicemia

Sendo capaz de reduzir os níveis de insulina no corpo, especialmente após refeições ricas em carboidratos, o sal também é capaz de auxiliar no controle da glicemia, o que pode ser excelente para indivíduos com resistência à insulina, por exemplo.

Ele também auxilia no controle da glicemia pós-prandial, ou seja, após você se alimentar. Obviamente, você não deve usar “mais sal” achando que isso irá ter maior controle na sua glicemia, mas quantidades moderadas podem auxiliar neste controle.

Veja :  Lecitina de Soja: Uma gordura com inúmeros benefícios ao corpo!

Visto que também auxilia na absorção de glicose no intestino, ele pode fazer com que  o metabolismo dos carboidratos seja mais eficiente e ter melhor aproveitamento no corpo.

O problema não é o consumo do sal de cozinha!

Diante de todos os aspectos mencionados, entenda que o problema não está em consumir o sal de cozinha, mas sim, no excesso dele, especialmente associado a uma alimentação ruim e a falta de atividades físicas.

O que acontece, é que muitas pessoas exageradas acabam fazendo do sal um vilão, quando na realidade, não sabem como consumi-lo adequadamente.

Além disso, muitas industrias vendem produtos que muitas vezes não são tão adequados para o consumo como deveriam ser, enchendo-os de sódio, potássio e outros nutrientes que são essenciais, mas que em excesso podem trazer malefícios.. Exemplo disso são alguns temperos, molhos e etc.

Importância do sal refinado na dieta

Ainda, utilizemos como exemplo o sal rosa do Himalaia, cujo possui cerca de 64 minerais, dentre os quais muitos podem se depositar no corpo e trazer toxicidade, pois muitos desses minerais desse sal são tóxicos ao organismo. Será que ele é melhor do que o sal de cozinha por conter um pouco menos de sódio?

O importante quando vamos falar de quaisquer alimentos, não é julgá-lo como ruim ou bom, mas sim, como um alimento que PODE ser bom ou PODE ser ruim, dependendo de como você o usa, o quanto você o usa, os momentos em que você o usa e assim por diante.

Tudo pode ser benéfico ou maléfico de acordo com a forma que é usado. Lembre-se que o que diferencia o remédio do veneno é justamente a dose usada.

Dessa forma, volto a dizer que é uma bobagem quem acha que devemos tirar o sal da dieta. O que devemos fazer é tomar cuidado com o excesso ou com a deficiência dessa substância na nossa alimentação. Ambos serão prejudiciais.

Qual é a quantidade de sal/sódio que devemos consumir por dia?

Como você pôde ver, ficar sem consumir sal de cozinha não é interessante para ninguém. Contudo, devemos ter em mente qual a quantidade que devemos consumir ao dia para evitar o excesso e, consequentemente, evitar problemas de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, a média de sal de cozinha que uma pessoa pode consumir é cerca de 5 gramas por dia. Isso é o equivalente a 5 pacotinhos de sal que são servidos em restaurantes ou uma colher de chá.

Conclusão

De acordo com as explicações anteriores, podemos afirmar que: NÃO devemos tirar o sal da dieta, apesar de muitos serem adeptos hoje a práticas de dietas hipossódicas (baixo consumo de sódio).

Tendo funções essenciais e importantes no corpo, o sal de cozinha, ou o cloreto de sódio, pode ser um ótimo aliado em sua dieta, desde que usado adequadamente (quantidades, formas de uso, horário e etc).

Portanto, orientar-se corretamente frente ao seu uso será essencial para, de fato, obter seus benefícios e não deixar com que ele se torne um vilão.

Boa alimentação!